Publicidade

Estado de Minas

Calça justa agrava as veias dilatadas?


postado em 04/08/2019 04:06

(foto: MF Press Global/Reprodução )
(foto: MF Press Global/Reprodução )

 





Genética, idade e sexo são os três principais fatores de risco para o desenvolvimento das varizes – veias dilatadas e tortuosas que perderam sua função, causando danos estéticos e circulatórios, mas muita gente ainda tem dúvida se alguns hábitos podem causar o problema, como usar calças muito justas ou andar de salto alto. A cirurgiã vascular e angiologista Aline Lamaita, membro da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular, explica que a gravidez, a obesidade e ficar muito tempo em pé ou sentado com as pernas cruzadas ou curvadas podem comprometer a circulação. “Não existe prevenção absoluta, mas há algumas medidas para retardar o seu aparecimento ou melhorar a circulação sanguínea. Mas será que é necessário abolir a calça justa, o salto alto, cancelar a musculação e não se depilar mais?

Mitos sobre as varizes:
» Posso usar calça justa se tenho varizes?
Esse é um dos mitos sobre varizes, mas fique tranquila. A não ser que você use uma calça justa a ponto de fazer um garrote, sua circulação estará segura. Já o uso de compressão elástica no formato de meias medicinais é extremamente benéfico para a circulação e pode ser usado para dar um up no visual.

» Salto alto provoca varizes?
Não existe consenso na literatura científica de que o uso de salto alto a longo prazo possa causar varizes. Mas devemos levar em conta que alguns trabalhos sugerem que existe, sim, um prejuízo no retorno venoso com o uso do salto. Também devemos levar em consideração que seu uso contínuo causa alteração de postura, encurtamento do tendão calcâneo e uma série de problemas ortopédicos.

»  E fazer depilação com cera quente?
Não causa varizes nem vasinhos nas pernas. As varizes são veias dilatadas na camada subcutânea; os vasinhos ocorrem dentro da camada da pele. Acreditava-se que a depilação por cera quente poderia desencadear o aparecimento pela vasodilatação provocada pelo excesso de calor, mas isso nunca teve corroboração em trabalhos científicos.

» E musculação?
Assim como todo exercício que aumente a bomba muscular da panturrilha, a musculação é uma aliada, porque ajuda no retorno venoso. Os exercícios aeróbicos (nadar, correr, caminhar e pedalar) são os ideais para mexer o corpo e fugir do sedentarismo, o principal vilão para o surgimento das varizes.

» Subir escadas dá varizes?
Esse é um grande mito. Na realidade, esse é um exercício excelente para o retorno venoso. Se fosse assim, proibiríamos aula de step nas academias. E é um exercício excelente para treinamento cardiopulmonar e extremamente benéfico para a musculatura da perna. Exercícios de impacto, como pular cordas, também não pioram as varizes.
 
 
 
 

Para combater crise de ansiedade

A crise de ansiedade, também conhecida por ataque de ansiedade, é súbita e imprevisível. Ela provoca uma sensação de angústia, insegurança e medo arrebatador, o que provoca batimento cardíaco acelerado, dor de estômago, náuseas, tonturas e tremores, alguns dos sintomas mais recorrentes. Por isso, é muito importante saber como tratá-los quando eles ocorrem. A médica Domenique Ferreira, conhecida nas redes sociais como Domenique Heidy, elaborou uma lista com oito passos para combater um ataque de ansiedade:


» Respire profundamente: oito respirações lentas por minuto. Se você é incapaz de respirar lentamente, respire em um saco de papel, isso vai reduzir a respiração.

» Procure distrações: por exemplo, contar de 150 para trás e de três em três números ou se lembrar da sua música favorita, e, se possível, conte com a ajuda de alguém, mande uma mensagem de modo a manter sua mente distraída desse medo.

» Relaxe seus músculos: após um episódio de ataque de ansiedade é bastante normal os músculos ficarem tensos, então, um momento para relaxar e se distrair é fundamental.
» Afaste os pensamentos negativos: cada vez que você tiver em sua mente um pensamento frustrante ou assustador, rapidamente tente substituí-lo por outro positivo, seja forte para dominar o seu mundo mental.

» Movimente-se: quando você tiver um ataque de pânico não fique sentado ou deitado, pois isso vai piorar seu estado de espírito, se levante, fale com alguém, tente cantar, mexer em papéis, enfim, faça algo.

» Musicoterapia: faça uma compilação de todas as músicas que fazem você feliz ou que transmita positivismo, grave-as em um CD (ou reúna numa pasta) e sempre que tiver um ataque, ouça essas músicas (se tiver fone de ouvido, melhor).

» Exercício: quando nos exercitamos, nosso corpo libera endorfinas (hormônio do bem-estar responsável pela felicidade), caminhadas diárias ou fazer alguma atividade, como ioga ou pilates, lembrando que exercícios suaves são mais eficazes.

» Consulte o seu médico: se você sofre de ataques de ansiedade graves e muito constantes é melhor recorrer a um especialista, ele vai aconselhá-lo como melhor se tratar.
 
 
Sarampo causa graves alterações na visão

A Organização Mundial da Saúde (OMS) coloca o Brasil entre os países com menor orçamento para a saúde. Como se não bastasse o baixo orçamento, parte da população acredita que as vacinas podem fazer mal à saúde. Prova disso é o surto de sarampo no Brasil, depois de o país ter eliminado o vírus, em 2016. “As piores sequelas da doença ocorrem na visão de crianças, especialmente quando o vírus é transmitido ao feto durante a gravidez, por meio da placenta”, alerta o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto, do Instituto Penido Burnier. Isso porque o bebê nasce com catarata congênita, doença que responde por quatro em cada 10 casos de perda da visão na infância. Por isso, ressalta, mulheres em idade fértil que nunca tiveram sarampo ou que não sabem se foram imunizadas nos primeiros anos de vida e adultos que não tomaram a vacina devem procurar pela imunização e tomar as duas doses de vacina no intervalo de um mês. Quem já passou dos 50 anos não precisa ser vacinado, porque a maioria das pessoas nessa faixa etária já teve sarampo e, por isso, é imune à doença.
 
 
 
 
 
Os riscos de consumir carambola

A carambola é uma fruta originária da Índia e que é consumida em grande quantidade no nosso país. No entanto, apesar de ser muito apreciada no Brasil, o fato alarmante é que pesquisadores da USP de Ribeirão Preto descobriram uma substância existente na carambola, a caramboxina, que pode causar intoxicação e danos à saúde, principalmente em pessoas com problemas já existentes nos rins. Rodrigo Melo, nefrologista, especialista da Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN), comenta os resultados da pesquisa e faz um alerta para as possíveis consequências associadas ao consumo da carambola: "Os pesquisadores conseguiram isolar e identificar a substância da fruta que causa a intoxicação. A substância existe em baixa concentração na fruta, mas é tóxica. Quando o fruto e/ou seu suco são consumidos por pacientes acometidos de insuficiência renal, lesão aguda nos rins ou por indivíduos diabéticos, a toxina se concentra no organismo e pode induzir crises de soluços, vômito, confusão mental, agitação psicomotora, convulsões prolongadas (estado de mal epiléptico) e até a morte”, afirma. Para o especialista, mesmo pessoas sem histórico de problemas renais devem evitar o abuso no consumo da carambola: “Existem relatos de pacientes sem doença renal prévia que evoluíram com injúria renal aguda, com necessidade de realização de hemodiálise, após consumir carambola ou o suco da fruta”, revela.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade