Conteúdo para Assinantes

Continue lendo ilimitado o conteúdo para assinantes do Estado de Minas Digital no seu computador e smartphone.

price

Estado de Minas Digital

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas digital por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Longe do burburinho


postado em 16/06/2019 04:06



Há 18 anos, abrir um restaurante fora de Belo Horizonte parecia loucura. Mas Tatá Carvalho insistiu na ideia e conseguiu, mesmo com a distância, fisgar o público pela boa comida. Hoje, o chef comemora o sucesso do diVino, em Nova Lima, onde ele recebe como se fosse em casa. “Criamos um lugar mais tranquilo, charmoso e aconchegante, que não está no burburinho da cidade, e ainda tem clima mais frio”, destaca o fundador do restaurante, que mudou recentemente de endereço (está um pouco mais à frente da Quinta Avenida, na entrada do condomínio Vale do Sol). O clássico da casa continua a ser o filé em crosta de parmesão com molho de mostarda. Normalmente, ele é servido com risoto de palmito pupunha fresco, mas o cliente tem liberdade para escolher o acompanhamento. Outra opção é o peixe do dia grelhado com molho de abacaxi, alcaparras e azeite de ervas, além de farofa de camarão. Pensando em um jantar completo, o chef sugere uma entrada que reúne vários sabores: queijo brie empanado, abobrinha confitada no azeite de pimenta calabresa, geleia de tomate apimentada, berinjela assada, cogumelos grelhados no azeite de ervas e uma cesta de pães. De sobremesa, nada melhor que o suflê de goiabada cascão com sorvete de queijo ou a taça de merengue com morangos frescos. Nesta nova etapa do restaurante, o chef planeja estruturar o deque da entrada para servir petiscos a ciclistas e motociclistas.

 

 

Vem, inverno

O frio chegou e com ele a vontade de aquecer o paladar. Localizado no Bairro Serra, o Tchê Parrilla iniciou a temporada de fondues em maio, mas só agora, com a queda nas temperaturas, que a procura cresceu. A casa oferece três opções, entre elas a de carne, que é a sua especialidade. O cliente escolhe entre filé-mignon e peito de frango ou ancho, chorrizo e picanha. “Utilizamos um sistema de chapa de pedra sabão, onde as carnes são grelhadas sem óleo”, detalha o sócio Sérgio Monteiro. Para acompanhar, seis molhos: chimichurri, gorgonzola, parilleiro, mostarda e mel, aioli e barbecue. No cardápio, ainda tem fondue de queijo, que segue a receita tradicional suíça, com gruèyre, emmental e gouda, e doce (chocolate, doce de leite, nutela com ninho ou chocolate com ovomaltine). Os fondues permanecem no cardápio até o fim de agosto.

 

Casa aberta

Veterana no mercado de cervejas artesanais, a Falke Bier deu uma virada recente no negócio: inaugurou um espaço para receber os clientes e proporcionar novas experiências. “O público tem a oportunidade de ir a um bar onde encontra o mestre cervejeiro e pode conversar com ele, tirar dúvidas e dar sugestões. Isso atrai muito quem gosta de cerveja”, destaca Marco Antônio Falcone, que divide o posto com o filho Max. A Casa Falke fica no Bairro São Pedro e tem 15 biqueiras, 13 com chopes da casa e duas de convidados, que se alternam de mês em mês. Marco trouxe da Lituânia uma tecnologia que permite injetar gás carbônico dentro do growler, expulsando o oxigênio. Dessa forma, a bebida mantém a mesma qualidade de uma envasada em garrafa. A comida fica por conta da Pizza Sur, que serve empanada argentina, pizza e tábua de frios. Até o fim do ano, os clientes poderão acompanhar, através de uma parede de vidro, a produção das cervejas em uma pequena fábrica que será construída no mesmo espaço, seguindo o conceito de brew pub. Os sócios já pensam em replicar este modelo em outros pontos de BH e outras cidades. Na casa, também funcionam os departamentos financeiro, administrativo e comercial da empresa, além do centro de distribuição e o galpão com estoque seco.


Publicidade