Publicidade

Estado de Minas ALIMENTAÇÃO SAUDÁVEL

Ervas e especiarias são aliadas para reduzir o consumo de sal

É preciso atenção para evitar armadilhas como saleiro à mesa, não ler os rótulos, produtos congelados, embutidos e ultraprocessados


16/05/2021 04:00 - atualizado 16/05/2021 10:35

A nutricionista Junia Bethonico compartilha uma receita de sal de ervas para que todos possam reduzir o sódio do sal que vai para a mesa (foto: Arquivo Pessoal)
A nutricionista Junia Bethonico compartilha uma receita de sal de ervas para que todos possam reduzir o sódio do sal que vai para a mesa (foto: Arquivo Pessoal)
Saúde com prazer é o lema de vida e profissional da nutricionista Junia Bethonico, da Clínica de Nutrição Saúde com Prazer. E, para ela, prazer é sabor. É comida de verdade com suas cores, aromas e texturas.

Por isso, quando se trata do sal, da quantidade ideal e segura para o consumo sem prejudicar a saúde, ela é bem criteriosa e adepta do que pode substituí-lo ou de receitas em que o sódio possa ser reduzido: “Cada alimento nos proporciona uma experiência. Quando falamos do sal, não podemos colocá-lo simplesmente como um vilão da saúde. Como sempre digo, os excessos são os verdadeiros culpados”.

Junia Bethonico enfatiza que o sal na quantidade adequada aumenta os movimentos peristálticos dos intestinos, contribuindo para uma boa digestão/absorção.

“O sal também ajuda na produção de energia, além de ser muito importante para quem pratica mais de uma hora de exercícios físicos, já que ajuda a repor o sódio perdido com o suor. Porém, em excesso pode levar a quadros de hipertensão arterial, doenças cardiovasculares, renais e outras, que estão entre as primeiras causas de internações e óbitos no Brasil e no mundo.”

Como tudo é equilíbrio, Junia compartilha uma receita de “Sal de ervas” para que todos possam reduzir o sódio do sal que vai para a mesa: basta processar na mesma medida sal marinho, alecrim desidratado, manjericão desidratado e orégano. Depois, é só armazenar o sal de ervas em um pote de vidro e utilizá-lo como substituto do sal em qualquer preparação.”

Recentemente, a nutricionista conclui um projeto, entregando de forma gratuita 11 e-books (forms.gle/UDbYkNBKfg2G1T3t5) com conteúdo bem-elaborado visando motivar a prática da alimentação saudável, saborosa e cheia de prazer. Todos estão à disposição em seu Instagram (https://www.instagram.com/juniabethonico/hl?=pt-br) e, no volume 2 da série, Junia Bethonico ensina como fazer marinados.

“A marinada é uma técnica culinária que consiste em colocar um alimento, geralmente uma peça de carne, numa mistura de água, temperos e algum componente ácido, como o vinho. Os ingredientes podem marinar desde alguns minutos até várias horas. Para uma boa marinada é importante incluir sempre um elemento de acidez, como o vinho, mais os aromas dos vegetais frescos como a cebola, salsão, cenoura e as ervas frescas que darão o perfume. O tomilho, alecrim, a salsinha, folhas de louro, alho e grãos de pimenta também podem ser utilizados para realçar o sabor dos alimentos.”

COMO REALÇAR O SABOR DOS ALIMENTOS?*

Gengibre: ideal para temperar carnes, peixes, sopas, frutos do mar e também saladas(foto: Ajale/Pixabay )
Gengibre: ideal para temperar carnes, peixes, sopas, frutos do mar e também saladas (foto: Ajale/Pixabay )

A receita é fazer bom uso das especiarias, que são temperos naturais, não trazem danos à saúde e ainda podem gerar inúmeros benefícios

1 - Cebolinha
A cebolinha é aquela erva coringa. Vai bem em diversos pratos: em omeletes, sopas, vinagretes, molhos e alguns pratos preparados com carne ou peixe. Rica em vitaminas A e C, potássio, cálcio e fósforo. Ela também ajuda na digestão, é antioxidante e melhora a circulação sanguínea.

2 - Alecrim
Pode ser usado para temperar carne suína, batatas, arroz e pães. Como aromatizante, pode ser usado no cozimento de massas ou, ainda, ser colocado em azeites. O sabor é incrível! O alecrim é rico em vitamina A e vitaminas do complexo B. Além de minerais como fósforo, cálcio e potássio. Ele também é antioxidante e antimicrobiano. Ajuda na digestão, combate o cansaço físico e mental. Alecrim é alegria!

3 - Hortelã
Pode ser usada como tempero para carnes, sopas, saladas, quibe, tabule e pratos árabes. Uma erva de perfume intenso, tem uso como aromatizante de bebidas como água e sucos. Um chá de hortelã, além de prazeroso, ajuda na digestão. A erva contém vitaminas A, B, C e minerais como cálcio, fósforo, ferro e potássio. Ela age, também, como descongestionante e sua infusão é indicada no tratamento de gripe.

4 - Limão
Melhor do que fazer uma comida saborosa é dar aquele toque final que faz toda a diferença. O limão, além do seu delicioso suco, é um excelente tempero para saladas, aves e peixes. Pode ser usado para amaciar carnes ou quebrar um pouco a gordura de alguns alimentos. Ele facilita a digestão, aumenta as defesas do organismo. O limão também é fonte de potássio, que auxilia no controle da pressão arterial.

5 - Pimenta
Existem diferentes tipos de pimentas e seus graus de ardência são bem variados. As pimentas têm diversos benefícios para a saúde e deixam os pratos ainda mais gostosos. Ela ajuda na redução do colesterol no sangue, melhora o sistema imunológico, auxilia na digestão, na eliminação de bactérias nocivas ao organismo e na circulação sanguínea. E ainda tem ação termogênica.

6 - Gengibre
Ideal para temperar carnes, peixes, sopas, frutos do mar e também saladas. Por seu forte e singular sabor, pode ser usado como aromatizante de água, sucos e chás. Contém potássio e vitamina B3. Auxilia na imunidade, no tratamento de gripes, resfriados e tosse. Diminui a congestão nasal e cólicas menstruais. Como fitoterápico, é um auxiliar no processo de emagrecimento.

7 - Salsinha
Tão curinga quanto a cebolinha, pode ser utilizada em sopas, saladas, peixe, carnes, omeletes e legumes. Rica em vitaminas A, B3 e C e bioflavonoides. Apresenta também cálcio e potássio. Alivia os sintomas da bronquite, asma, cólicas menstruais e cistite.

8 - Manjericão
Use em carnes, peixes, sopas, massas e molhos de tomate, pesto e como aromatizante de vinagres. O manjericão é rico em vitaminas A e C e minerais como cálcio e potássio. Ajuda a combater vômitos, cólicas intestinais e diarreias.

9 - Coentro
Tempera e cai muito bem em caldos de peixe, frutos do mar, sopas, molhos e massas. É rico em potássio e vitaminas C e A. Seus óleos essenciais ajudam na digestão.

10 - Cebola
A cebola realça o sabor dos alimentos e também melhora a circulação sanguínea, previne o envelhecimento das artérias e é rica em potássio, que ajuda no controle da pressão arterial. Ela também funciona como aliada no combate a problemas respiratórios e ainda combina com quase todos os tipos de pratos.

11 - Alho
Um dos principais temperos, o alho está presente em quase todas as cozinhas. O seu sabor pode variar do forte e pungente ao suave e doce, dependendo da técnica de preparo. Tem um aroma e sabor inconfundíveis, por causa da alicina, que é liberada quando os dentes de alho se rompem. Além de deixar os pratos muito mais saborosos e combinar com diversos alimentos, o alho tem ação hipotensora, vasodilatadora e sudorífera. Esse tempero também estimula funções respiratórias, reduz a taxa de colesterol total e triglicerídeo no sangue e elimina toxinas e bactérias patogênicas.

*Fonte: Nutricionista Junia Bethonico

SAIBA USAR AS ESPECIARIAS*

Experimente as especiarias, você descobrirá sabores incríveis (foto: Ajale/Pixabay )
Experimente as especiarias, você descobrirá sabores incríveis (foto: Ajale/Pixabay )


  • Açafrão: é um dos temperos em pó mais conhecidos e utilizados na hora de cozinhar. O autêntico açafrão é muito caro – é preciso colher cem mil flores para conseguir 5 quilos da especiaria. Ele é o tempero-base da paella, do risoto milanês. Além de ser utilizado também na galinhada, em alguns chás pelo seu poder anti-inflamatório e até mesmo como tempero para frangos e peixes.
  • Cardamomo: tem o negro, usado em preparações com curry, e o verde, bastante utilizado em pratos do Oriente Médio e da Índia. Na Europa, o tempero é mais usado em confeitaria.
  • Cominho: bastante usado para carnes, é preciso tomar cuidado em preparações na frigideira, pois o tempero queima rápido.
  • Cúrcuma: a prima do gengibre é conhecida como açafrão-da-terra, apesar de não ter o sabor e aroma do açafrão verdadeiro. De sabor picante, é muito usada em curry de peixes, frutos do mar e picles, e no frango ensopado mineiro.
  • Curry: é uma mistura de coentro, cominho, feno-grego, alho, gengibre, canela, cravo, cúrcuma, cardamomo, pimenta-do-reino e pimenta vermelha. Na Índia,usa-se uma mistura específica para cada prato, chamada masala, que muda de acordo com a região  do país e até de família para família.
  • Erva-doce: a erva-doce é um ótimo tempero caseiro para dar aquele sabor mais docinho aos seus pratos. É uma boa opção para usar em carnes de porco, saladas e chás. Além de ser usada como tempero, você também pode servir a erva-doce como petiscos para suas festas, fazendo-a em conserva ou assada.
  • Mostarda: a forma mais comum é em pasta, mas as melhores mostardas são feitas com as sementes.
  • Noz-moscada: ideal para usar em preparações com queijo, batatas, creme de leite, suflês e brownie. Rale na hora em que for usar.
  • Páprica: é um dos temperos em pó que podem ser encontrados em duas versões, ou seja, a doce e a picante, que dão toques diferentes na sua comida; as duas versões são feitas com pimentas vermelhas. Com ela, você pode fazer pratos como batata-doce com páprica picante, anéis de cebola, costela de porco com páprica doce, cuscuz paulista e rabada.
  • Pimenta calabresa: é a linguiça picante italiana, e pode ser usada em diversos pratos italianos. A linguiça calabresa é conhecida como peperoni por conta da pimenta, que se chama pepperoncino.
  • Pimenta síria: é uma mistura de pimenta-da-jamaica, canela e pimenta-do-reino, usada largamente na culinária árabe para condimentar quibes e esfirra.
  • Pimenta-do-reino: é a rainha dos temperos, e pode ser usada em uma infinidade de preparações. O ideal é usá-la em grãos num moedor, para moer na hora em que for usar. Para peixes, o melhor é usar a pimenta-do-reino branca, apenas para a carne não ficar cheia de pontinhos pretos. Existem três tipos de pimenta-do-reino – a branca, a preta, e a verde, sendo que todas vêm da mesma planta, mas são colhidas em tempos diferentes e passam por tratamentos distintos. A pimenta-do-reino verde é ótima para molhos de filés; a branca para carnes de aves, peixes e suínos; e a pimenta-do-reino preta é a mais diversa, podendo ser usada em praticamente qualquer prato salgado, mas sendo perfeita para carnes vermelhas. Diferentemente da pimenta-do-reino, a pimenta rosa é a fruta de uma árvore chamada Aruera, perfumando e colorindo a comida.
  • Urucum: serve para dar cor aos alimentos, principalmente em aves. Em pó é conhecido como colorífico.

*Fonte: 
www.consul.com.br
 .



receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade