UAI
Publicidade

Estado de Minas LUTO NA MÚSICA

Foo Fighters: bateristas e músicos de MG lamentam morte de Taylor Hawkins

Instrumentista norte-americano morreu nessa sexta-feira (25/3), na Colômbia; artistas mineiros ressaltam criatividade e estilo do integrante do Foo Fighters


26/03/2022 15:44 - atualizado 26/03/2022 19:58

Baterista do Foo Fighters, Taylor Hawkins
Baterista foi encontrado morto no quarto de um hotel em Bogotá, na Colômbia, onde a banda se hospedava (foto: JAVIER TORRES / AFP)

morte do baterista da banda Foo Fighters, Taylor Hawkins, de 50 anos, na última sexta-feira (25/3), deixou fãs e músicos devastados. Para muitos músicos do rock, Hawkins era uma referência e peça fundamental para a visibilidade do estilo na atualidade.

 

Glauco Mendes, baterista do Pato Fu destacou que Taylor Hawkins e o Foo Fighters eram os grandes responsáveis por manter a chama do rock'n'roll acesa. “O rock realmente perdeu espaço na cena mundial, o que é normal. De tempos em tempos, a cena vai mudando e o rock perdeu espaço. Mas Taylor e o Foo Fighters eram os representantes dos últimos anos”, disse ele.

 

Rafael Giácomo, vocalista do Foo Fighters Cover Brasil e “irmão gêmeo” de Dave Grohl, conheceu Taylor Hawkins em um show da banda Foo Fighters, em Belo Horizonte, na esplanada do Mineirão, em 2015. “Era notável a felicidade de Hawkins em tocar e fazer aquilo que ele fazia”, lembrou.

 

Rafael Giácomo em apresentação
Rafael Giácomo é vocalista do Foo Fighters Cover Brasil e impressionava com a semelhança com o vocalista Dave Grohl (foto: Arquivo pessoal)
 

 

Giácomo ressalta que a morte do baterista vai impactar muito no mundo da música. “Ele é um cara referência para todo mundo que gosta de música, que gosta de rock. Ele conseguiu ser um dos principais de uma banda onde ele não era o principal”, afirmou.

 

Taylor Hawkins foi a maior influência para Daniel Crase, baterista da banda Daparte. O músico revelou que Hawkins é um dos principais motivos que o motivou a ser um baterista. 

 

“Todo mundo que toca bateria hoje em dia, ouviu o Taylor tocar, sabia da pegada, da técnica dele. Era um cara muito completo.”, disse.

Jean Dolabella, baterista, multi-instrumentista, produtor musical, membro da Ego Kill Talent também teve grande influência de Taylor. "Está sendo muito difícil pra mim. Ele foi um cara fundamental para o desenho do rock hoje. Ele tinha uma assinatura muito grande, muito forte de performance. Ele tocava com uma movimentação e entrega de som, de volume, de pressão muito fod*", ressaltou o músico que integrou o Sepultura por 5 anos.  

 

Após o anúncio da morte do baterista, o Foo Fighters cancelou a apresentação no Lollapalooza, em São Paulo, que estava prevista para este domingo (27/03). Segundo comunicado do festival colombiano Estéreo Picnic, onde a banda se apresentaria na sexta-feira (25/03), o restante da turnê sul-americana foi cancelada.

 

Sobre o futuro do Foo Fighters, Rafael Giácomo acredita que a banda fará uma pausa nas apresentações por um tempo.

 

“É tudo muito recente, é difícil ter uma ideia do que vai acontecer. A decisão final vai ser do Dave Grohl. Vai depender de como ele vai assimilar tudo o que está acontecendo, mas a decisão final vai ser dele”. 

 

Já Glauco Mendes avalia que Taylor Hawkins vai fazer muita falta para a música, em especial para o rock, mas que acredita que Dave Grohl fará o possível para manter a “chama acesa”, como forma de homenagem a Taylor. (Com informações de Larissa Ricci)


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade