Publicidade

Estado de Minas conta-gotas

Controle o uso de óleo de coco na dieta


20/06/2021 04:00




(foto: Fotos: Pixabay )
(foto: Fotos: Pixabay )


O óleo de coco é usado para temperar, cozinhar e para estética. Com tantos benefícios, é difícil acreditar que o óleo de coco não é saudável, porém a médica Bruna Laudano Manes, especialista em endocrinologia, do Instituto Santa Rosa, alerta: "É preciso cuidado ao incluir o óleo de coco na dieta". Ela pontua que o uso da iguaria é uma boa alternativa, mas é preciso se atentar ao consumo para usufruir melhor os componentes. "O óleo de coco é um tipo de gordura saturada, ou seja, causa o entupimento de veias, aterosclerose, aumento do colesterol, obesidade e problemas cardíacos. Se usado em pequenas quantidades, os benefícios serão visíveis", diz. Ela acrescenta: “Em excesso, problemas com obesidade podem surgir. Esse tipo de gordura é processado com rapidez, mas causa acúmulo de gordura no corpo caso a ingestão calórica seja maior do que o gasto", explica. Pessoas com problemas cardiovasculares e colesterol alto devem evitar o consumo.


Aposte em produtos com niacinamida

Ativos com multibenefícios são ícones da skincare, pois, com um único produto, é possível tratar várias necessidades da pele. “Esse é o caso da niacinamida, que age na proteção e recuperação da barreira cutânea, é hidratante e clareadora e atua contra o envelhecimento”, explica a dermatologista Andrea Frange, que cita os benefícios. Confira:

Tem alto poder antioxidante
Atua no combate de radicais livres – moléculas que estimulam a perda de colágeno –, o que melhora a aparência de rugas, linhas de expressão e elasticidade, fazendo com que a pele fique mais viçosa e iluminada.
 
Tem ação clareadora
A niacinamida é aliada no clareamento de manchas que podem surgir por diferentes causas, até mesmo o melasma. Além de combater a hiperpigmentação e uniformizar o tom da pele, ela age de forma preventiva e pode ser aplicada em todos os tipos de pele.
 
Hidrata a pele
As propriedades da niacinamida estimulam a síntese de ceramidas naturais. Esse processo fortalece a barreira cutânea e cria uma camada protetora que evita a perda de água, promovendo a hidratação da derme e impedindo quadros de ressecamento.
 
Reduz a oleosidade
Tem propriedades anti-inflamatórias que equilibram a secreção sebácea.
 
Como usar a niacinamida?
Por ser um ativo superversátil, a niacinamida pode ser encontrada em vários produtos de uso tópico. É o caso dos protetores solares, séruns, cremes e máscaras faciais.
 
 
 
 

Métodos preventivos contra gripe


A Campanha de Vacinação contra Gripe teve início no Brasil em abril. Nelson Tatsui, diretor técnico do Grupo Criogênesis e hematologista do HC-FMUSP, explica que a doença se manifesta pela irritação na garganta, tosse seca e congestão nasal e pode evoluir para febre, dor no corpo e expectoração. “Os sintomas são similares aos do coronavírus, mas para a gripe existe controle preventivo. A vacina se torna importante para reduzir a circulação do Influenza e o número de hospitalizações, e facilitar o diagnóstico da COVID-19 por exclusão”, aponta. Segundo ele, o Influenza passa por mutações, impedindo a erradicação. Com isso, o imunizante é fortalecido e modificado todo ano. “O vírus fica ativo o ano inteiro, mas a diminuição da temperatura e da umidade do ar e a poluição favorecem a transmissão”, afirma. Sinusite, otite e pneumonia também são características do inverno e podem ser complicações da gripe. O médico pontua que a prevenção é importante para evitar a contaminação. “Lavar as mãos, manter-se hidratado e evitar lugares sem ventilação estão entre os cuidados. A vacina é fundamental para se proteger.”


Biocor Instituto recebe nova 
certificação ISO 45001 

O Biocor Instituto obteve a certificação do seu sistema integrado de gestão na ISO 45001:2018. A ISO 45001 é uma norma de referência internacional para o sistema de gestão de saúde e segurança ocupacional (SST). Desde 2008, o Biocor mantém o sistema de gestão de saúde e a segurança com base na OHSAS 18001, que apresenta aspectos semelhantes, mas agora, com essa novidade, a instituição passa a adotar a estrutura presente em todas as normas de sistemas de gestão ISO. O contexto organizacional da instituição leva em conta as expectativas das partes interessadas na gestão da saúde e segurança ocupacional, de modo a proteger os trabalhadores e outras pessoas sob seu controle. “Desse modo, a direção expressa o agradecimento a todos por mais esta importante conquista, reiterando o compromisso do Biocor Instituto com o aprimoramento contínuo e o fortalecimento de suas práticas de saúde e segurança organizacional dentro do seu sistema integrado de gestão, tendo sempre ‘A vida como valor maior’”, ressalta Erika Vrandecic, diretora do Biocor.
 
 
 
 

Superdotação: como identificar?


O Censo Escolar do Ministério da Educação mostra que o Brasil tem mais de 19.699 alunos com superdotação na educação básica. Mas, como saber se uma criança tem altas habilidades? Danielle H. Admoni, psiquiatra, explica que a superdotação, normalmente, é detectada pelos pais. Sinais que chamam atenção são: curiosidade incomum, comentários lógicos e interesses peculiares. Ao contrário do que muitos pensam, as altas habilidades não são identificadas pelo QI elevado. “Nem todas as crianças respondem bem a esses testes”, diz. Segundo ela, é preciso ter avaliação neuropsicológica e levantar variáveis. “Uma etapa importante é a entrevista com a criança”, diz. Os sinais a serem observados são:
l Aprender a ler cedo e com muita facilidade
l Gostar de conversar com pessoas mais velhas
l Fazer perguntas muito reflexivas e existenciais
l Emitir opiniões rapidamente
l Preocupar-se com questões sociais
l Não gostar de tarefas rotineiras e ficar entediado facilmente
l Mudar de interesse por atividades rapidamente e com frequência
l Parecer um radar: está sempre atento a tudo, principalmente ao que as pessoas fazem e falam






Calvície e COVID-19


Cientistas seguem investigando os efeitos da COVID-19 e a ação do vírus. Entre as variáveis, os especialistas analisam a relação da calvície com a gravidade da doença. Para quem não conhece o mecanismo da calvície, Jackeline Alecrim, especialista em cosmetologia avançada, explica que a alopecia androgenética (AAG) é uma condição dermatológica genética que atinge homens e mulheres e se manifesta pela perda progressiva dos cabelos. Recentemente, estudo realizado pela Academia Europeia de Dermatologia e Venereologia (EDAV) apontou maiores riscos de complicações por COVID-19 em homens que têm calvície. A pesquisa mostra que as internações de homens calvos chegaram a 79% no grupo do estudo, quando o previsto era que não ultrapassasse 31,53%. “A relação entre a calvície e o agravamento da COVID em calvos ainda não foi elucidada. A hipótese é que o aumento de sensibilidade em receptores androgenéticos, ocasionado pelas variações genéticas da calvície, afete uma enzima chamada TMPRSS2, relacionada ao COVID-19”, diz.


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade