UAI
Publicidade

Estado de Minas SPIN OFF

Série ''Peacemaker'' aposta na fórmula tiro, sangue e (muito) escracho

Em cartaz na plataforma HBO Max, seriado derivado do filme ''O Esquadrão Suicida'' revela a boa química entre o ator John Cena e o diretor James Gunn


14/01/2022 04:00 - atualizado 14/01/2022 09:04

O ator John Cena como Pacificador em cena da série Peacemaker
John Cena vive o anti-herói cujo lema é lutar pela "paz", mesmo se para isso tiver de matar homens, mulheres e crianças (foto: HBO MAX/divulgação)

Depois do sucesso inegável do Universo Cinematográfico Marvel no streaming, a DC dá os primeiros passos para o compartilhamento de personagens entre cinema e séries. O escolhido para a empreitada foi o anti-herói Pacificador. O personagem, interpretado por John Cena, estrela a produção “Peacemaker”, a nova atração na plataforma HBO Max.

O seriado acompanha os momentos imediatamente seguintes ao final de “O Esquadrão Suicida”. O Pacificador foge do hospital em que está internado, mas é interceptado por uma equipe de operações especiais. O motivo é a nova missão de cunho secreto, nos mesmos moldes daquela para a qual foi designado no filme lançado em 2021.

A série segue a mistura de comédia escrachada, humor ácido e ação visceral que pode ser vista no último longa do esquadrão.

Tudo é muito explícito, com muito sangue, cenas de sexo, linguagem e piadas inapropriadas. Porém, esse é o tom que o personagem carrega desde a primeira interação nos filmes da DC.

“Vou trazer a paz, não importa quantos homens, mulheres e crianças terei de matar para garantir isso” é o principal bordão do personagem. A frase não deixa de ser um grande conflito, porém tudo do Pacificador é conflito.

MÁQUINA MORTÍFERA 

Criado pelo pai para ser máquina de matar, o personagem vive o dilema entre o passado manchado de sangue e a possibilidade de um futuro como herói.

A cada episódio, a escolha de John Cena para viver o protagonista se mostra mais acertada. O ator une a veia cômica do pastelão com o físico e a irreverência do WWE, modalidade de luta livre profissional.

É como se o Pacificador tivesse sido criado com base no próprio ator. A forma de falar, de lutar e de sentir o protagonista, por parte de John Cena, conferem a ele a verdade que parecia improvável para uma figura que mata em nome da paz e aceita missão suicida sem ao menos saber do que se trata.



A parceria John Cena e James Gunn é outro grande acerto. O diretor deu ao ator liberdade para viver o cômico e não se levar a sério. Poucos cineastas do ramo agiriam assim.

A série, por sinal, tem o dedo muito mais visível de James Gunn, que dirigiu “O Esquadrão Suicida”. Criado no cinema gore e de terror, mas aficionado por música e quadrinhos, o diretor acrescentou a “Peacemaker” cada um dos elementos que o fizeram gigante da cinematografia de heróis, mas sem abrir mão da própria origem.

Detalhe: a vinheta de abertura do seriado, assinada por Gunn, é uma das melhores e mais divertidas da história recente da televisão.

Além de John Cena, dois atores reprisam os próprios papéis de “O Esquadrão Suicida” no seriado. Jeniffer Holland faz a agente Emilia Harcourt, e Steve Agee o suporte de missão John Economos. Ambos ganharam muito mais importância na trama em relação ao último longa dos vilões da DC.

O elenco recebeu reforços muito interessantes. A começar pelo cômico e letal anti-herói Vigilante, personagem que também mata para combater o crime e clama ser o melhor amigo do Pacificador.

Interpretado por Freddie Stroma, Vigilante talvez seja o foco de algumas das mais divertidas e intensas cenas de “Peacemaker”.

PAI VILÃO 

Ainda no núcleo principal está o pai do protagonista, o inescrupuloso e perverso Auggie Smith, vivido por Robert Patrick. O personagem ajuda a compreender por que o Pacificador se tornou o que é.

Também têm papéis centrais Leota Adebayo (Danielle Brooks), mulher que precisa participar da missão, mas esconde um segredo que a atormenta, e Clemson Murn (Chukwudi Iwuji), o mandante da equipe encabeçada pelo protagonista.

Em seu movimento para expandir o universo do cinema para as séries, a DC acerta ao apostar nesse personagem que nada tem a perder.

Sob o comando de James Gunn, John Cena, somado ao elenco muito competente, embarca numa aventura que, mesmo completamente despretensiosa, conquista o coração do espectador e ao mesmo tempo o faz “decolar” da cadeira, com sua mistura de carisma, comédia e ação.

Se seguir no ritmo dos episódios iniciais, “Peacemaker” tem tudo para ser um dos melhores lançamentos do ramo dos heróis em 2022.

“PEACEMAKER”

Série dirigida por James Gunn. Com John Cena, Jeniffer Holland, Steve Agee, Freddie Stroma, Danielle Brooks, Robert Patrick e Chukwudi Iwuji. Primeira temporada, com oito episódios. Três deles já estão disponíveis na plataforma HBO Max.

Novas gargalhadas à vista

James Gunn está empolgado com a nova “missão” do Pacificador. Em entrevista ao site Screen Rant, o diretor revelou que se depender dele, “Peacemaker” ainda vai render – e muito.

“Temos 87 temporadas mapeadas. Sim, vamos fazer isso até John Cena e eu completarmos 150 anos”, afirmou, aos risos, destacando sua boa relação com o elenco.

“Queremos muito continuar. Era o melhor grupo de pessoas. Obviamente, eu já era amigo de John, Jenn e Steve Agee. Mal posso esperar para trabalhar com eles novamente”, disse.

Em entrevista ao site Comicbook, o ator John Cena também revelou sua satisfação com o projeto. “É ótimo. É a primeira vez que coloco um IP ou um personagem em um visual além do John Cena do WWE. Isso é muito divertido”, comentou. “É uma abordagem diferente, pois gosto de poder respirar e absorver as nuances do que está acontecendo.”

A continuação do spin-off, agora, depende da reação dos fãs, da DC Comics e dos produtores da HBO.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade