UAI
Publicidade

Estado de Minas QUADRO A QUADRO

Pintora Fátima Pena abre nesta terça-feira em BH individual com 300 obras

Trabalhos produzidos desde os anos 1990 até os dias de hoje em pequeno e grande formatos serão exibidos a partir de hoje (19/10)


19/10/2021 04:00 - atualizado 19/10/2021 07:56

Pintura de Fátima Pena
A artista comenta que sempre se dedicou aos "temas tradicionais da história da arte, a folhagem, a natureza, e as paisagens urbanas". Com 47 anos de carreira, ela começou a produzir retratos recentemente (foto: FÁTIMA PENA/DIVULGAÇÃO)

Cerca de 300 trabalhos da pintora Fátima Pena estão na individual “Flores inexatas, esquinas de sombra”, que será aberta nesta terça (19/10), na galeria de arte do Centro Cultural Unimed-BH Minas. A artista comenta que, mesmo que a área da exposição seja grande, bem como a quantidade de obras selecionadas para a mostra, quando ela entra em seu ateliê, no Bairro das Mangabeiras, “parece que não se tirou nada”.

Com 47 anos dedicados à pintura, Fátima produz todos os dias. “É por necessidade de sempre estar fazendo alguma coisa”, ela diz. A nova exposição não tem um caráter retrospectivo – é um apanhado de sua obra dos anos 1990 até a atualidade, e a maior parte dos trabalhos é recente. 

Com curadoria de Marconi Drummond e projeto expográfico de Ivie Zappellini, a mostra reúne pinturas em grandes e pequenos formatos, aquarelas, retratos, e diferentes visões de Belo Horizonte, cidade onde ela, nascida em Teófilo Otoni, radicou-se aos 17 anos. Cadernos, esboços, fragmentos, anotações gráficas, escritos também serão expostos na galeria. Complementando a exposição, no piso da galeria serão exibidas videografias. Um vídeo inédito apresenta a visão da arte sobre a paisagem urbana e a arte.

Trabalho da artista Fátima Pena


RETRATOS 


“Meus temas de hoje são os que marcam o meu trabalho desde que comecei. Na verdade, são os temas tradicionais da história da arte, a folhagem, a natureza, e as paisagens urbanas. Mais recentemente, tenho me dedicado também aos retratos, inclusive fazendo muitos autorretratos”, afirma Fátima. As telas, que eram mais coloridas no início da carreira, foram perdendo um pouco de cor. A produção atual destaca tons mais baixos, sem muito contraste.

Outra marca são trabalhos em pequenas dimensões – por isso a quantidade de trabalhos expostos. “Na década de 1990, mudei de ateliê e fiquei em um lugar em que não cabiam trabalhos grandes. Além disso, a tela pequena você pode colocar no colo, então ele acaba se tornando um trabalho mais íntimo”, diz ela.

Dessa maneira, a mostra reúne muitas telas de 20cmx20cm. “Desde que comecei a trabalhar nesse formato, tinha a ideia de juntar um ao lado do outro, como está na exposição. Uma pintura sozinha é uma coisa; quando são muitas reunidas, uma tela potencializa a outra”, acrescenta Fátima. Há também aquarelas de tamanho mínimo (7cmx7cm, 5cmx5cm).

Muitos dos trabalhos expostos foram feitos e refeitos ao longo do tempo. Isso começou casualmente. Fátima dava de pintar uma tela e, quando não gostava, a deixava de lado. Tempos depois, retomava a tela e a pintura tomava outro caminho. De acordo com ela, isso acabou se tornando um hábito. 

Trabalho da pintora Fátima Pena


GRUPO 


Outro hábito é frequentar seu ateliê (hoje localizado em sua antiga residência) diariamente, inclusive aos sábados e domingos. Fora do mercado, ela diz, mas trabalhando muito, reúne semanalmente um grupo em seu ateliê. “Sempre tive um grupo que trabalho e não é mais aula, mas um encontro de trocas”, conta ela, que em 2010 se aposentou da Escola Guignard, onde deu aulas de pintura por 24 anos.

Fátima participou de mais de 20 exposições individuais e de vários projetos coletivos. Em sua obra, se revezou na prática do desenho em bico de pena, em grafite, na aquarela, no pastel, na pintura a óleo: uma técnica interferindo na outra, num constante recomeçar.

Dedicando-se à pintura desde 1974, ela tem obras em coleções públicas da Fundação Clóvis Salgado, do Museu Histórico Abílio Barreto, do Ministério da Aeronáutica, da Universidade Federal de Viçosa, da Acesita e da Universidade Federal do Espírito Santo. Essa trajetória foi reunida pela autora no livro “Primeira pessoa” (2015, Editora Cas’a’screver).

Pintura da artista Fátima Pena


FLORES INEXATAS, ESQUINAS DE SOMBRA

Exposição de Fátima Pena. Abertura nesta terça (19/10), na galeria do Centro Cultural Unimed-BH Minas, Rua da Bahia, 2.244, Lourdes. Visitação de terça a sexta, das 10h às 20h; sábados, domingos e feriados, das 11h às 18h. Até 23 de janeiro 



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade