Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Galo tropeça, mas ainda é líder isolado no Campeonato Brasileiro

O time mineiro continua dependendo somente dele para ser campeão, depois de 50 anos na seca


18/10/2021 04:00 - atualizado 18/10/2021 07:58

Guga, lateral do Atlético
Guga, que teve desempenho péssimo, escorregou e derrubou o bandeirinha, que se machucou na queda (foto: Pedro Souza/Atlético)
O Galo foi a Goiânia e conheceu sua primeira derrota, depois de 18 jogos de invencibilidade no Brasileirão. Chegou a fazer 1 a 0, com Nathan, mas levou a virada, 2 a 1, para o Atlético-GO, e perdeu três pontos irrecuperáveis. Nada para desespero ou coisa parecida. A vantagem do alvinegro para o Flamengo, seu mais próximo concorrente, ainda é grande, e o time mineiro continua dependendo somente dele para ser campeão, depois de 50 anos na seca.

Vencer o Atlético-GO em Goiânia nunca é fácil, mas, o Galo, com sua competência e regularidade, ia em busca de mais três pontos, para chegar aos 59, na sua corrida pela taça que não vê há 50 anos. Embalado pela invencibilidade e pela pontuação, tem gente apostando em qual rodada o Atlético Mineiro será o campeão brasileiro. O time da casa tinha 31 pontos, no meio da tabela, querendo pontuar para chegar logo ao número que lhe permita permanecer na elite. Alonso, Arana e Hulk voltavam, e Nacho começava jogando. Com esses atletas, o Galo era forte demais. Raphael Claus era o árbitro, dos melhores do país e Fifa, conforme pediu a diretoria alvinegra.

O campo era bem espremido. Logo aos 5min, Gabriel Baralhas subiu com o braço aberto e amplia o espaço. O VAR chamou o árbitro, que foi ao monitor e entendeu que a bola bateu na perna do jogador, antes de tocar no braço. Segue o jogo e o Galo começou a pressionar com Hulk, em chute da esquerda, Alonso, em cabeçada. Só dava Galo, com pressão o tempo todo. Keno lançou Hulk, mas ele chegou atrasado. É impressionante como Guga não acerta um cruzamento.

O jogo era fraco, pois o time da casa só se defendia. Mas, no contra-ataque, Janderson fez grande jogada e chutou em cima de Everson, no rebote, Zé Roberto chuta forte e Everson faz grande defesa. Aos 35min, o time da casa chegou pela primeira vez. Em uma jogada curiosa, o péssimo Guga escorrega e derruba o bandeirinha, que se machucou na queda, sentindo o ombro. Foi medicado e continuou bandeirando. E assim terminou o primeiro tempo.

O Galo tinha mais 45 minutos para fazer seu gol. Hulk quase marcou diante do goleiro. Arana arriscou de longe, com perigo. Fernando Miguel segurou firme. Aos 14 não teve jeito. Escanteio para o Galo e Nathan Silva fez, de cabeça, 1 a 0. Era a “lei do ex”, já que ele começou a competição no time goianiense. Agora as coisas poderiam melhorar, pois o time da casa teria de abrir e poderia proporcionar contra-ataques ao time mineiro. Hulk arrancou pela direita e deixou Allan na cara do gol. O volante furou de forma bisonha. Um vacilo na saída de bola do Galo, Marlon Freitas encontrou Janderson na cara de Everson. Ele deu um tapa e empatou: 1 a 1. Erro de Tchê Tchê na saída de bola.

Cuca mexeu. Pôs Sasha e Dylan, tirando Tchê Tchê e Keno. Guga conseguiu um bom cruzamento, um fato raro, mas Nacho chegou atrasado. Dylan tentou da entrada da área. Por cima do gol. O Galo era pressão em busca do gol da vitória. Cuca mexeu, outra vez. Pôs Calebe na vaga de Zaracho. E o Atlético Goianiense virou. Cobrança de escanteio, a bola foi rebatida e no novo cruzamento, Oliveira, que acabara de entrar, fez 2 a 1, complicando as coisas para o Galo.

Hyoran entrou na vaga do péssimo Guga. O Atlético Mineiro atacava no desespero, de forma desordenada. O final estava dramático. Nacho arriscou. Fernando Miguel pegou firme. O árbitro deu 5min de descontos. Só dava Galo, em busca do empate, mas, totalmente desorganizado. Hulk ganhou um escanteio. Foi todo mundo para a área. A zaga cortou. No rebote, o árbitro deu falta em Arana, na entrada da área, aos 47 minutos. Nacho bateu na barreira. No rebote, ele mesmo chutou para fora. Dylan emendou de fora da área, para fora. Foi a última tentativa do time mineiro, que perdeu três pontos irrecuperáveis, mas ainda é líder do Brasileirão, com folga.


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade