Publicidade

Estado de Minas

No lugar de comida pronta, kits para cozinhar em casa

Para quem não quer pedir comida pronta, uma das alternativas nesta quarentena são os kits com ingredientes pré-preparados e porcionados para fazer receitas em casa


postado em 17/05/2020 04:00 / atualizado em 16/05/2020 23:20

Risoto pomodoro (Era Uma Vez)(foto: Era Uma Vez/Divulgação)
Risoto pomodoro (Era Uma Vez) (foto: Era Uma Vez/Divulgação)
 
É delivery, mas bem diferente. Você não recebe a comida pronta para comer. Tem em mãos todos os ingredientes, nas quantidades certas, para preparar a receita que escolheu. Um restaurante, um bufê e uma pizzaria de Belo Horizonte levam inovação aos serviços de entrega com kits pensados para o cliente ser chef em casa. A proposta agrada tanto a quem gosta de cozinhar e busca praticidade como a quem não abre mão de comer um prato que acabou de sair do fogo.
 
“O futuro é de quem se adaptar melhor.” A frase de uma amiga acendeu uma faísca em Simone Biondi, do Est! Est!! Est!!!. Limitado com o fechamento do restaurante e do empório, ele passou noites em claro, buscando ideias para ir além do delivery comum. Acabou pensando como um italiano tradicional, que não pede massa pronta, prefere fazer em casa, porque a qualidade nunca vai ser a mesma do prato servido pelo chef. “Pensei que existe cliente chato como eu, que nunca pediria massa no delivery, e peguei esta ideia da Itália. Todos os ingredientes vão pré-preparados, é só finalizar em casa.”
 
Tartar de salmão em cestinha de wonton com purê de avocado (Era Uma Vez)(foto: Era Uma Vez/Divulgação)
Tartar de salmão em cestinha de wonton com purê de avocado (Era Uma Vez) (foto: Era Uma Vez/Divulgação)
 
 
Simone aposta no kit como opção de delivery para quem gosta de cozinhar em casa e brincar de ser chef por um dia. Para começar, ele escolheu carbonara e putanesca, dois molhos práticos e com sabores diferenciados. Todos os ingredientes, a não ser a massa, são embalados separadamente a vácuo, já nas quantidades certas para o preparo de duas porções.
 
Pizza Marguerita (La Vera)(foto: Kellen Pavão/Divulgação)
Pizza Marguerita (La Vera) (foto: Kellen Pavão/Divulgação)
 
 
O cliente recebe um texto com a história da receita e o modo de fazer detalhado. As massas, produzidas artesanalmente, ficam prontas depois de alguns minutos em água fervente. Os outros itens precisam passar pela frigideira. “No caso do putanesca, o único ingrediente pré-cozido é o molho de tomate da casa. Azeitona, alcaparras, alho e anchovas precisam ser refogados no azeite e deglaçados com vinho branco”, explica. Mas nada é demorado.
 
A massa da pizza deve ser assada em forno bem aquecido por cinco a seis minutos(foto: Kellen Pavão/Divulgação)
A massa da pizza deve ser assada em forno bem aquecido por cinco a seis minutos (foto: Kellen Pavão/Divulgação)
 
 
O chef aproveita a oportunidade para apresentar ao público o guanciale (bochecha de porco curada com especiarias) produzido na casa. Ele é o ingrediente principal do espaguete à carbonara, que ainda tem queijo pecorino e ovos. “Imagina que legal, no fim a pessoa terá um livro autêntico de receitas de um italiano, da casa da avó dele”, comenta. “Isso aproxima mais o cliente da minha cozinha.”
 
Já de olho no futuro, Simone avisa que este é só o começo. “O mercado vai mudar e temos que nos preparar. Quem se posicionar com ideias novas antes de a quarentena acabar vai ter mais possibilidades”, avalia. O chef planeja lançar kits com carne e risoto, mantendo, é claro, a proposta de ser um italiano autêntico, sem inventar moda.
 
Pizza Maremma (La Vera)(foto: Kellen Pavão/Divulgação)
Pizza Maremma (La Vera) (foto: Kellen Pavão/Divulgação)
 
 
O bufê Era Uma vez também quer estimular os clientes a cozinhar em casa. Os kits surgiram logo no início do isolamento, como alternativa para manter o negócio funcionando, já que as festas foram adiadas ou canceladas. “Postei uma foto dos ingredientes que ia usar para fazer o jantar e uma cliente perguntou qual prato seria, pois precisava de ideias para a quarentena. Aí pensei: pode ser uma ideia boa mandar os ingredientes para fazer as nossas receitas”, conta a sócia Tamiris Mayrink.
 
Desde então, são oferecidas duas opções de pratos por sema- na. Os ingredientes necessários para fazer a receita, exatamente igual à que o bufê serve nas festas, já vão picados e porcionados. “Vamos escolhendo as que são mais fáceis de fazer. Algumas têm um preparo mais lento, mas as pessoas vão conseguir reproduzir em casa, não precisam de nenhum material específico, como um maçarico”, explica.
 
"No fim, a pessoa terá um livro autêntico de receitas de um italiano", diz o chef Simone Biondi (foto: Kellen Pavão/Divulgação)
 

RAVIóLI O molho roti do ravióli de queijo de minas com linguiça é o que exige mais tempo. Os pedaços de costela ficam cozinhando por três horas com legumes, como cebola, alho e cenoura. Depois, é só acrescentar um pozinho para dar consistência e servir com a massa. Já o risoto pomodoro tem que ser preparado em três etapas. Primeiro, cozinhar os legumes para fazer o caldo. Depois, juntar tomate, azeite e alho para os tomates confitados. Por último, cozinhar o arroz com o caldo e finalizá-lo com manteiga.
 
Esses kits são para quem gosta realmente de cozinhar ou quer se arriscar no fogão. “A maioria das pessoas que pedem são mulheres que gostam de gastronomia, de comer pratos diferentes, mais elaborados e ir a restaurantes”, observa Tamiris. Os pratos servem duas pessoas.
 
Outra aposta certeira do bufê são os kits para cozinhar com crianças, que têm ajudado pais a distrair os filhos nesta quarentena. “Além de ser alimentação, é entretenimento”, comenta Tamiris, que trabalha principalmente com festas infantis. Todas as receitas selecionadas agradam facilmente às crianças, entre elas pão de queijo, minipizza e cookie, o mais pedido. Neste caso, os ingredientes secos (farinha, açúcar e fermento) vão juntos em um pote. Os “chefs” só precisam misturá-los com manteiga e ovos, enviados à parte, e modelar a massa com as mãos.
 
Espaguete à putanesca (Est! Est!! Est!!!)(foto: Kellen Pavão/Divulgação)
Espaguete à putanesca (Est! Est!! Est!!!) (foto: Kellen Pavão/Divulgação)
 
 
 
Massa pré-assada 
 
Delivery de pizza não é nenhuma novidade, mas e se ela não estiver ponta? A La Vera teve a ideia de entreter os clientes com um kit para preparar a redonda em casa. “Nós, empresários, temos que procurar alternativas e pensei em uma brincadeira para o cliente passar por este momento com mais tranquilidade. No fim das contas, ele passa um tempo preparando a nossa pizza e come um produto de alta qualidade”, observa o chef italiano Leonardo Fontanelli.
 
A massa já chega pré-assada, acompanhada das instruções de preparo. Recomenda-se ligar o forno meia hora antes na temperatura máxima. Se tiver grill, melhor ainda, já que forno elétrico é melhor que a gás. “O mais importante é deixar o forno bem aquecido. O cliente deixa a pizza assando de cinco a seis minutos, dependendo do forno que tem em casa, até dourar a borda.” Leonardo garante que ela fica exatamente igual à que se come na pizzaria, com borda alveolada (cheia de furinhos) e bem crocante. Há opções de seis ou oito fatias.
 
Os ingredientes para colocar no disco da pizza são porcionados e embalados separadamente. Molho de tomate (duas conchas bem servidas, como na Itália) e muçarela de búfala ralada são comuns a todos os sabores. No caso da Marguerita, somam-se tomates já cortados ao meio, além de folhas frescas de manjericão e redução de manjericão para finalizar. Já a Maremma conta com linguiça toscana produzida artesanalmente na pizzaria, queijo gorgonzola e mel trufado.
 
Prevendo que, mesmo com o comércio aberto, muitas pessoas vão continuar em casa, Leonardo se prepara para apresentar novidades com frequência. A cada semana, ele quer lançar novos desafios para os clientes, aumentando o nível de dificuldade. O plano é chegar até a pizza degustação, servida em fatias já cortadas e com ingredientes finalizados no fogão. “Vai ser bonito ver os clientes salteando champignon na frigideira”, aponta o chef, que pensa em outros kits, fora pizza, como focaccia pré-assada para rechear. 
 
Risoto pomodoro
(Era Uma Vez)

Ingredientes

75g de alho-poró; 75g de cenoura; 75g de salsão; 75g de cebola; 10g de tomilho; 1,5 litro de água; 150g de tomatinho grape; 5g de alho; 50ml de azeite; 5g de alecrim; 10g de tomilho; sal e pimenta-do-reino a gosto; 200g de arroz arbóreo; 70g de cebola picada; 100ml de vinho branco seco; 20ml de azeite; 70g de manteiga; 70g de queijo parmesão; folhinhas de manjericão; sal e pimenta a gosto

Modo de fazer

Numa panela, coloque um fio de azeite e aqueça. Adicione todos os ingredientes, com exceção da água. Quando os legumes murcharem, adicione a água. Quando ferver, abaixe o fogo e cozinhe por 10 minutos para apurar os sabores. Coe e reserve. Para os tomatinhos confit, coloque todos os ingredientes (tomatinhos grape, alho, azeite, alecrim, tomilho, sal e pimenta-do-reino) em um tabuleiro e leve ao forno a 100oC por 30 minutos. Espere esfriar para usar. Numa panela, coloque 1 litro de caldo de legumes para ferver. Em outra panela, coloque 35g de manteiga e 20ml de azeite em fogo baixo. Quando derreter, acrescente a cebola até ficar transparente. Junte o arroz e misture por 2 minutos em fogo alto. Adicione o vinho e misture até evaporar. Mantenha a panela em fogo baixo com o caldo de legumes. Na panela do arroz, acrescente 1/3 do caldo de legumes e mexa sem parar até secar. Junte mais 1/3 do caldo de legumes e mexa até secar. Adicione 150g de tomatinhos confit e o restante da água. Desligue o fogo e adicione 35g de manteiga, manjericão, queijo 
parmesão, sal e pimenta. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade