Publicidade

Estado de Minas CONTA-GOTAS

Cinco dicas para reduzir o inchaço nas pernas


postado em 13/10/2019 04:00 / atualizado em 10/10/2019 18:35

(foto: Pixabay/Reprodução)
(foto: Pixabay/Reprodução)


É muito comum que pessoas que ficam paradas por um longo período na mesma posição reclamem de inchaço nas pernas. Em algumas profissões, como motoristas, por exemplo, ficar sentado por muito tempo pode provocar problemas de circulação e retenção de líquidos nas pernas e pés, ocasionando dores, inchaços e doenças como varizes e trombose. Segundo o especialista em angiologia e cirurgia vascular Jamil Victor de Oliveira Mariúba, parceiro da Sigvaris Group, empresa de produtos de compressão graduada, há o risco de aparecerem doenças vasculares porque a circulação fica inativa, possibilitando a formação de coágulos, que bloqueiam o fluxo de sangue na região das pernas.

1. Tenha uma boa alimentação – uma rotina alimentar saudável e equilibrada pode evitar o acúmulo de gorduras e líquidos, além de beneficiar o funcionamento correto do corpo.

2. Hidrate-se – é importante manter-se hidratado, tomando bastante água ao longo do dia. Isso contribui para o bom funcionamento dos rins e previne o acúmulo de 
impurezas no organismo.

3. Evite o consumo de álcool e cigarro – as bebidas alcoólicas e o cigarro prejudicam o organismo, pois há um excesso de substâncias nocivas, que podem promover uma série de doenças, como problemas cardiovasculares, câncer e problemas 
hepáticos, entre outros.

4. Pratique atividade física regularmente – a natureza de nosso corpo é estar em movimento, portanto, é essencial praticar, sempre que possível, atividades físicas, como caminhadas. Isso vai ajudar a manter a circulação sanguínea, evitar o acúmulo e a criação de vasos sanguíneos nas pernas e estimular os músculos. Além disso, o exercício ajuda a eliminar impurezas do organismo.

5. Utilize meias ou canelitos de compressão graduada – a compressão graduada atua com mais intensidade no tornozelo e menor intensidade no sentido da coxa, promovendo o direcionamento correto do fluxo venoso. Com isso, podemos observar uma nítida melhora na circulação sanguínea e evitar a sensação de pernas pesadas e cansadas.
 

Caminhada espiritual com a Beata Nhá Chica

Será amanhã, das 19h30 às 20h30, no Salão Paroquial da Igreja Nossa Senhora da Boa Viagem (Rua Sergipe, 175), o Encontro Presencial. Os presentes vão cantar, rezar e receber as
 bênçãos de Nhá Chica. É preciso chamar pelo interfone. Mais informações com o coordenador Márcio Barros, pelo (31) 99941-9389 
 


Sinais que podem detectar câncer de mama masculino

Neste início de outubro, o empresário Mathew Knowles, pai da cantora Beyoncé, revelou em entrevista ao programa de TV Good morning America que foi diagnosticado com câncer de mama no meio deste ano. Apesar de raro, estimativas indicam que 1% dos casos da doença afetam homens. Apesar de o Outubro Rosa ser o mês de conscientização sobre a questão voltada principalmente para mulheres, é preciso lembrar que um dos grandes mitos da saúde é que o câncer de mama não afeta homens. Das 16.254 pessoas que morreram em decorrência de câncer de mama no país no ano passado, 185 eram homens. Segundo o oncologista Daniel Gimenes, do Centro Paulista de Oncologia (CPO) Oncoclínicas, apesar da baixa incidência, o câncer de mama masculino pode se manifestar e existe um alto percentual de mortalidade. “Existe um problema muito comum que faz com que os homens não procurem um médico por questões de machismo, pois não passa pela cabeça de ninguém que o homem pode desenvolver um câncer de mama. Por isso, a qualquer mudança suspeita na região mamária é preciso procurar um especialista para que o câncer não seja descoberto tarde demais”, explica Gimenes. Ele destaca os principais fatores que podem ser importantes na hora de detectar um câncer de mama no homem:

Genética: se existir caso de alguma mulher (tia, mãe, avó) com câncer de mama na família, as chances de o homem desenvolver aumenta discretamente, mas se for relacionado à mutação do BRCA, os riscos são significativamente maiores. Para isso, é recomendável que o homem faça uma pesquisa de mutação para saber se terá chances de desenvolver a doença. Se, por exemplo, um homem no qual a irmã/mãe teve câncer de mama, as chances são maiores; por isso, é preciso ser feito um acompanhamento mais de perto.

Hormônios: o principal motivo pelo qual as mulheres apresentam câncer de mama com mais frequência do que os homens são os hormônios. A mulher produz muito mais estrógeno do que o homem. A maioria dos cânceres de mama femininos se desenvolve por conta de hormônios sensíveis. O homem apresenta uma baixa taxa de estrógeno no corpo, contendo mais testosterona, que não leva a esse tipo de câncer.

Caroço na área do tórax: como os homens não têm o costume de realizar exames mamários frequentemente é preciso que se atentem a alguns sintomas suspeitos. Caroço na área do tórax é dos principais sintomas do câncer de mama masculino, que pode ser acompanhado de inchaço nos linfonodos axilares.

Retração na pele: em situações mais avançados da doença, também pode ocorrer uma retração do mamilo, ou seja, um inchaço significativo ou distorção da pele, em alguns casos acompanhados de sangue na região. Quando esses sinais são detectados, é imprescindível que se procure um médico para saber o diagnóstico correto.

Cirrose/alcoolismo/obesidade: pacientes com distúrbios do fígado (cirrose, alcoolismo e obesidade) correm mais risco de desenvolver câncer de mama e, quanto mais velho o homem for, maior a possibilidade de a doença aparecer. Na maioria das vezes, o homem com câncer de mama procura uma orientação quando a neoplasia ainda está no começo, dificultando o tratamento. Quanto mais cedo o câncer é diagnosticado, maiores são as chances de cura. Por isso, já que a mamografia masculina não é recomendada como um exame de rotina, homens que estão na área de risco de desenvolver um câncer de mama precisam realizar o autoexame. 
 
 

Posts sobre emagrecimento proibidos no Instagram

(foto: Pixabay/Reprodução)
(foto: Pixabay/Reprodução)

A rede social Instagram vai limitar o alcance de publicações sobre produtos para emagrecimento e dietas, além de impor restrições destes posts para menores de idade. Segundo as novas regras, que estão em vigor em todo o mundo desde 18 de setembro, posts com promessas “milagrosas” relacionadas a dietas e produtos para perda de peso que contenham ofertas comerciais e códigos de desconto podem ser removidos da plataforma. Para a nutricionista Lara Natacci, da Câmara Técnica do Conselho Regional de Nutricionistas da 3ª Região SP-MS (CRN-3), a medida é positiva, pois os resultados de emagrecimento obtidos por uma pessoa não podem necessariamente ser reproduzidos por outras, o que pode ocasionar riscos para a saúde. “Não existe um padrão alimentar para ser aplicado em todas as pessoas. Seguir dietas que não considerem nossas características individuais pode gerar deficiência de nutrientes, perda de massa magra e efeito sanfona – emagrecer, e depois voltar a engordar”, explica Lara.

 


Cortes de cabelo gratuitos em prol de pacientes com câncer


Quem deseja doar cabelos para mulheres que fazem tratamento contra o câncer poderá cortar as madeixas gratuitamente na próxima quinta-feira (17), em Belo Horizonte. A ação faz parte da campanha “Doe cabelos, espalhe sorrisos”, iniciativa da marca de cosméticos Mutari, que já realizou cortes também nos dias 3 e 10. Os cortes são feitos na Casa Mutari, na Rua Castelo de Amieira, 110, no Bairro Castelo, Região da Pampulha, entre as 9h e as 16h. Para participar, o interessado deve entrar em contato pelo (31) 3476-7377 e confirmar a doação, além de escolher o modelo de corte desejado. De acordo com a direção do Instituto Mário Penna, a mecha de cabelo deve ter no mínimo 15cm e pode ter química ou ser tingido.  “Queremos despertar na sociedade a conscientização pela necessidade do olhar para o próximo, tendo em vista que um dos caminhos para vencer a luta pelo câncer é contribuindo com o nosso afeto e a amizade, mesmo que não conheçamos diretamente aquele que necessita de nosso apoio”, enfatiza Ana Cristina Baptistelli, diretora de marketing da Mutari. Para conhecer de perto as ações sociais da Mutari, acesse: www.mutari.com.br ou pelas redes sociais, seguindo o @mutarioficial no Instagram e no Facebook.
 
 

Inclusão de deficientes auditivos em rede de fast food

(foto: McDonald's/Divulgação)
(foto: McDonald's/Divulgação)


No ano passado, por meio de parceria com a Rede Cidadã, o McDonald's de BH contratou, de uma só vez, 20 deficientes auditivos para trabalhar em seus restaurantes. Eles já estão bem adaptados e alguns, inclusive, foram destaque do mês em suas funções. E, no mês passado, seis surdos, quatro deles funcionários do McDonald's em BH, participaram do curso Desenvolvimento sustentável em foco, criado em 2018 pela Universidade do Hamburguer (a universidade corporativa do McDonald's Brasil). Essa foi a 17ª edição do curso e a primeira cujos conteúdos também foram transmitidos em libras e que contou com a participação, como piloto, de seis pessoas surdas. A intenção do McDonald's é expandir esta experiência para os outros mercados da rede no país. A maioria das empresas tem muita resistência em contratá-los, por conta da dificuldade de comunicação com eles via libras. Eles são muito discriminados e encontram muita dificuldade de inserção no mercado de trabalho. Segundo censo realizado em 2010 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 9,8 milhões de brasileiros têm deficiência auditiva, o que representa 5,2% da população brasileira. Desse total, 2,6 milhões são surdos e 7,2 milhões apresentam grande dificuldade para ouvir. Cerca de 1 milhão são jovens de até 19 anos. 


Publicidade