Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Bolsonaro não aceitará derrota para Lula em 2022

Em Brasília, o presidente voltou a afirmar que só uma fraude poderá dar a vitória ao ex-presidiário petista


16/05/2021 06:53 - atualizado 16/05/2021 07:23

Presidente Jair Bolsonaro (30/03/2019)
Presidente Jair Bolsonaro (30/03/2019) (foto: Alan Santos/PR )


Se o  marido da receptora de cheques de milicianos  irá ou não vencer as eleições de 2022 , isso nem eu nem ninguém, hoje, pode dizer. Mas, como é bem provável que irá, sim, perder, é bom não deixarmos para a última hora o planejamento legal e democrático em caso de insurreição bolsonarista pela derrota.

Essa gente,  ainda que “apenas” 20% do eleitorado , e ainda que a mínima fração destes esteja realmente disposta a sair às ruas e “tocar o terror”, seja pela idade ou mesmo por valentia restrita à internet, já deu  provas de fanatismo e ignorância  suficientes para que tomemos os devidos cuidados; e um pouco mais.  

Para o verdugo do Planalto , o único resultado honesto da eleição presidencial de 2022 será o que lhe dê a vitória.  Do contrário, será fraude . Sendo assim, é melhor cancelar as eleições e já declarar o  devoto da cloroquina  como presidente reeleito, ou então, “Jairmos” nos preparando para a guerra civil prometida.

O pai do  senador das rachadinhas  e da  mansão de 6 milhões de reais  vive em uma realidade paralela, todos nós estamos cansados de saber. Para ele e sua grei, existem apenas bolsominions e robôs de redes sociais. As pesquisas que indicam sua queda são todas falsas; “a verdade está nas ruas”. 

As ruas que o  amigão do Queiroz  não vê se encontram nas favelas, nas cidades de menor tamanho e maior pobreza, nas casas de milhões de trabalhadores que não têm o menor tempo, interesse e saco para passar o dia defendendo políticos que não tornam suas vidas nem mais baratas nem mais seguras.

Para o  maníaco do tratamento precoce , o chiqueirinho do Alvorada representa o povo. As visitas programadas a redutos eleitorais representam o povo. As tias e tios de meia idade para cima, que predominam nas manifestações a seu favor, é que representam o “povo brasileiro”. O resto… mas que resto? 

Contudo, para a sorte do País - ou azar, já que a alternativa posta não é nem um pouco melhor! - o Brasil não se resume à bolha bolsonarista, e a maior parte dos brasileiros parece não concordar nem estar disposta a aturar mais quatro anos de  negacionismo incompetência , autocracia e  estupidez .

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade