Continue lendo os seus conteúdos favoritos.
Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Tormentos modernos

Depressão e ansiedade andam sempre juntas


postado em 26/12/2018 05:04

Tenho feito o que posso para me livrar da tal da ansiedade que cola na depressão. O neurologista que me atende, Francisco Cardoso, tem fama no mundo inteiro e está fazendo o que pode. Mas a danada da depressão e a ansiedade são pragas da vida moderna. Muitos são os que aproveitam a mudança do ano para sonhar com esperança, prosperidade e expectativas positivas. A época sugere chances de recomeçar, de fazer tudo diferente e melhor. Novas promessas, novos planos... E aí vem a ansiedade a todo vapor, especialmente para pessoas que já têm a propensão.


O anseio por renovação, seja no lado pessoal ou profissional, pode desencadear a sensação de preocupação excessiva, desconforto e angústia. Dependendo do grau de ansiedade, a mente não para de martelar pensamentos ruins e negativos. Típico da pessoa extremamente insegura, que costuma pensar em muitas coisas ao mesmo tempo, sempre com um toque de pessimismo. E o que fazer para controlar essa inquietação, evitar o desgaste e tentar relaxar?


Uma das tendências da pessoa ansiosa é querer fazer várias atividades simultaneamente. Com isso, ela se “atropela” e não consegue finalizar nada, gerando mais agonia. Querer dar conta de tantas coisas ao mesmo tempo é um chamariz para a ansiedade. Evite marcar milhões de compromissos e foque naquilo que for prioridade. A mente e o corpo agradecem.


Outro ponto importante é a ingestão de bebida alcoólica. O álcool é um depressor do sistema nervoso central. Uma droga psicoativa que altera a percepção da pessoa, pois bloqueia a transmissão de mensagens dos receptores nervosos para o cérebro. Quando a pessoa bebe, sente-se relaxada, pois sua percepção diminui. No entanto, o consumo regular reduz os níveis de serotonina no cérebro, um dos neurotransmissores responsáveis pela sensação de prazer e bem-estar. Sendo assim, o álcool agrava a ansiedade e, principalmente, a depressão. Mesmo fazendo parte das celebrações de fim de ano, o ideal é evitar a bebida alcoólica. Ou, ao menos, não exagerar. Uma boa (e simples) dica para diminuir a ansiedade é fazer, diariamente algo que lhe proporcione prazer e alegria. Seja ouvir música, ler um livro, caminhar, meditar, assistir a um filme, praticar atividade física... Se a depressão der uma chance.


Outro drama dessa situação é a privação do sono. Prejudicial para qualquer um, é ainda pior para os mais ansiosos e deprimidos. Dormir mal ou pouco pode causar sonolência excessiva diurna, mau humor, fadiga, falta de atenção, dificuldade para retenção de informações novas e queda de produtividade. Portanto, mude sua rotina à noite. Comece a se deitar sempre no mesmo horário, se possível. Evite qualquer tipo de iluminação no quarto. Quando não há luz, a retina envia informações para uma região do cérebro, o hipotálamo, que manda uma mensagem até o epitálamo, fazendo com que a glândula pineal libere melatonina, neuro-hormônio que faz parte do nosso ritmo biológico, promovendo o sono na ausência de luz.


Outro exemplo é o barulho. Os ruídos ativam o sistema nervoso central e dificultam o indivíduo a entrar nos estágios iniciais do sono. Já a alimentação deve ser mais leve à noite, para que a digestão, mais lenta nesse horário, não prejudique o sono. Bebidas à base de cafeína e álcool são estimulantes, fazendo com que a pessoa tenha insônia ou uma noite maldormida.


Publicidade