Publicidade

Estado de Minas COMPORTAMENTO

Cofre digital

Plataforma on-line conserva textos, imagens, vídeos e áudios, a fim de preservar as lembranças de famílias durante isolamento. Número de acessos cresceu 25% após a pandemia de COVID-19


postado em 03/05/2020 04:00


CEO da Letters4KIDS, Kelly de Castro usou como inspiração a própria história de vida para lançar o aplicativo(foto: Letters4/Divulgação)
CEO da Letters4KIDS, Kelly de Castro usou como inspiração a própria história de vida para lançar o aplicativo (foto: Letters4/Divulgação)
 
A pandemia do novo coronavírus impôs distanciamento físico das famílias. Com o isolamento social, a preservação da memória afetiva ganha um reforço com a plataforma Letters4KIDS, capaz de armazenar arquivos em forma de textos, imagens, vídeos e áudios.  Desde o início  da COVID-19, o número de diários digitais aumentou em 25%. “A maioria dos novos registros é de avós que estão longe dos netos neste momento”, diz Kelly de Castro, CEO da empresa. 

A ideia do cofre digital partiu da empresária, usando como inspiração a própria história. Adotada com apenas 1 ano de vida, Kelly nunca teve acesso a lembranças de sua infância e, por isso resolveu criar a plataforma. “O intuito desta criação é que as pessoas tenham onde guardar, organizar e preservar a propriedade intelectual de suas famílias.” 

A primeira conta na plataforma foi presenteada a uma criança também adotada para que, naquele espaço, ela pudesse registrar suas primeiras memórias e, também, lembranças acerca de seu processo de adoção. “Nossas primeiras memórias resgatam nossa origem e trazem muito de nossa missão de vida. A riqueza deste conteúdo é de um valor inestimável”, destaca a executiva. 

Para a psicóloga e psicanalista Marena Petra, o cofre digital pode ser uma boa maneira de aproximação entre os familiares e, também, uma forma de registrar o momento, a fim de que, futuramente, esse marco na história possa ser compreendido. “Essa é uma forma de as pessoas se conectarem com o mundo externo, poder contar a sua história e, também, deixar gravado para que, mais tarde, possam ‘participar’ do acontecimento.” 

Esse é o caso da professora aposentada Rosângela Maria de Castro Zatta, de 61 anos, que há 15 dias começou a escrever e enviar arquivos para o cofre digital de seus netos. “Tenho três netos que moram em um lugar bem distante para nós, avós, visitarmos com frequência, ainda mais neste momento. Então, com o cofre digital, temos gravado vídeos, enviado fotos e comentários sempre que a saudade aperta. De uma certa forma, sentimos leveza quando escrevemos para eles, pois sabemos que no futuro saberão o quanto ficamos ligados, mesmo com o isolamento social.” 
 
 

 A ideia do cofre digital é permitir que essas memórias fiquem armazenadas, a fim de montar a linha do tempo e manter os laços fundamentais na vida de cada pessoa”


Marena Petra, psicóloga e psicanalista
 
 
 
 
HISTÓRIA PESSOAL 

Para Marena Petra, a plataforma tem um aspecto psicológico muito presente no que diz respeito à história de cada um. “Muitos acontecimentos podem ser esquecidos com o passar do tempo, pois não é possível se lembrar de tudo. E é por meio de fotos, cartas, vídeos e conversas que se faz possível recordar acontecimentos passados. A ideia do cofre digital é permitir que essas memórias fiquem armazenadas, a fim de montar a linha do tempo e manter os laços fundamentais na vida de cada pessoa.” 

Marena ressalta que o Letters4KIDS pode ser fundamental na construção da individualidade de crianças e jovens, bem como contribuir com o tratamento de angústias e tristezas. “O resgate da origem traz à tona o valor da criança para aquela família, e se sentir reconhecido e amado é fundamental para a construção da personalidade. Além disso, se algum trauma na vida adulta existir, rememorar fatos marcantes é fundamental para tratar a origem do problema.” 
 
COMO FUNCIONA 

O diário digital pode ser criado pelo site da Letters4, no qual o responsável pela conta opta pelo plano que mais interessar. Todos os pacotes incluem acesso por toda a vida, no entanto, o pagamento pode ser realizado mensalmente ou em uma única parcela, na modalidade vitalícia. “O contrato é como um seguro de vida, mas destinado aos ativos digitais da família, que são propriedade exclusiva do titular do diário. Ao entrar na plataforma pode-se adicionar membros da família autorizados a compartilhar memórias”, explica Kelly. 

Mesmo com o acesso liberado a outras pessoas, para criar novas lembranças somente o proprietário pode visualizar ou interagir dentro da linha do tempo. O responsável pode, ainda, determinar um prazo para que a criança ou a quem aquele cofre digital é destinado possa ter acesso às memórias construídas ali. “Apenas em caso de morte do titular do contrato o acesso é liberado antes do prazo determinado por ele.” 

Além disso, todos os arquivos adicionados à conta são armazenados em uma nuvem privada com criptografia de ponta a ponta. “Quando se trata de memórias pessoais, é importante ressaltar que a propriedade dos dados enviados à Letters4KIDS é exclusivamente da família. Nenhum dado é lido ou compartilhado com terceiros. Nenhuma publicidade é exibida e será sempre assim”, pontua a CEO. 

Para facilitar o acesso, em breve a empresa irá lançar o aplicativo do cofre digital, disponível em todos os sistemas, seja Android ou iOS, para celulares e tablets. 
 
 
*Estagiária sob a supervisão da editora Teresa Caram




Compartilhe no Facebook
*Apenas para assinantes do Estado de Minas

Publicidade