Publicidade

Estado de Minas LITERATURA

Ana Paula Dacota faz live para lançar o livro 'A mão é uma pista de voo'

O 'novo normal' imposto pela pandemia inspirou poemas da escritora mineira, cujos versos remetem às telas, ao mundo virtual e a conexões virtuais


10/06/2021 04:00 - atualizado 10/06/2021 07:28

Ana Paula Dacota publica o segundo livro de poemas em parceria com a editora Impressões de Minas(foto: Elena Fragoso/divulgação )
Ana Paula Dacota publica o segundo livro de poemas em parceria com a editora Impressões de Minas (foto: Elena Fragoso/divulgação )

“A mão é uma pista de voo”, livro da mineira Ana Paula Dacota, reúne poemas escritos antes e durante a pandemia. A crise sanitária e as restrições impostas por ela influenciaram boa parte deste trabalho. “O isolamento social, as perdas e a nova rotina me fizeram refletir e trazer esses assuntos para o papel”, conta a autora.

Alguns poemas não extrapolam o limite de uma página. Há também o conjunto “rarefações”, seguindo a linha concretista, com versos curtíssimos. Na última poesia de seu livro, Ana Paula se estende por três páginas.

A edição e a publicação ficaram a cargo da Impressões de Minas. Nesta quinta-feira (10/06) à noite, “A mão é uma pista de voo” será lançado durante live no Instagram da editora.

CONEXÃO
Um dos principais temas abordados por Ana Paula é a crescente influência dos meios digitais no dia a dia pandêmico. “O livro tem esse título graças a um dos poemas, que fala sobre as tecnologias que temos na palma da mão e permitem a nossa conexão com as outras pessoas”, afirma.

Em “Presídio-tela”, a mineira aborda o a nova realidade ditada pelo confinamento: “telas enquadram-me/ para trabalhar, tela/ tela pra ver tv/ na mão, tela /íris-tela/ tela na cabeça/ pensamento-tela/ em meio a/ tantas telas/ tantas projeções/ telas para amar/ amor-tela”.

Outro poema, esse sem título, diz: “a quarta camada está exposta/ sujeito sério não leva a sério/ coisas que não são sérias/ o virtual é performance/ o real é offline”.

Ana Paula destaca que nem todas poesias têm título em seu novo livro por sugestão de Elza Silveira, dona da Impressões de Minas. “Isso foi meio uma quebra de paradigma para mim, contribui para que alguns poemas falem por si só, enquanto em outros o título complementa o sentido”, explica.

A autora aborda as dificuldades impostas pela pandemia, mas destaca que o pessimismo não dá o tom a seu segundo livro de poesia.

“Um amigo, autor do book trailer, diz que meu livro é um testamento positivo deste momento que a gente está vivendo. Ele te dá um ânimo, que te põe pra cima, te motiva a fazer alguma coisa. Um outro amigo contou que não pegava no violão há sete meses, e meu convite o fez voltar a tocar”, conta a autora.


Apaixonada pela escrita desde pequena, Ana Paula revela que durante muito tempo não se levou a sério como escritora. Formada em economia, trabalhou como consultora por vários anos. No entanto, a vocação foi mais forte: estudou letras no Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (Cefet-MG) e lançou o primeiro livro, “Perfume atrás da orelha”, em 2019.

“Ainda estou aprendendo sobre esse mercado. É preciso escrever muito, conhecer pessoas, descobrir com quem a gente se encaixa. Ainda estou no começo, tenho apenas dois livros publicados, mas quero aprimorar minha escrita, escrever coisas que tenham relevância”, conclui.

(foto: Editora Impressões de Minas/divulgação)
(foto: Editora Impressões de Minas/divulgação)
“A MÃO É UMA PISTA DE VOO”

.De Ana Paula Dacota
.Impressões de Minas
.100 páginas
.Lançamento nesta quinta-feira (10/06), às 20h, no Instagram (@impressoesdeminas)
*Estagiário sob supervisão da editora-assistente Ângela Faria



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade