Publicidade

Estado de Minas ATÉ DOMINGO

Edição on-line da Semana da Canção Brasileira vai levar música para o mundo

Evento gratuito realizado em São Luiz do Paraitinga oferece shows, festival e oficinas. Céu, Anelis Assumpção, Zé Ibarra e Liniker vão se apresentar


19/04/2021 04:00 - atualizado 19/04/2021 07:28

Show de Céu será transmitido na sexta-feira, às 20h, no canal oficial da Semana da Canção Brasileira, no YouTube(foto: Fábio Audi/divulgação)
Show de Céu será transmitido na sexta-feira, às 20h, no canal oficial da Semana da Canção Brasileira, no YouTube (foto: Fábio Audi/divulgação)


Céu, Liniker, Anelis Assumpção e Zé Ibarra, cantor da banda Dônica, são as principais atrações da 6ª Semana da Canção Brasileira. O evento, que tem início nesta segunda-feira (19/4), pretende que o formato digital leve para um novo público a produção musical de São Luiz do Paraitinga, no interior de São Paulo.
 
A cidade do Vale do Paraíba, distante 170 quilômetros da capital, é conhecida como o maior patrimônio colonial do estado de São Paulo. “São Luiz tem forte produção de música popular – de raiz, com grupos de congado, até a música de vanguarda”, explica a curadora Suzana Salles.

Cantora e compositora paulistana, ela é cidadã luisense e ligada à Vanguarda Paulista. Suzana integrou as bandas Sabor de Veneno e Isca de Polícia, que acompanharam, respectivamente, Arrigo Barnabé e Itamar Assumpção.

BRAÇOS

Nascida em 2007 e com edições até 2014 – a falta de verbas e de vontade política impediram a realização do evento nos anos posteriores –, a Semana da Canção Brasileira tem diferentes braços. Os shows em si, que foram gravados para o evento; o festival da canção, com intérpretes de todo o Brasil apresentando material inédito; e oficinas.
 
“A versão on-line está muito reduzida, a começar pelo dinheiro que entrou, menos de um quinto do projeto inicial. Mas o legal é que ela terá mais visibilidade”, comenta Suzana. Para capitanear o evento, a curadora convidou quatro nomes. “O único filtro foi serem artistas da contemporaneidade com nome nacional”, informa.
 
Todos os shows foram registrados em formato reduzido, com 50 minutos, em média. “Céu está sozinha, apenas com um computador. Anelis gravou no quintal de casa, com o marido (o baterista Curumin). O Zé Ibarra fez sozinho com violão e a Liniker chamou dois músicos, os três no estúdio”, comenta.
 
Suzana criou três oficinas gratuitas voltadas para o canto, todas com inscrições abertas. “Aprendendo a cantar com a canção popular” será ministrada por Regina Machado – “professora doutora da Unicamp, ela vai tratar do ensino dentro da época da pandemia”, explica a curadora. “Teu infinito sou eu – A canção popular no século 21” ficará a cargo do compositor Sérgio Molina, coordenador da área de música da Faculdade Santa Marcelina. O compositor e musicólogo Carlos Sandroni será o encarregado da oficina “Canção popular de tradição oral no Brasil”.

LIVES

Os demais segmentos da Semana da Canção são mais ligados à cidade de São Luiz do Paraitinga. Quatro bandas locais – Los Cunhados, Quar’ De Mata, Estrambelhados e Despirocadas – participarão de lives, cada uma apresentando três músicas.
 
O festival da canção, após extensa seleção, anunciará os três vencedores desta edição. “Não classificamos uma música (como boa parte dos eventos do gênero), mas o trabalho do compositor. Cada um mandou três canções para o júri, gente do Brasil inteiro se inscreveu”, diz Suzana Salles.

“A pré-seleção foi complicada, envolveu muita pesquisa no Google e YouTube para ver quem estava apto. Desclassificamos previamente, antes de mandar 67 para o júri, porque as canções tinham de ser inéditas mesmo”, explica a curadora.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade