Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Mina$ em foco

Ações da Gerdau, Vale, Cemig e Usiminas devem puxar bons dividendos

As ações de quatro companhias com ligações vitais ao desempenho de Minas Gerais têm destacado lugar em ranking da Economatica


07/01/2022 04:00 - atualizado 07/01/2022 07:03

Além da Usiminas, Gerdau está em estudo de ações candidatas a boas pagadoras de 2022
Setor siderúrgico, com participação importante na produção de bens e serviços de Minas, deve ter destaque entre ativos de empresas com melhor perspectiva de retorno em dividendos neste ano (foto: Elvira Nascimento/Divulgação - 14/6/21)
Ano de eleições e a tônica dos investimentos das empresas e da população parecem sempre caminhar inseparáveis, como unha e carne. Com a razão conhecida dos ganhos que movem o mercado financeiro, os analistas de bancos e corretoras e grandes aplicadores manejam suas avaliações em relatórios que antecipam e, ao mesmo tempo, perseguem as pesquisas de intenção de voto. Entre pequenos investidores, é algo também buscado, mas em suas modestas planilhas para segurar a poupança tão almejada, principalmente, em tempo de inflação alta e, de fato, muitas incertezas sobre a política econômica.
 
Nesse cenário que joga luzes sobre a expectativa de proteção e multiplicação do dinheiro de quem pode construir ativos e poupança, 2022 começou com especialistas trabalhando para identificar os rumos dos ativos financeiros. Três áreas essenciais para a produção de bens e serviços de Minas Gerais, medidas pelo PIB – a siderurgia, a mineração e o setor elétrico, foram listadas entre os papéis classificados como prováveis bons pagadores de dividendos neste ano, segundo estudo da consultoria Economatica.
 
As ações de quatro companhias com ligações vitais ao desempenho de Minas Gerais – Gerdau, Vale, Usiminas e Cemig – têm destacado lugar no ranking. Não só os investidores, mas também o governo, devem manter o radar aceso, agora, para as empresas com esse potencial. Afinal, há quem invista no mercado financeiro apenas com o interesse de obter parte dos lucros das companhias. Os teóricos demonstram a importância do que o Brasil procura fazer com muita dificuldade, tornar o seu mercado de capitais forte e acessível, para captação de recursos que, nos investimentos produtivos, vão gerar empregos e promover desenvolvimento, a exemplo dos Estados Unidos.
 
No estudo da Economatica, os setores de siderurgia e minerais metálicos responderam cada um com três ações no ranking das candidatas a pagar bons dividendos em 2022. Energia elétrica concentrou cinco ativos e os segmentos de incorporadoras e exploração, refino e distribuição de petróleo detêm duas ações cada. Na terceira posição do ranking, a ação preferencial da Metalúrgica Gerdau (GOAU4) tem perspectiva de remunerar os acionistas à taxa de 20,39%, na avaliação da Economatica. O destaque merecido está ancorado no lucro líquido recorde da companhia, de R$ 4,6 bilhões, no terceiro trimestre de 2021.
 
O chamado dividend yield, expressão inglesa que traduz a taxa de rendimento baseado no pagamento de dividendos, da ação preferencial USIM5, da siderúrgica Usiminas, foi projetado em 9,40%. Não é por pouco diante do ganho 821% maior do que o de 2020 obtido pela empresa de julho a setembro do ano passado, de R$ 1,8 bilhão. Embora o resultado tenha sido influenciado pelo reconhecimento no balanço de créditos de PIS/Cofins e ganhos cambiais, a empresa teve avanços em vendas de aço e minério de ferro.
 
A Vale, por sua vez, ocupa a sexta posição, com a Vale 3 e retorno estimado em 18,77%. A mineradora havia informado em outubro de 2021 lucro líquido de R$ 20,2 bilhões no terceiro trimestre, representando aumento de 29,4% frente a igual período de 2020.
 
Por fim, a Cemig surge na relação de 23 ações com perspectiva de oferecer retorno de 10,44%. O ano passado foi turbulento para a concessionária, envolvida em escândalos apurados em CPI da Assembleia Legislativa de Minas Gerais relacionados à suposta interferência em sua gestão do partido Novo, legenda à qual está filiado o governador Romeu Zema. A companhia anunciou lucro líquido de R$ 421 milhões de julho a setembro, que teve queda de 27,2% frente ao terceiro trimestre de 2020.
 
A ação líder como candidata a boa pagadora de dividendos em 2022 é o papel ordinário da Bradespar (BRAP3), com previsão de rumunerar o acionista em 44,53%. O desempenho está influenciado por seu principal ativo, Vale 3. A Economatica observou que os dividend yields podem ficar maiores neste ano, ainda que os lucros das companhias diminuam, tendo em vista a desvalorização de alguns ativos verificada no último ano. Haja fôlego, atenção e coração dos investidores para lidar com os efeitos da corrida eleitoral já aberta no país. Não se trata de um mercado para amadores, o que reforça o apelo à responsabilidade dos gestores do setor público e de cuidados adicionais dos quais os mortais pequenos poupadores terão de se cercar.

Eleição diferente

Entre os critérios usados pela Economatica para eleger as candidatas a boas pagadoras de dividendos e juros sobre capital próprio (JCP) em 2022 estão volume financeiro médio diário obtido em 2021 superior a R$ 5 milhões por dia; lucros obtidos em 2020 e nos nove primeiros meses do ano passado; ações que distribuíram dividendos ou JCP em 2021. O estudo considera, ainda, política de distribuição de dividendos e JCP neste ano equivalente ou superior àquela do ano passado.

Histórico

R$ 404,8 bilhões foi o volume de recursos captado no mercado de capitais do país de janeiro a outubro de 2021

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade