Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Em Âmago, Mimulus defende o respeito à pluralidade de ideias

Espetáculo ficará em cartaz no Palácio das Artes. Jomar Mesquita diz que problemas técnicos do Grande Teatro são %u2018reflexo do descaso%u2019 com a cultura


postado em 08/02/2019 05:06

(foto: Guto Muniz/divulgação)
(foto: Guto Muniz/divulgação)


“O que é mais revelador: o que decidimos mostrar ou o que escolhemos omitir?”. Essa questão norteia Âmago, espetáculo da Mimulus Cia. de Dança que ficará em cartaz sábado (9) e domingo (10), no Grande Teatro do Palácio das Artes. Dirigido por Jomar Mesquita, ele se inspira no documentário Janela da alma, de Walter Carvalho e João Jardim, a respeito do universo de pessoas com deficiências visuais – da miopia discreta à cegueira total.

O depoimento de José Saramago para o filme inspirou as coreografias. “Ele diz que para conhecer verdadeiramente uma coisa, é precisar dar-lhe a volta, ou seja, observá-la de vários ângulos. Em Âmago, nossa proposta é fazer com que o público enxergue a dança de múltiplas maneiras, inclusive pelo olhar dos bastidores”, explica Jomar Mesquita.

A estreia do espetáculo no Palácio das Artes é cercada de expectativa. Ano passado, ele foi apresentado na sede do grupo, em BH. Agora, é um dos destaques da Campanha de Popularização Teatro & Dança. “O palco do Grande Teatro continua sendo o principal da cidade, especialmente para a dança. Estamos muito empolgados. Por outro lado, ficamos tristes em saber que o espaço está com alguns problemas técnicos. De certa forma, isso é reflexo do descaso do poder público com a cultura”, afirma Jomar. Ele se refere a recentes apresentações no Palácio das Artes prejudicadas por defeitos no ar-condicionado. O espaço pertence ao governo estadual.

De acordo com o coreógrafo, Âmago se encaixa perfeitamente no momento que o Brasil atravessa. “É preciso que nós, artistas, tenhamos força e criatividade para seguir em frente diante desse cenário tenebroso. Esse espetáculo representa justamente a pluralidade de ideias, o convívio de diferentes pontos de vista em um mesmo espaço”, explica.

COLETIVO As coreografias foram idealizadas coletivamente pelos integrantes da Mimulus. “Todos os nossos projetos são fruto de muitas ideias. Desta vez, a gente se perguntou: ‘O que você esconde? Por que você esconde?’. Cada resposta foi decisiva para a montagem”, diz Jomar. Houve ampla pesquisa para a trilha sonora. “Selecionamos músicas que casam perfeitamente com a apresentação”, conta Jomar. O repertório traz músicas de Cartola, Johnny Hooker e Dona Onete.

Ao comentar a experiência de participar da Campanha de Popularização, Jomar destaca a interação com a parcela da população que geralmente não frequenta teatros. “Percebo que nosso público cresce bastante na época da campanha. Gostaria que esse engajamento durasse o resto do ano, pois, muitas vezes, os preços dos ingressos continuam acessíveis. É importante poder falar pra todo mundo”, conclui.

* Estagiária sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria


ÂMAGO
Com Mimulus Cia. de Dança. Direção: Jomar Mesquita. Grande Teatro do Palácio das Artes. Av. Afonso Pena, 1.537, Centro, (31) 3236-7400. Sábado (9), às 21h, e domingo (10), às 19h. Bilheteria: R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia-entrada). Postos do Sinparc: R$ 18.


Publicidade