Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Gratidão significa sabedoria para aceitar o caminhar pela vida

O homem é um ser insatisfeito por natureza, mas a gratidão começa por poder respirar todos os dias


09/01/2022 04:00 - atualizado 09/01/2022 13:26

Homem contemplando o pôr do sol
A sabedoria de ser grato pode ser aprendida (foto: Pixabay)
A gratidão é a memória do coração”, é o que pensava Antístenes, filósofo grego. Há quem acredite que “o quão feliz é uma pessoa depende da profundidade de sua gratidão”, frase sem autoria confirmada. Aí estaria o segredo da tal felicidade, obsessão da humanidade, ainda mais nos tempos atuais.

Certamente cada um tem sua definição, mas, mais do que falar a respeito, a sabedoria está em sentir, praticar, compartilhar, retribuir, reconhecer e aceitar e ser grato pelo que tem e recebe da vida, alegrias e tristezas, para aí sim passar a ser mais feliz.

O que torna tudo mais difícil e complicado é que o ser humano é insatisfeito por natureza, teima em guardar mais os fatos negativos do que os positivos. Mas 2022 chegou e o calendário está em branco para novos rumos, trajetórias, com o livre arbítrio à disposição.

Querendo ou não, agindo ou não, lembre-se que há sempre uma escolha. Se não decide, há quem faça por você, alguém ou o próprio movimento da vida.
 
Gisélia Araújo Costa, de 96 anos, em oração na igreja
Gisélia Araújo Costa, de 96 anos, ensina que ser grata nos traz muitos benefícios com a graça de Deus. Ela nos ajuda na vida (foto: Arquivo Pessoal)
Gisélia Araújo Costa, de 96 anos, mãe de oito filhos, é daquelas pessoas ternas, em que a voz o conquista pela empatia e lucidez, e, ao revelar seus pensamentos, a recomendação é parar, escutar e, se possível, procurar colocar em prática. “Gratidão é uma palavra difícil de ser definida porque abraça muitos sentimentos. É um valor, acredito. E começa com o perdão a si, ao outro e à vida.”

Para ela, a vida é um presente de Deus e a gratidão está intrínseca. “Ser grata nos traz muitos benefícios com a graça de Deus. Ela nos ajuda na vida. É uma postura que colabora para o melhor da nossa vida e também com a do próximo”, afirma.

Gratidão é uma palavra difícil de ser definida porque abraça muitos sentimentos. É um valor, acredito. E começa com o perdão a si, ao outro e à vida

Gisélia Araújo Costa, de 96 anos

A gratidão é um modelo mental, é como se cada um reprogramasse o cérebro com efeitos duradouros do ser grato. É, em vez de reclamar que a comida estava ruim, agradecer o fato de ter comida à mesa tendo ciência de que milhões no mundo não têm. Exercitar a gratidão ativa áreas do cérebro que liberam substâncias como dopamina e ocitocina, que produzem sensação de bem-estar.

E, com a prática diária, seguramente sua percepção será mais positiva da vida. E em pessoas que cultivam o sentimento de gratidão é observado uma maior ativação no córtex pré-frontal, a área do cérebro associada à tomada de decisões e recompensa social. Efeitos comprovados em várias pesquisas e estudos de psicólogos americanos.

Gisélia lembra que a gratidão precisa estar presente em todos os momentos. “Se Deus permite que aconteça, temos de ser gratos, seja no sofrimento, na dor profunda ou diante de um presente maravilhoso porque o mesmo Deus, ao mesmo tempo, nos dará força para superarmos tudo. Ele só permite o que conseguimos carregar.”

Mais felicidade, menos doenças físicas, controle da saúde mental, conquista do bem-estar e melhor qualidade de vida. Quem não quer ser beneficiado com ganhos tão importantes? Gisélia não só usufrui dessas benesses como também espalha a dádiva da gratidão por aí: “Procuro repassar, transmitir para meus filhos os bons valores, a gratidão entre eles. Além de ensinar, tem de ser exemplo. A aprender não é só na fala, é importante que vejam acontecendo”.

Não tem idade para ser grato, mas é natural que a maturidade, o passar dos anos amplie o entendimento e aplicação da gratidão. À medida que vivemos, um dia após o outro, acumulamos experiência e daí sabemos que tanto a alegria imensa como a dor profunda precisamos entender, aceitar e essa compreensão vem com o amadurecer do viver.

 
GENEROSIDADE E COMPAIXÃO 

Mulher de braços abertos no meio de um jardim de flores amarelas
Gratidão é uma forma de viver feliz, de perceber a felicidade (foto: 4653867/Pixabay )


A psicanalista Andréa Ladislau destaca que a gratidão faz parte dos sentimentos relacionados com a bagagem de vida e os valores aprendidos pelo indivíduo. Ela pode ser aprendida, pois, também tem uma correlação com o caráter do ser humano. O sentimento de gratidão atrela consigo muitos outros sentimentos positivos.

A saúde física e mental é alterada pelo nível de gratidão que mantemos diante da vida. Ou seja, nossos níveis de bem-estar e felicidade passam pelo sentimento de gratidão

Andréa Ladislau, psicanalista

Conforme a doutora em psicanálise, a gratidão influencia na saúde mental: “Certamente que sim. Nossa saúde mental é impactada positivamente por esse sentimento. Ser gentil é uma atitude altruísta que auxilia e muito no sentimento de bem-estar e na produção dos chamados hormônios do bem. Assim como a gratidão também auxilia nessa produção. Ela promove o estímulo neural que libera a produção de hormônios propiciando uma sensação de prazer. Hormônios como a oxitocina, endorfina e a serotonina”.

Segundo Andréa Ladislau, orientados por essas premissas, não podemos deixar de pontuar os aspectos relevantes desses benefícios para a saúde como um todo, já que uma vez que o sistema imunológico está fortalecido por uma onda de hormônios do bem, sem dúvida, teremos uma consequente elevação de melhoria do sistema imunológico, diminuindo os riscos de doenças e também possibilitando o prolongamento da vida, já que também teremos uma maior produção das células de defesa do organismo.

Portanto, enfatiza Andréa Ladislau, gentileza e gratidão contribuem de forma positiva para equilibrar o sistema emocional. “Desta maneira, a saúde física e mental é alterada pelo nível de gratidão que mantemos diante da vida. Ou seja, nossos níveis de bem-estar e felicidade passam pelo sentimento de gratidão. Dizer obrigado de forma consciente, reconhecendo o desprendimento do outro, abre portas para o nascimento de relações. O sentimento de gratidão interfere nos níveis de generosidade e compaixão, indispensáveis à construção de relacionamentos saudáveis.”

 Andréa Ladislau, psicanalista
A psicanalista Andréa Ladislau afirma que a gratidão faz parte dos sentimentos relacionados com a bagagem de vida e os valores aprendidos pelo indivíduo. E pode ser aprendida, pois, tem uma correlação com o caráter do ser humano (foto: Arquivo Pessoal)
Andréa Ladislau reforça que, mesmo na perda, na tragédia, nas decepções, é possível aplicar a gratidão. Mesmo em momentos difíceis precisamos ser gratos, pois em cada situação de vida que enfrentamos, sejam elas boas ou ruins, existe algum tipo de aprendizado, algo a reconhecer e trabalhar dentro de nós. O aspecto altruísta favorece o reconhecimento de nossas fraquezas e também fortalezas, explica.

“Afinal, somos um ser único e em constante evolução. Quem age deixando a gratidão falar mais alto, sem dúvidas, conseguirá colher os frutos positivos dessa ação. Os benefícios são inúmeros, além de contribuir para um empoderamento pessoal do indivíduo que passa a se enxergar como uma pessoa melhor, capaz de ter um maior entendimento e compreensão dos diversos desafios que venha a enfrentar em sua trajetória de vida, ampliando inclusive, sua consciência enquanto um ser humano repleto de complexidades.”

E na balança da gratidão, outro sentimento tem peso importante para Gisélia: a fé. “Tem que ter e reafirmar. A fé também nos faz gratos e precisamos aumentá-la, nos ajuda a crescer na vida, a sermos melhores e compreensivos diante das tribulações que passamos”. E como já destacou o guru indiano Osho, “a menos que você aceite com gratidão tudo o que a vida traz, você está deixando escapar o sentido”.







receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade