Publicidade

Estado de Minas OPINIÃO SEM MEDO

Aprenda quando usar Ivermectina, medicamento que causa tanta polêmica

Você jamais deixará um político, qualquer que seja, influenciar ou ditar suas vontades, não é mesmo? Ou será que vai?


20/04/2021 12:48 - atualizado 20/04/2021 13:11

Medicamento não é indicado para combater COVID-19, segundo vários estudos científicos(foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)
Medicamento não é indicado para combater COVID-19, segundo vários estudos científicos (foto: Gladyston Rodrigues/EM/D.A Press)


Em apertada síntese, eis o que é a Ivermectina: um fármaco usado no tratamento de vários tipos de infestações por parasitas. Entre elas, a infestação por piolhos, sarna, oncocercose, estrongiloidíase, tricuríase, ascaridíase e filaríase linfática.

Beleza. Agora a primeira questão: quando tomar. Bem, quando um médico - e não a vizinha, o amigo, o WhatsApp e, principalmente, o verdugo do Planalto, Jair Bolsonaro - recomendar. Lembrando que médico é aquele cara, ou “aquela cara”, que estudou durante dez anos antes de te receitar um remédio, sacou?

A segunda questão: como. Depois de se dirigir a uma farmácia e comprar o medicamento %u2015 jamais use Ivermectina ou qualquer outra droga que não tenha procedência confiável e que não seja possível conferir o lote de fabricação e a data de validade %u2015 leia a receita que o tal médico, ou médica, lhe passou, e siga em frente.

A terceira questão: por quê. Porque você: 1) estava com algum incômodo físico. 2) Fez o correto e procurou ajuda especializada. 3) Foi receitado e orientado por um profissional. 4) Quer se livrar da doença, ué.

Mas e o oposto? Quando não tomar? Como não tomar? Por que não tomar?

Bem, “quando não tomar” é fácil. Se na bula do medicamento não constar expressamente a doença que você pretende combater, não tome. Jamais! 

Por exemplo: Ivermectina não serve para tratar a Covid-19. Quem disse? O próprio fabricante do remédio, que tem todo interesse em vendê-lo.

E “como não tomar”? É fácil. Ignorando solenemente os curandeiros de plantão. Não dando ouvidos a “fake médicos”. Não acreditando em tudo o que Google e WhatsApp lhe mostram.

Por fim, “por que não tomar”. Porque você não é trouxa. Você não vai acreditar no que dizem as redes sociais. E você jamais deixará um político, qualquer que seja, influenciar ou mesmo ditar suas vontades, não é mesmo? Ou será que vai?

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade