Publicidade

Estado de Minas Saúde

Doentes reumáticos: quem pode doar sangue?

Dia Nacional da Doação de Sangue é lembrado hoje. Algumas patologias reumáticas têm o impeditivo de doar sangue. Saiba quais e entenda os motivos


25/11/2020 10:00 - atualizado 24/11/2020 16:39

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)


Nesta quarta-feira (25), comemora-se o Dia Nacional da Doação de Sangue, a fim de agradecer aos doadores de sangue pela ação e conscientizar mais pessoas acerca do tema e da importância de doar sangue. 

Atualmente, o banco de sangue de Minas Gerais está em baixa. Os tipos sanguíneos O+, A e B- encontram-se em estado crítico, enquanto que os O-, A- e B apresentam-se em alerta. Apenas o AB- tem concentração adequada, já o AB+ se caracteriza como estável.  

Em função da necessidade de repor os estoques, há um apelo para a doação de sangue. Em alguns casos, há alguns impeditivos para essa ação.

Peso, uso de drogas injetáveis, gravidez, risco acrescido para doenças infecciosas ou sexualmente transmissíveis são alguns dos fatores capazes de impedir que uma pessoa se submeta à doação de sangue.

No entanto, a lista de “proibições” não para por aí. O acometimento do organismo por algumas patologias também pode impossibilitar a doação, algumas delas, inclusive, pertencem ao grupo das doenças classificadas como reumáticas

“É importante e imprescindível entender que o reumatismo engloba um número de mais de 100 doenças. Muitas pessoas acham que ao mencionar o reumatismo nos referimos a apenas uma doença, quando, na verdade, não é”, evidencia a presidente da Sociedade Mineira de Reumatologia (SMR), Viviane Angelina, que destaca, ainda, a existência de dois grupos de doenças reumáticas, os quais são responsáveis pelo impedimento ou não do ato ao doador. 

“Há as patologias reumáticas autoimunes – lupus, artrite reumatóide, entre outras –, que mexem e causam a disfunção do sistema imunológico. Esse grupo de doentes tem uma disfunção na célula de defesa e isso pode interferir na doação de sangue. Então, especificamente, é esse grupo de doentes autoimunes que não podem doar sangue”, explica a especialista.  

Mas, por quê? Segundo Viviane Angelina, por causa do desiquilíbrio do sistema imunológico e, também, em razão do tratamento das doenças, que envolve o uso de medicamentos imunosupressores.

Além disso, alguns pacientes podem, em função da doença reumática de base, desenvolver quadros clínicos de anemia, que por si só já se apresenta como uma contraindicação para a doação de sangue. 

“Ao mesmo tempo, tem um outro grupo de doenças reumáticas que não tem nada a ver com a disfunção do sistema imunológico. Um paciente com artrose, tendinite, febre reumática, gota, osteomielite aguda e osteoporose, por exemplo, que também são classificadas como doenças reumáticas, não tem contraindicação em relação à doação de sangue”, afirma a especialista.

E isso depois de o paciente estar curado, pois, uma vez recuperado, o potencial doador deixa, então, de pertencer ao grupo restrito da doença. 

Como doar 


A doação de sangue – processo pelo qual o cidadão doa seu sangue para fins terapêuticos a pacientes em tratamento – deve ocorrer seguindo alguns cuidados, restrições e exigências, a fim de manter a saúde do doador e do receptor em dia. Além disso, é preciso seguir algumas etapas, como agendamento, triagem clínica e hematológica e pré-lanche.  

Todas as recomendações e informações se encontram no site oficial do Hemominas. Para conferir os hemocentros mais próximos, acesse: redome.inca.gov.br.

*Estagiária sob supervisão da editora Teresa Caram 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade