Publicidade

Estado de Minas GO­VER­NO COR­TA NOS AE­RO­POR­TOS

Plano de aviação regional é esvaziado e 94 terminais são excluídos

Outros 176 em todo o país vão receber investimentos de R$ 300 milhões


postado em 25/08/2016 06:00 / atualizado em 25/08/2016 07:58

O Pro­gra­ma de Avia­ção Re­gio­nal, lan­ça­do em 2012 pe­lo go­ver­no fe­de­ral se­rá re­du­zi­do. Dos 270 ae­ro­por­tos pre­vis­tos no pla­no ini­cial, 94 de­les fo­ram cor­ta­dos do pro­gra­ma. O anún­cio foi fei­to em no­ta pe­lo Mi­nis­té­rio dos Trans­por­tes, Por­tos e Avia­ção Ci­vil. No no­vo pla­no de in­ves­ti­men­to, o go­ver­no fe­de­ral vai in­ves­tir em 176 ter­mi­nais re­gio­nais, sen­do que des­te to­tal, 53 são con­si­de­ra­dos prio­ri­tá­rios e vão re­ce­ber in­ves­ti­men­tos de R$ 300 mi­lhões, a par­tir do ano que vem. A ex­pec­ta­ti­va é que a ope­ra­ção des­tes ter­mi­nais se­ja ini­cia­da em 2020.

Se­gun­do no­ta do Mi­nis­té­rio, além dos 53 ae­ro­por­tos con­si­de­ra­dos prio­ri­tá­rios, cu­ja lis­ta ain­da de­ve­rá ser apro­va­da pe­lo pre­si­den­te Mi­chel Te­mer, ou­tros 123 vão com­por uma car­tei­ra de pro­je­tos do mi­nis­té­rio e os in­ves­ti­men­tos se­rão fei­tos de acor­do com a “dis­po­ni­bi­li­da­de fi­nan­cei­ra.” Se­gun­do o go­ver­no fe­de­ral, es­tá ga­ran­ti­do que to­dos os 176 ae­ro­por­tos te­rão seus pro­je­tos con­cluí­dos.


O va­lor anun­cia­do ago­ra é de R$ 1,2 bi­lhão até 2020, re­cur­so bas­tan­te in­fe­rior ao R$ 7,3 bi­lhões, pre­vis­tos ini­cial­men­te, quan­do o pro­gra­ma foi anun­cia­do em 2012 pe­la pre­si­den­te afas­ta­da Dil­ma Rous­se­ff, com o ob­je­ti­vo de me­lho­rar a qua­li­da­de da in­fraes­tru­tu­ra ae­ro­por­tuá­ria, in­te­grar o ter­ri­tó­rio na­cio­nal, de­sen­vol­ver os po­los re­gio­nais e ga­ran­tir o aces­so às co­mu­ni­da­des da Ama­zô­nia Le­gal.

O go­ver­no não anun­ciou quais os ae­ro­por­tos fo­ram cor­ta­dos e nem mes­mo aque­les que com­põe a lis­ta prio­ri­tá­ria que aguar­da por apro­va­ção do Pa­lá­cio do Pla­nal­to. Em Mi­nas Ge­rais, 31 ae­ro­por­tos in­te­gra­vam o Pro­gra­ma de Avia­ção Re­gio­nal, sen­do que se­te es­tão em fa­se de an­te­pro­je­to: Dia­man­ti­na, Ja­naú­ba, Pa­ra­ca­tu, Po­ços de Cal­das, Sa­li­nas, San­ta­na do Pa­raí­so e Var­gi­nha.

Os cri­té­rios pa­ra a es­co­lha dos ae­ro­por­tos da car­tei­ra de pro­je­tos fo­ram ba­sea­dos em in­di­ca­do­res co­mo ter­mi­nais im­por­tan­tes pa­ra o trá­fe­go aé­reo que já es­tão com res­tri­ção de ca­pa­ci­da­de; os lo­ca­li­za­dos em re­giões re­mo­tas, ca­so da Ama­zô­nia Le­gal; ren­ta­bi­li­da­de do ope­ra­dor ae­ro­por­tuá­rio; co­ber­tu­ra da po­pu­la­ção em até 120 mi­nu­tos de des­lo­ca­men­to (100 qui­lô­me­tros); in­te­res­se das com­pa­nhias aé­reas; e pro­xi­mi­da­de de gran­des ae­ro­por­tos ou ca­pi­tais.

Se­gun­do o Mi­nis­té­rio dos Trans­por­tes, dos 270 ter­mi­nais do pro­gra­ma ori­gi­nal, 85 fo­ram des­car­ta­dos de­pois de te­rem si­do con­si­de­ra­dos in­viá­veis pe­la área téc­ni­ca da Se­cre­ta­ria de Avia­ção de­vi­do à pro­xi­mi­da­de de al­guns ae­ro­por­tos pre­fe­ren­ciais, bai­xa de­man­da de pas­sa­gei­ros e fal­ta de in­te­res­se de ope­ra­ção das com­pa­nhias aé­reas. “Des­se mo­do, ha­ven­do in­te­res­se, es­ta­do ou mu­ni­cí­pio po­dem as­su­mir os in­ves­ti­men­tos nes­ses ter­mi­nais, que te­riam co­mo uso ex­clu­si­vo a avia­ção exe­cu­ti­va, sem re­cur­sos do go­ver­no fe­de­ral”, diz a no­ta do Mi­nis­té­rio dos Trans­por­tes, Por­tos e Avia­ção Ci­vil.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade