Publicidade

Estado de Minas LITERATURA

Revista 'Quatro Cinco Um' lista os melhores livros de 2020

'O avesso da pele', 'A razão africana', 'Para o meu coração num domingo' e 'A alma perdida' estão entre os títulos indicados por colaboradores da publicação literária


01/12/2020 04:00 - atualizado 01/12/2020 07:22

Em O avesso da pele, Jeferson Tenório aborda o racismo estrutural no Brasil (foto: Carlos Macedo/divulgação)
Em O avesso da pele, Jeferson Tenório aborda o racismo estrutural no Brasil (foto: Carlos Macedo/divulgação)
Para elaborar a lista dos melhores livros lançados em 2020, a revista literária Quatro Cinco Um solicitou a cerca de 200 colaboradores a indicação de títulos que marcaram este ano. “Convidamos todos eles a nos enviar sua seleção dos favoritos e fizemos uma contagem. Não é uma coisa matemática, é mais uma coisa do coração”, explica Paulo Werneck, um dos editores e fundadores da revista, lançada em 2017.

Publicada na edição de dezembro, a seleção de 2020 tem O avesso da pele, de Jeferson Tenório, como o melhor livro de ficção. “Ele conta a história de um professor espancado em Porto Alegre, devido ao racismo. É um livro que marca este ano, como os nossos críticos reconheceram”, comenta Paulo Werneck.

O destaque da categoria não ficção é A razão africana: Breve história do pensamento africano contemporâneo, de Muryatan S. Barbosa. O livro de poemas Para o meu coração num domingo, de Wislawa Szymborska, também está na lista. O título infantojuvenil escolhido foi A alma perdida, de Olga Tokarczuk, enquanto Bruno Latour se destaca na categoria divulgação científica com Diante de Gaia: Oito conferências sobre a natureza no Antropoceno.

A capa de dezembro da Quatro Cinco Um é assinada por Laerte Coutinho. “Este ano, ao invés da distopia, a Laerte fez uma utopia. O desenho tem criaturinhas minúsculas fazendo uma espécie de festa de verão, lendo livros, festejando, tendo contato físico. Neste momento em que a distopia se tornou real, em que estamos vivendo esse desastre, podemos sonhar com a utopia”, comenta Werneck.

O editor diz que a lista ganhou caráter especial neste ano de pandemia. “Muitos lançamentos importantes ficaram escondidos por causa do fechamento das livrarias. Muito livro bom perdeu a oportunidade de ter evento de lançamento”, lamenta.

Paulo Werneck acredita que o período de isolamento social ampliou a importância da literatura na vida das pessoas. “O mercado editorial tem enfrentado graves crises, mas este ano houve crescimento nas vendas. Você vê que as pessoas recorreram à literatura para entender a pandemia. Ninguém da nossa geração tinha passado por isso”, observa.

Neste período, a revista também viu o número de assinantes se ampliar. “Leitores que compravam nas bancas passaram a assinar on-line, eles querem ajudar o projeto”, diz. A publicação, em campanha para conquistar novos assinantes, lançou o plano Entusiasta, em que o “leitor mecenas” apoia o projeto da Quatro Cinco Um.

“É um projeto criado para espalhar o livro na sociedade brasileira, pois qualquer problema que se tenha no Brasil, os livros podem ajudar – a questão da pandemia, da educação, por exemplo. São mil livros sendo escritos que podem nos ajudar a achar uma solução”, defende. “Vamos tirar nossos conhecimentos mais dos livros e menos das listas de WhatsApp da família”, conclui

QUATRO CINCO UM 
Assinaturas a partir de R$ 15 (mensal) e R$ 274 (anual). Informações: www.quatrocincoum.com.br


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade