UAI
Publicidade

Estado de Minas CINEMA

Brasil está fora da principal competição do Festival de Cannes

Palma de Ouro será disputada por David Cronenberg, James Gray, os irmãos Dardenne e o russo Kirill Serebrennikov. Só há três mulheres na lista dos 18 indicados


14/04/2022 17:32 - atualizado 14/04/2022 17:52

O delegado-geral do Festival de Cannes, Thierry Frémaux, e o presidente do festival, Pierre Lescure, diante do cartaz da 75a edição do evento, que será realizada em maio de 2022
O delegado-geral do Festival de Cannes, Thierry Frémaux, e o presidente do festival, Pierre Lescure, anunciam os indicados à Palma de Ouro em 2022 (foto: Emmanuel Dunand/AFP )

O cineasta canadense David Cronenberg, o americano James Gray, os irmãos belgas Dardenne e o russo Kirill Serebrennikov, atualmente no exterior, disputarão a Palma de Ouro no 75º Festival de Cannes, anunciou o delegado-geral do evento, Thierry Frémaux, em entrevista coletiva concedida nesta quinta-feira (14/4).


Dezoito longas participam da seleção oficial do festival, que será realizado de 17 a 28 de maio. Nenhum filme brasileiro ou ibero-americano vai disputar o prêmio máximo. Cerca de 2 mil produções foram submetidas à seleção.


O Brasil ainda tem chance de participar das mostras paralelas “Quinzena dos realizadores”, “Semana da crítica” e “Cinéfondation”, cujos indicados serão anunciados nos próximos dias.


Predominam filmes europeus, com a presença de apenas três mulheres na disputa pela Palma de Ouro: duas cineastas francesas (Claire Denis e Valeria Bruni) e uma americana (Kelly Reichard).

 

Da Costa Rica, “Domingo y la niebla”, do jovem autor Ariel Escalante, concorre na mostra “Um certo olhar”. O cinema espanhol, que ganhou o Urso de Ouro no recente Festival de Berlim (com “Alcarràs”, de Clara Simón), está ausente de Cannes. A composição do júri permanece em suspense.


O cinema ainda se recupera da pandemia, reconheceu Thierry Frémaux, dizendo que ele “tem de se reerguer”. O delegado-geral informou que cerca de 35 mil pessoas foram credenciadas para esta edição do festival, quase o dobro do ano passado.

 

O cineasta russo Kirill Serebrennikov, de boné, posa com o braço sobre cartaz de cinema, em Hamburgo
O cineasta russo Kirill Serebrennikov disputa o prêmio principal de Cannes com o filme 'Tchaikovsky's wife' (foto: Morris Mac Matzen/AFP )
 

PASSADO E FUTURO

O Festival de Cannes vai comemorar oficialmente seus 75 anos em ato especial marcado para 24 de maio. “Não se trata necessariamente de celebrar o passado (...), mas de celebrar igualmente o presente e o futuro”, disse Frémaux.


Cinco diretores já premiados disputam novamente a Palma de Ouro. Cronenberg, especializado em filmes de terror e ficção científica, apresenta “Crimes of the future”, com Viggo Mortensen, Léa Seydoux e Kristen Stewart.


Como previsto, Cannes se posicionou sobre a guerra na Ucrânia, particularmente com o convite a Kirill Serebrennikov, um diretor iconoclasta, conhecido por suas criações teatrais, atualmente morando fora da Rússia.

Competindo pela terceira vez em Cannes, depois de “A febre de Petrov” e “Verão”, o russo está de volta com “Zhena Tchaikiovskogo”, filme histórico sobre a mulher do compositor Pyotr Tchaikovsky.


Em junho de 2020, ele foi condenado a três anos de prisão por desvio de dinheiro, acusação que sempre negou. Depois de receber redução de pena, afirma que deixou “legalmente” o país. Atualmente, trabalha na Ópera de Amsterdã em “Der freischütz”, do compositor Carl Maria von Weber.

Dois cineastas ucranianos estarão presentes, mas fora de competição: o mestre Sergei Loznitsa, com “The natural history of destruction”, em sessão especial, e o desconhecido Maksim Nakoneshnyi, com “Bachennya Metelyka”, na mostra “Um certo olhar”.

PRODUTORES BRASILEIROS

Os irmãos Jean-Pierre e Luc Dardenne, veteranos de Cannes, apresentam “Tori and Lokita”. James Gray retorna com “Armaggedon time”, filme sobre o pai do ex-presidente Donald Trump estrelado por Anthony Hopkins e Anne Hathaway. Entre os produtores desse longa estão os brasileiros Rodrigo Teixeira, um dos principais nomes de Hollywood atualmente, e Lourenço Sant'Anna.

O sul-coreano Park Chan-wook compete com “Haeojil Gyeolsim Park” e o egípcio Tarik Saleh com “Boy from heaven”.

Outras atrações de Cannes são os longas “Top Gun: Maverick”, estrelado por Tom Cruise, e “Elvis”, do diretor australiano Baz Luhrmann, de “Moulin Rouge” – ambos fora da competição. O longa “Z”, de Michel Hazanavicius, será o filme de abertura da 75ª edição do festival.

NA BRIGA PELA PALMA DE OURO


 “Holy spider”
De Ali Abbasi

“Les amandiers”
De Valeria Bruni Tedeschi

“Crimes of the future”
De David Cronenberg

“The stars at noon”
De Claire Denis

“Frere et soeur”
De Arnaud Desplechin

“Tori and Lokita”
De Jean-Pierre e Luc Dardenne

“Close”
De Lukas Dhont

“Armageddon time”
De James Gray

“Broker”
De Hirokazu Kore-eda

“Nostalgia”
De Mario Martone

“R.M.N.”
De Cristian Mungiu

“Triangle of sadness”
De Ruben Ostlund

“Decisions to leave”
De Park Chan-Wook

“Showing up”
De Kelly Reichardt

“Leila’s brother”
De Saeed Roustayi

“Boy from heaven”
De Tarik Saleh

“Tchaikovsky’s wife”
De Kirill Serebrennikov

“Hi-Han (Eo)”
De Jerzy Skolimowski


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade