Publicidade

Estado de Minas CONTA-GOTAS

O poder dos alimentos contra queda de cabelo


postado em 17/11/2019 04:00 / atualizado em 15/11/2019 16:57




Estudos apontam que a queda excessiva de cabelo pode ser sinal de 
alguma disfunção no organismo, inclusive causada pela má alimentação. 
Por isso, Jessica Santos, nutricionista da Superbom, empresa alimentícia 
especializada na fabricação de produtos saudáveis, lista algumas 
comidas que podem ajudar a manter a saúde dos fios.
 
 
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 12/9/17 )
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 12/9/17 )
» Soja, ervilha e feijão: as proteínas de leguminosas como soja, ervilha e feijão são essenciais para diminuir a queda de cabelo e ajudar na reposição de fios novos. Além disso, o nutriente também evita que o cabelo fique opaco e sem vida.


(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 10/9/14)
(foto: Juarez Rodrigues/EM/D.A Press %u2013 10/9/14)

» Oleaginosas: a especialista aponta que castanhas, nozes e avelãs são fontes de zinco, mineral que contribui para o crescimento saudável dos fios, deixando-os mais fortes e resistentes à queda e quebra.

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 4/9/12 )
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press %u2013 4/9/12 )
» Vegetais de folhas verde-escuras: devido à alta concentração de vitaminas A e C, que têm ação antioxidante, vegetais como espinafre, brócolis e couve ajudam a evitar o envelhecimento das células capilares e, por consequência, na queda dos fios e caspa.


(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 11/10/11 )
(foto: Jair Amaral/EM/D.A Press %u2013 11/10/11 )

» Grãos integrais: alimentos como a aveia são ricos em vitaminas do complexo B, fundamentais para acelerar o crescimento dos fios e prevenir a queda. Os grãos integrais, inclusive, têm a vitamina B5, também conhecida por pantenol, substância presente em poderosos dermocosméticos para hidratar pele e cabelos
 
(foto: Sextante/reprodução)
(foto: Sextante/reprodução)

» Água: por último, mas não menos importante, está a importância de manter todo o organismo hidratado para evitar o ressecamento dos fios. O consumo diário de água e de sucos integrais também contribui para a hidratação dos fios.
 

Como utilizar a 
vitamina C da maneira correta
Um dos produtos queridinhos que fazem parte da vida de qualquer pessoa que tem uma rotina de cuidados com a pele é a vitamina C. Os séruns concentrados da substância fazem sucesso e são bastante procurados nas farmácias e lojas de dermocosméticos. Mas, afinal, o que faz da vitamina C tão essencial no cuidado dermatológico? O uso tópico dessa substância na pele promove a redução de linhas de expressão e manchas na pele, além do combate ao envelhecimento precoce. A vitamina C é antioxidante, isso significa que ela consegue combater radicais livres – os vilões que causam rugas, flacidez e outros sinais de envelhecimento cutâneo. A dermatologista Fernanda Aragão, que está à frente do espaço A Clinic, especializado em dermatologia e cirurgia plástica em Belo Horizonte, explica um pouco sobre a utilização da substância:  “As brasileiras são apaixonadas pela vitamina C. Ela está presente em várias formulações. Como tem poder antioxidante, a vitamina C previne o envelhecimento e as manchas. Pode ser usada antes do protetor solar, aumentando seu poder de prevenção. No entanto, não é errado o uso noturno da substância.” Porém, é necessário ficar atento ao uso da vitamina C concentrada, já que algumas peles podem apresentar efeitos adversos. A dermatologista explica: “Produtos mais concentrados não são tolerados por todos os tipos de pele, porque podem irritar. Peles mais sensíveis se beneficiam de produtos menos concentrados. Algumas peles simplesmente não toleram vitamina C e podem se beneficiar do uso de outros antioxidantes, como o resveratrol”. Ela avisa, ainda, que a vitamina C pode e deve ser associada a outras medidas preventivas, como o uso de toxina botulínica, preenchimento e procedimentos a laser.



Para longeviver melhor
O 1º Encontro Longeviver, idealizado e produzido pelas Meninas de Sinhá chega à sua quarta etapa e tem programação a semana inteira, com encerramento no dia 24. Voltado para o público de 60+, a abordagem do projeto tem em mente levar entretenimento e aprendizado para essas pessoas, mas também incentivar seu convívio com a família e promover discussões sobre os cuidados e condições que essa fase da vida impõe. Com o tema Comunicação e Futuro, a programação quer promover encontros e uma nova visão da cidade para esse público e quem convive com ele. As atividades dessa quarta etapa começam na terça-feira, com a palestra Direito nas relações pessoais e comerciais dos idosos. Será às 19h, no Auditório Una João Pinheiro. O encerramento, domingo, às 19h, no Palácio das Artes, fica por conta de Rolando Boldrin, com abertura de Meninas de Sinhá. Programação completa no www.meninasdesinha.org.br/longeviver.



Pequenos segredos
Será hoje, das 10h às 17h, no Sítio Sertãozinho, em Moeda, o Bazar Pequenos Segredos Sertãozinho. Serão oferecidos presentes de Natal artesanais, feitos com amor e com preços imperdíveis. Venha conhecer e se brindar com criações especiais únicas e cheias de criatividade. Durante o evento, serão distribuídas sementes de ipê, que, “ao mesmo tempo em que enfeitam a paisagem, colorem a alma de esperança”, segundo a dona do sítio, Magui. Almoço mediante reserva pelo telefone (31) 99616-2815, falar com Eduardo.

(foto: Literare Books International/Reprodução)
(foto: Literare Books International/Reprodução)

Contos que curam
Sempre que se fala de contos, seja de fadas ou em geral, há o pensamento de entreter e divertir as crianças. Porém, essas histórias são mais que um instrumento de diversão, elas são capazes de auxiliar no desenvolvimento humano, e a prova disso é a obra Contos que curam (Editora Literare Books International). O livro reúne estudos, contos e oficinas de um grupo de 24 especialistas, para apresentar os significados e também as mensagens que as histórias transmitem, tanto para a mente consciente quanto para a inconsciente. A coordenação editorial é de Claudine Bernardes e Flávia Gama e, entre as autoras, cinco são de Belo Horizonte: Ananda Sette, Flávia Gama, Lourdes Machado, Helena Lobo e Priscila Dutra. Cada uma escreveu um capítulo com um conto e uma oficina de conto expressão. O evento de lançamento será quarta-feira (20), às 19h30, na Rua Conde de Linhares, 1.051, Luxemburgo. Entrada franca. Informações: (31) 98571-8801.


(foto: amqa/paxabay)
(foto: amqa/paxabay)

Camisinha é importante 
aliada no combate ao câncer
Provavelmente, você não associaria a camisinha com prevenção ao câncer. Mas ela é uma importante aliada para evitar o surgimento de tumores nas mulheres e também nos homens, aponta o médico Andrey Soares, do CPO/Oncoclínicas. Isso porque protege das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs), inclusive do papiloma humano (HPV), que é o principal responsável pelo câncer no colo do útero. Mas não só ele. Nos homens, há uma forte relação também com o surgimento de tumor no pênis. “Além da vacinação em meninas e meninos contra o HPV, a camisinha ainda é a principal barreira de transmissão e, embora se conheça melhor essa relação entre o tumor no útero com o contágio do vírus, ainda é grande o desconhecimento em relação ao câncer peniano. Os homens, em geral, tendem a se preocupar menos com a saúde, fazer menos exames etc., até por uma questão cultural mesmo. Então, informar sobre a importância do uso da camisinha também na prevenção do câncer masculino é fundamental e dever dos agentes públicos”, cobra o oncologista. Segundo pesquisa da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC), a relação entre o sexo desprotegido e câncer não é conhecida pelos brasileiros: entre 1.500 entrevistados, quase 30% dos brasileiros não imaginam que usar preservativos pode reduzir o risco de desenvolver câncer. E são muitos os tipos que podem sofrer influência da contaminação do HPV. “Os preservativos estão comumente relacionados à proteção contra o HIV, mas também são o modo de combate a formas de tumor que têm relação com o HPV, como colo do útero, vagina, vulva, pênis, ânus, boca e garganta”, explica o especialista.


Publicidade