UAI
Publicidade

Estado de Minas

'O Tom do Vinicius', gravado em 2007, chega agora às plataformas digitais

Disco de Georgiana de Moraes, Eveline Hecker e Camilla Dias reúne 15 clássicos da dupla que fez história na música popular brasileira


23/01/2022 06:00 - atualizado 23/01/2022 08:47

As cantoras Eveline Hecker, Georgiana de Moraes e Camilla Dias fotografadas lado a lado, sob o céu azul
Amizade e o amor pela música uniram o trio Eveline Hecker, Georgiana de Moraes e Camilla Dias (foto: Cafi/Divulgação)
A genial parceria de Antônio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes – marco da música brasileira – inspirou o disco de Georgiana de Moraes, Eveline Hecker e Camilla Dias, que reúne 15 canções. O trio canta, recita e conversa, assim como ocorria nos famosos shows da bossa nova.

Gravado em 2007, “O Tom do Vinícius” permaneceu inédito até agora, quando chega às plataformas de streaming. O clima é de intimidade. Eveline Hecker já havia trabalhado com Camilla Dias no show “Ponte aérea”, cantando José Miguel Wisnik. Filha de Vinicius, Georgiana é amiga de Camilla e ambas frequentavam a casa de Eveline.

VINICIUS BAR 

Georgiana de Moraes conta que o álbum digital remete ao show realizado em 2006 pelas três, no Rio de Janeiro. “Cantora há muito tempo, Eveline trabalhou com a Camilla no CD com músicas do Wisnik. Começamos a nos encontrar na casa da Eveline, e ali surgiu a nossa apresentação no VinIcius Bar. Gabriel Pinheiro, produtor musical da Biscoito Fino, foi ver o show, achou muito legal e disse que a gente tinha que gravá-lo.”

A gravadora cedeu o estúdio, a gravação foi feita em 2007, mas ficou nisso. Alguns discos físicos chegaram a sair, mas sumiram rapidamente do mercado. Até agora, quando a Biscoito Fino decidiu enviar o álbum para as plataformas. “Estamos muito contentes, pois o resultado está sendo muito bom”, orgulha-se Georgiana de Moraes.

O repertório, ela conta, foi decidido praticamente na hora do show no Vinicius Bar. “São músicas das quais a gente gosta muito. Intercalamos canções mais lentas com sambas e coisas que a gente gostava de cantar”, relembra. O processo de seleção surgiu “no sentimento mesmo”, revela.

Deu tão certo que Georgiana acredita que o trio pode gravar outros parceiros de seu pai. “Tem o Baden Powell, Carlos Lyra, Toquinho...”, cita.

Como percussionista, fez shows com Vinicius, alguns deles marcantes na carreira do compositor. “Toquei com ele em Punta del Leste, depois fizemos aquele no Canecão, a turnê. Foi muito bom. Também toquei muito com a Miúcha, minha grande amiga, e o Quarteto em Cy, geralmente homenagens ao Vinicius. Durante os shows, eu contava algumas histórias, era muito legal.”

O título “O Tom do Vinicius” veio da frase com que Jobim costumava se apresentar nos tempos em que era o desconhecido parceiro do já famoso poeta, diplomata e compositor. Ele sempre se anunciava como “o Tom do Vinicius”.

Tom Jobim toca piano ao lado de Vinicius de Moraes, que canta, em foto tirada no Catetinho, em Brasília
Tom Jobim e Vinicius de Moraes chamaram a atenção do mundo para a música popular brasileira (foto: Arquivo CB/D.A Press)

BOSSA NOVA 

Georgiana de Moraes conta que o pai gostava de relembrar o início da parceria. Quando propôs a Tom Jobim que fizessem juntos os sambas da peça “Orfeu da Conceicao??”, Vinicius nao? tinha ideia de que dava ali a largada para a bossa nova, movimento renovador da musica? brasileira.

A peça virou filme na França (“Orfeu negro”), dirigido por Marcel Camus, e deu aos franceses o Oscar de melhor longa estrangeiro, em 1960, e a Palma de Ouro em Cannes, em 1959. Os dois jamais imaginaram que se tornariam Tom & Vinicius – marca registrada da cultura do Brasil.

Participaram da gravação de “O Tom do Vinicius” Camilla Dias (piano e voz), Marcelo Costa (percussão), Eveline Hecker (voz) e Georgiana de Moraes (voz e percussão). Produção, mixagem e masterização ficaram a cargo de Gabriel Pinheiro, do Estúdio Realejo Digital. A faixa bônus “Amor em paz” foi produzida por Sacha Amback.

O TRIO

Percussionista e cantora, Georgiana de Moraes é psicanalista. Apresentou-se com Vinicius de Moraes, Wanda Sá, Miúcha, Carlos Lyra e Quarteto em Cy. A cantora Eveline Hecker fez parte do grupo vocal que acompanhava Tom Jobim. Pianista e cantora, Camilla Dias foi diretora musical do show “Marília Pêra canta Ary Barroso”, tem trabalhos com Miúcha e Quarteto em Cy, assinou arranjos e tocou piano no disco “Sandra Pêra em Belchior” (Biscoito Fino).

REPERTÓRIO

“UMA MÚSICA QUE SEJA”
De Vinicius de Moraes

“CANTA, CANTA MAIS”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“SÓ DANÇO SAMBA”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“TOMARA”
De Vinícius de Moraes

“OUTRA VEZ”
De Antonio Carlos Jobim

“MEDO DE AMAR”
De Vinicius de Moraes

“O MORRO NÃO TEM VEZ”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“SEM VOCÊ”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“BRIGAS NUNCA MAIS”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“AS PRAIAS DESERTAS”
De Antonio Carlos Jobim

“MULHER, SEMPRE MULHER”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“LAMENTO NO MORRO”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“TELECO-TECO”
De Vinicius de Moraes

“GAROTA DE IPANEMA”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

“AMOR EM PAZ”
De Antonio Carlos Jobim e Vinicius de Moraes

Quadrados coloridos formam a ilustração da capa do disco O Tom do Vinicius
(foto: Biscoito Fino/Reprodução )

“O TOM DO VINICIUS”

Disco de Georgiana de Moraes, Eveline Hecker e Camilla Dias
15 faixas
Biscoito Fino
Disponível nas plataformas digitais


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade