Publicidade

Estado de Minas

AEB pede apoio do governo para facilitar exportações de serviços de engenharia


postado em 15/06/2015 10:49

São Paulo, 15 - O presidente da Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB), José Augusto de Castro, centrou seu discurso no seminário "Uma Agenda para Dinamização da Exportação de Serviços", na necessidade de o Brasil elevar o seu volume de exportações de serviços de engenharia. De acordo com ele, o Brasil é hoje o 12º exportador de engenharia em um conjunto de 15 países no mundo. Na América Latina, é o único exportador neste segmento. "Serviço de engenharia é um serviço invisível que faz crescer a economia visível", disse Castro.

De acordo com o presidente da AEB, a exportação estimula ou viabiliza a inserção internacional indireta de 1.500 a 2.800 empresas de projetos, 80% de Micros, Pequenas e Médias Empresas (MPME), que empregam cerca de 1,5 milhão de pessoas. A exportação de engenharia requer algumas condições tais como empresas com competência técnica e capacidade de gestão, estrutura pública de apoio financeiro de longo prazo e seguro de crédito à exportação, entre outras coisas.

Para Castro, a exportação de serviços de engenharia funciona lá fora como uma ponta de lança, que abre novos mercados. Por isso, de acordo com ele, a necessidade de maior apoio do governo a este segmento da economia. O seminário é organizado pelo Jornal Valor Econômico.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade