Publicidade

Estado de Minas MÚSICA

Criolo inaugura as apresentações em realidade estendida no Brasil

Cantor faz show neste sábado (23/01) com transmissão pelo Twitch em formato de game e com interação com cenário construído por artistas


23/01/2021 04:00 - atualizado 23/01/2021 07:43

Com saudades do público, Criolo criou na plataforma Twitch o canal Criolo TV, que ele pretende tornar mais conhecido com o show deste sábado(foto: Divulgação)
Com saudades do público, Criolo criou na plataforma Twitch o canal Criolo TV, que ele pretende tornar mais conhecido com o show deste sábado (foto: Divulgação)
Criolo caiu no gosto popular com Não existe amor em SP, faixa do álbum Nó na orelha (2011), que projetou o rapper paulistano nacionalmente. Poética, a música revelou uma nova abordagem para rap, com versos cantados e até melódicos, mas sem perder o olhar crítico, principalmente para a vida urbana.

Ao longo da última década, ela ganhou novos significados e interpretações, mas nunca deixou de ser uma espécie de homenagem à cidade, que completa 467 anos na próxima segunda-feira (25/1), comemoração que o cantor antecipa em apresentação virtual neste sábado (23/01), às 21h, via Twitch.

O show também é especial por outro motivo. Trata-se do primeiro em realidade estendida do Brasil. Por isso, recebe o nome Criolo XR. A apresentação, dirigida por Denis Cisma e Tito Sabatini, será feita num estúdio, e cada música do repertório terá uma ambientação diferente criada por artistas visuais. Além disso, o cantor irá interagir com os cenários, como se estivesse dentro de um jogo de videogame.

FASES

O repertório terá músicas de todas as fases da carreira do cantor, desde o álbum Ainda há tempo (2006) – reeditado em 2016 – até Espiral de ilusão (2017), trabalho inteiramente dedicado ao samba, sem deixar de fora o já citado Nó na orelha e Convoque seu buda (2014).

Nos últimos dois anos, Criolo tem se dedicado a consolidar parcerias com outros músicos e artistas brasileiros, como Milton Nascimento – com quem lançou o EP Existe amor (2020) –, Gal Costa, Marcelo D2, Silva e Priscila Tossan, entre outros. Apenas recentemente ele retomou a carreira fonográfica com os singles Sistema obtuso e Fellini.

O primeiro, lançado em 18 de dezembro de 2020, é fruto de uma parceria com a dupla Tropkillaz. Nele, Criolo experimenta o universo sombrio do trap e fala sobre um mundo em decomposição, no qual jovens se drogam pelo hype e pelo desespero decorrente do vazio existencial. Incendiário, o clipe da música foi a primeira experiência do artista em realidade estendida, também dirigido por Denis Cisma.

Já o segundo foi lançado no último dia 8/1 e tem produção musical orquestrada por Deekapz e Neguim. O single trata de temas como censura e extermínio cultural. ''Censura no vinho, vinagre no pano/ Seu Jorge e Waguinho no filme do ano/ Cinema Novo, Truffaut retrucando/ O herói da quebrada tá morto ou matando/ Antropofagia, hemorragia/ Vaidade vicia, favela sangrando'', diz um dos versos da música.

TV O show também é uma forma de movimentar a Criolo TV, canal que criou em junho de 2020 no Twitch, plataforma de transmissões ao vivo de vídeo, muito usada por jogadores de videogame. Além de cantar, conversar e ler versos, principalmente da mãe, a professora e poeta Maria Vilani, ele a tem usado para interagir com fãs.

A ideia de criar o canal veio de reuniões entre o cantor e sua equipe, num momento em que Criolo sentia saudades dos palcos. O canal conta com uma grade, formada por alguns quadros baseados no universo do artista, feitos de forma independente e a distância.

Entre os quadros estão o “Até me emocionei”, com leituras de poesias sociais e politicamente engajadas, com foco em poetas negras, brasileiras e da periferia, o “Existe amor”, que conta boas notícias ligadas a ações solidárias, o “Tô pra ver”, com o cantor reagindo a vídeos e conteúdos na internet, e o “Ainda há tempo”, programa de bate-papo sobre temas atuais com convidados.

De acordo com o material divulgado pela equipe de Criolo, a ideia é que o canal explore ''processos e projetos, identificando aspectos sociais, culturais e tecnológicos'' que fazem parte do processo de criação do cantor, como forma de aprendizado para ele e para o público.

Neste sábado (23/1), tudo isso culmina no CrioloXR, o que deve ser uma apresentação histórica para o universo das lives e para os fãs de música.

CRIOLO XR
• Neste sábado (23/1), às 21h (com aquecimento a partir das 20h30), )em twitch.tv/criolo. Gratuito

Jorge Aragão é uma das atrações da programação da Virada de SP, que terá 12 horas de shows (foto: Marcelo Tabach/Divulgação)
Jorge Aragão é uma das atrações da programação da Virada de SP, que terá 12 horas de shows (foto: Marcelo Tabach/Divulgação)

SP FAZ VIRADA ON-LINE

Doze horas de programação cultural com shows de diversos gêneros musicais. É o que promete a Virada SP On-line, que será transmitida neste sábado (23/01), gratuitamente, por meio do YouTube. Com início ao meio-dia e final previsto para a meia-noite, a live contará com 10 atrações artísticas.

Entre os principais nomes da programação está Jorge Aragão, que se apresenta às 17h30 com o repertório do álbum Jorge 70: Ao vivo em São Paulo (2021), lançado na última sexta-feira (22/1). Trata-se do registro do show retrospectivo da turnê que celebrava os 70 anos do cantor, compositor e músico carioca.

O repertório do trabalho não é novidade. Desde setembro de 2020, o artista vem apresentando uma série de quatro EPs que culminaram no álbum completo. Entre as faixas estão Moleque atrevido, Do fundo do nosso quintal e Coisinha do pai.

Mais cedo, às 13h, quem se apresenta é a cantora, produtora e compositora Iara Rennó, que em 2020 lançou o álbum Afrodisíaca, com participações de Arnaldo Antunes, Tete Espindola, Elza Soares, Anelis Assumpção, entre outros.

Outra atração da Virada SP é o músico Marcelo Falcão, ex-vocalista do grupo O Rappa, cujo show será transmitido às 21h. Brisa Flow, rapper de origem indígena, se apresenta às 22h30. Quem encerra a noite é Da Ghama, às 23h30, um dos fundadores do Cidade Negra.

VIRADA SP
• Sábado (23/1), das 12h à 0h, via YouTube. Com Jorge Aragão, Marcelo Falcão, Iara Rennó, Brisa Flow e banda, Da Ghama, Banda 4 Cilindros, Walkiria Panicali, Milton Rodrigues, Juliar e Nanne e Rogério.

Ava Rocha e o Boogarins se apresentam juntos pela primeira vez no festival Coquetel Molotov(foto: Ana Alexandrino/Divulgação)
Ava Rocha e o Boogarins se apresentam juntos pela primeira vez no festival Coquetel Molotov (foto: Ana Alexandrino/Divulgação)

COQUETEL MOLOTOV LIBERA SHOWS

Desde 11 de janeiro, o festival Coquetel Molotov realiza sua 17ª edição totalmente on-line, promovendo encontros, workshops, mentorias e oficinas. Tudo isso culmina em uma série com shows inéditos cujo segundo episódio vai ao ar neste sábado (23/1), a partir das 21h, pelo YouTube.

Nela, estão registradas apresentações das cantoras Alessandra Leão, Jup do Bairro e Lia de Itamaracá – a Carmelita de Bacurau (2019) –, além do encontro inédito entre a banda Boogarins e a cantora Ava Rocha. Há também apresentações de Aretha Sadick, Bell Puã, Derek, Hronir, Martins e Test.

Seguindo os protocolos sanitários, os shows foram previamente gravados e ganharam tratamento cinematográfico pelas mãos dos diretores Maria Clara Villas, Rodrigo Tamassia e Daniel Edmundson.

O primeiro episódio, disponível no YouTube, foi ao ar na noite da última sexta-feira (22/01) e teve como atrações Amaro Freitas, Avoada, Bella Kahun, Luiz Lins, Miãm, Thelmo Cristovam e Tuyo.

COQUETEL MOLOTOV – A SÉRIE, 2º EPISÓDIO
• Sábado (23/1), às 21h, via YouTube. Com Alessandra Leão, Jup do Bairro, Lia de Itamaracá, Boogarins e Ava Rocha, Aretha Sadick, Bell Puã, Derek, Hronir, Martins e Test.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade