Publicidade

Estado de Minas ATENÇÃO REDOBRADA EM CASA

Pacientes contaminados pelo novo coronavírus devem receber atenção especial no ambiente doméstico

Cuidados são para evitar risco de propagação da doença para os familiares. Cuidado com a higiene é fundamental


postado em 19/03/2020 13:37 / atualizado em 19/03/2020 14:15

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Para quem está na linha de frente do combate ao novo coronavírus, os cuidados devem ser redobrados. Médicos, enfermeiros e agentes de saúde estão entre o grupo de risco para a contaminação com a doença. Dentro de casa, o perigo continua para amigos ou familiares que convivem com pacientes em isolamento domiciliar. Entre as precauções, atenção com a higiene, proximidade física, ambientes arejados e destinação correta de resíduos.

Esse é um vírus novo, e a humanidade aprende dia a dia mais sobre ele, diz o médico infectologista José Geraldo Leite Ribeiro, professor da Faculdade de Ciências Médicas de Minas Gerais e da Faculdade de Saúde e Ecologia Humana. Ele ensina que, para pessoas em recolhimento que vivem em prédios ou condomínios, é importante não circular nas áreas comuns. E, considerando caso a caso, há situações ideais e situações possíveis. 

"Em uma situação ideal, o paciente deve ficar em um quarto exclusivo, não circular pelos outros cômodos da casa, ter um banheiro próprio, todos os materiais separados, como toalhas, roupas de cama, copos, pratos, talheres, entre outros, até que o isolamento termine." Quando outra pessoa entra no recinto onde está o enfermo, é bom que os dois usem a máscara. "Se não for viável, pelo menos o paciente", recomenda.


Mas esse é um quadro que muitas vezes não ocorre. Em uma situação possível, se não der para ter um cômodo exclusivo para o infectado, é preciso manter ao menos um metro de distância, explica José Geraldo. Quanto ao tempo de isolamento, é de no mínimo sete dias a partir dos primeiros sintomas até desaparecerem. "Cuidadores assintomáticos não precisam ficar isolados. Porém, devem ter atenção pelo período de 14 dias após o contato com o paciente, tempo de incubação do vírus", diz o médico.

As precauções são distintas em cidades onde a transmissão do coronavírus é comunitária e em locais onde isso ainda não ocorre. Em Belo Horizonte, que registra o primeiro cenário, qualquer pessoa que tenha problemas respiratórios deve ser considerada caso suspeito. No segundo cenário, mesmo com sintomas respiratórios, o indivíduo só se torna suspeito se esteve no exterior, onde existe a doença, ou teve contato com um caso provável. "Se quem lida com o paciente tomar todos os cuidados, espera-se que o risco de contágio seja pequeno", orienta José Geraldo.

A seguir, dicas de como lidar com infectados reclusos nas residências

1. Como uma pessoa infectada deve ser isolada em casa?

Para um paciente com coronavírus isolado em casa, é indicado dispor de um quarto exclusivo para ele, não compartilhar o banheiro e evitar, sempre que possível, estar com o infectado em outros ambientes, a fim de manter pelo menos um metro de distância da pessoa doente. 

Desta maneira:

- Sempre que possível, é recomendável instalar o paciente em um quarto de uso exclusivo

- Colocar o lixo do paciente em uma lata com tampa dotada de um saco em seu interior com fecho hermético

- Garantir uma boa ventilação e uma janela com acesso à rua

- Se possível, reservar um banheiro para a pessoa infectada

- Para minimizar o contato, o paciente deve priorizar a comunicação com o resto dos parentes ou coabitantes através do celular

- Limitar a circulação pela casa a situações estritamente necessárias

- Se sair da sala, recomenda-se o uso de máscara e uma correta higiene das mãos com água e sabão ou um desinfetante à base de álcool

2. Como limpar a casa?

Quando o contato com um indivíduo infectado pela COVID-19 em casa é inevitável, é fundamental limpar diariamente espaços e superfícies para afastar o risco de novas infecções, com cuidado em particular aos objetos e locais em que o paciente possa ter encostado.

Desta maneira:
 

- A pessoa responsável pela limpeza deve usar máscara e luvas

- Para a limpeza, deve ser usada uma solução de água sanitária: uma parte do desinfetante para cada 49ml de água

- Limpar diariamente todas as superfícies de contato frequente: maçanetas, mesas, interruptores, torneiras, vasos sanitários, telefones e teclados

- A louça e os utensílios devem ser lavados com água quente e sabão, de preferência em uma máquina de lavar louça para alcançar os 60ºC

- A roupa do paciente pode ser lavada separadamente com o detergente habitual a uma temperatura entre 60ºC e 90ºC. Após a lavagem, deixar a roupa secar totalmente

3. O que deve ser feito com os resíduos?


Outro perigo para quem convive com pacientes com o coronavírus é a exposição aos resíduos fisiológicos contaminados. O manuseio e destinação corretos do restos gerados ajudam a barrar a contaminação. Importante é usar itens de limpeza descartáveis, separar adequadamente o lixo em um recipiente plástico e fazer a higiene pessoal completa após o tratamento de tais resíduos.

Desta maneira: 

- É essencial jogar as luvas e a máscara no lixo e lavar as mãos em seguida

- O lixo deve estar dentro de um saco plástico fechado

- A toalha da pessoa infectada deve ser usada uma única vez e colocada em um balde específico

Fonte: Medidas baseadas nas orientações da Comunidade de Madri


Publicidade