Publicidade

Estado de Minas SAÚDE

Olhe-se com cuidado

Campanha Dezembro Laranja alerta sobre o câncer de pele. Prevenção e conscientização aumentam as chances de cura de uma das enfermidades que mais avançam no Brasil


postado em 15/12/2019 04:00

A aposentada Gilda Valente, de 71 anos, já passou por um câncer de pele e diz que não se descuida(foto: Beto Novaes/EM/D.A Press %u2013 26/11/18)
A aposentada Gilda Valente, de 71 anos, já passou por um câncer de pele e diz que não se descuida (foto: Beto Novaes/EM/D.A Press %u2013 26/11/18)


O verão está chegando, o sol brilha forte, e os cuidados com a pele devem ser redobrados. A atenção com o maior órgão do corpo humano é necessária durante o ano inteiro, é sabido, mas no período que se anuncia é preciso ainda mais cautela. Todos sabem que devem usar protetor solar, mas muitos desconhecem a forma mais adequada de fazê-lo. A falta de proteção, além de causar reações imediatas, como vermelhidão e ardor, também pode levar a consequências a longo prazo. Uma delas é o câncer de pele.
 
A campanha Dezembro Laranja, encabeçada pela Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), alerta para o problema. Este é o mês de prevenção e conscientização sobre o câncer de pele, com atividades realizadas desde 2014. Este ano, a iniciativa, além de conscientizar sobre a importância da prevenção desde cedo, ainda na infância, busca jogar luz sobre os sinais do câncer de pele, a fim de incentivar o diagnóstico e o tratamento precoces, com o objetivo de aumentar as chances de cura.
 
“Temos um problema de saúde pública e a SBD transformou esse problema em uma ampla campanha de combate ao câncer de pele”, salienta Sergio Palma, presidente da instituição. E os dados sobre a patologia são mesmo alarmantes. Conforme levantamento do Instituto Nacional do Câncer (Inca), são detectados 180 mil novos episódios da doença por ano no Brasil. Sendo assim, um em cada quatro novos casos de câncer no país é de pele. Para o biênio 2018/2019, a estimativa é de 165.580 novos casos de câncer da pele não melanoma. Um dado novo desse período é que, em relação ao último balanço do Inca (2016/2017), a doença acometerá mais homens (85.170) do que mulheres (80.410). Outra notícia é sobre a incidência de novas ocorrências de câncer da pele não melanoma, que diminuíram em 10 mil casos de um biênio para o outro. “Reduzir as estatísticas de incidência e mortalidade de câncer de pele é uma meta alcançável e a SBD está comprometida com essa causa”, acrescenta Sergio Palma.
 
O câncer de pele é provocado pelo crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. Existem diferentes tipos, que podem aparecer em formas distintas. Os mais comuns são conhecidos como carcinoma basocelular e carcinoma espinocelular (denominados de câncer não melanoma) – têm altos percentuais de cura se diagnosticados e tratados precocemente. Um terceiro tipo, o melanoma, não é o mais incidente, mas o mais agressivo e potencialmente letal. Quando observado no princípio, apresenta 90% ou mais de chance de cura. Conforme informa Elimar Gomes, coordenador nacional do Dezembro Laranja, quase 90% do total de manifestação da doença são carcinomas. “Menos comum, o câncer melanoma é o tipo mais agressivo e causa 1,7 mil óbitos anualmente. Conhecemos a origem da doença e sabemos que é possível preveni-la, por isso o esclarecimento público é uma das formas de reduzir o número de casos", continua o médico.
 
“Entre todos os tipos do câncer de pele, a exposição excessiva e sem proteção ao sol é o principal fator de risco que pode desencadear a doença, que pode se manifestar como uma pinta ou mancha, geralmente acastanhada ou enegrecida; como uma pápula ou nódulo avermelhado, cor da pele e perolado (brilhoso); ou como uma ferida que não cicatriza”, explica a coordenadora do Departamento de Oncologia Cutânea da SBD, Jade Cury Martins.
 
O transtorno surge mais frequentemente nas áreas do corpo que geralmente ficam expostas, como face, orelhas, pescoço, couro cabeludo (em calvos), ombros e costas. Apenas médicos dermatologistas e oncologistas são capacitados para fazer o diagnóstico, partindo da percepção desses primeiros sinais. A SBD chama a atenção para a necessidade de que as pessoas se examinem com periodicidade, consultando um dermatologista em caso de incerteza. Também é importante pedir para familiares observarem o corpo de quem está em dúvida, pois muitas vezes os cânceres aparecem em regiões onde não é possível ver sozinho.
 
A aposentada Gilda Valente, de 71 anos, sempre foi preocupada e antenada com as questões da saúde, e diz que não se descuida. No início de 2018, observou uma mancha diferente na parte posterior do joelho, enquanto fazia um autoexame em seu corpo. “Era rosada, um pouco avermelhada, em formato retangular, disforme. Achei estranho, porque geralmente as pintas normais são redondas. Fui à minha dermatologista de costume, ela olhou e me direcionou para outro médico, que faz pequenas cirurgias”, conta. No hospital, o médico realizou a retirada da mancha, que foi encaminhada para biópsia. Foi nesse momento o diagnóstico de câncer de pele, do tipo basocelular, no caso de Gilda perfeitamente curável. “Não foi preciso continuar com nenhum outro procedimento. Não houve complicação, cicatriz no lugar nem aparece mais nada. Quando percebi a marca, logo tomei providência, peguei o problema no início.” Mas a aposentada, que não tem registros da doença na família, segue atenta. “Continuo olhando meu corpo, me examinando, principalmente durante o banho.”
 
 
Fique atento

As orientações primordiais da SBD passam pela adoção das seguintes medidas fotoprotetoras:

Evite os intervalos de maior incidência solar (entre as 10h e as 16h)

Trabalhadores que desempenham atividades em locais expostos, é importante a utilização dos equipamentos de proteção individual (EPIs): chapéus de abas largas, óculos de sol com proteção UV e roupas que cubram boa parte do corpo, mesmo em dias frios e nublados

Buscar locais de sombra, assim como manter uma hidratação corporal satisfatória

Uso diário de protetor solar, que deve ser reaplicado a cada duas ou três horas, ou 
depois de longos períodos de imersão na água.

No caso de predisposição genética e história familiar, o cuidado é redobrado
 e a ida ao dermatologista deve ser frequente.

A SBD lembra que a melhor forma de evitar a doença é a prevenção. Vale reforçar que nem o autoexame, nem a calculadora de risco substituem a consulta a um dermatologista. A famosa regra do ABCDE é um norte que pode auxiliar na percepção inicial de um câncer de pele, quando da observação de uma pinta ou mancha. Cada letra está relacionada a um aspecto que deve ser avaliado na hora de examiná-las.

Grupos de risco

Entre os grupos de risco para o desenvolvimento do câncer de pele estão pessoas de pele clara, olhos azuis ou verdes, cabelos ruivos ou loiros, quem têm casos na família, muitas pintas no corpo, ou quem sofreu queimaduras solares antes dos 15 anos. Para os carcinomas, o aviso pode vir de uma lesão que não cicatriza em 28 dias, período em que a pele deve se regenerar. Para pessoas de pele negra, uma pinta no pé pode sinalizar melanoma.

Hábitos saudáveis

Também existem hábitos e comportamentos perigosos que podem levar à enfermidade, de maneira abrangente a todos as formas de câncer. Entre as posturas ideais para que a doença não se manifeste estão: manter o peso e o Índice de Massa Corporal (IMC) normais, evitando sobrepeso e obesidade, fazer atividades físicas, afastar cigarro e álcool, ter uma alimentação correta e saudável, e praticar sexo seguro (17% de todos os casos de câncer, em geral, vêm de vírus ou bactérias transmitidos pela relação sexual).

Programação

Entre a programação da campanha especial de combate e informação sobre o câncer de mama, também ocorre a divulgação nas plataformas digitais (Facebook, Instagram, YouTube e o site oficial, www.dezembrolaranja.com.br), a partir das hashtags #DezembroLaranja e #SinaisdoCancerdePele. Quem se interessar pela causa pode compartilhar as ações da campanha nas redes sociais, customizando a foto de perfil e as publicações da SBD. Personalidades e lideranças integram o movimento vestindo a cor laranja e monumentos pelo país estão iluminados com a tonalidade símbolo da campanha. 


receba nossa newsletter

Comece o dia com as notícias selecionadas pelo nosso editor

Cadastro realizado com sucesso!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade