Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas JAECI CARVALHO

Nacho sai do banco e decide para o Galo

Com isso, o Atlético chega aos 56 pontos e permanece na liderança isolada e com uma boa distância para os concorrentes


13/10/2021 21:03

Jogador do Atlético sorri para os companheiros
Com dois gols e uma assistência, Nacho Fernández comandou virada do Atlético sobre o Santos (foto: Ramon Lisboa/EM/D.A Press)
O Atlético derrotou o Santos, de virada, 3 a 1, em jogo decidido por Nacho Fernández, que saiu do banco para mudar a história da partida. O Santos fez um bom primeiro tempo, mas sucumbiu na etapa final. Nacho fez dois gols, um em cobrança de pênalti, e outro em rebote, de um pênalti que ele bateu e o goleiro João Paulo defendeu parcialmente. O outro gol foi do zagueiro Nathan. O gol do Santos foi de Ranieri. Com isso, o Galo chega aos 56 pontos e permanece na liderança isolada e com uma boa distância para os concorrentes.

Sem Hulk, seu principal jogador na temporada, com contusão muscular, e com Nacho no banco, Cuca optou por Diego Costa, Keno e Dylan, para começar o jogo contra o Santos. O time paulista havia derrotado o Galo no turno, e precisava repetir o feito para se afastar da turma do Z-4.
 
Porém, o time mineiro queria chegar aos 56 pontos, e se distanciar ainda mais do Flamengo, único que ainda pode supera-lo. O Palmeiras empatou com o Bahia, ontem, e está a 13 pontos do alvinegro. O combustível a mais estava no Mineirão: o torcedor, mesmo em quantidade reduzida pelas restrições por causa da Covid-19.

Zaracho foi lançado e teve sua camisa puxada, dentro da área. Pênalti, claro! O VAR não chamou o árbitro e nada foi marcado. Aos 13 o Flamengo fazia 1 a 0 no Juventude. O Galo precisava fazer seu gol. Mas quem quase marcou foi o Santos. Escanteio batido na primeira trave, Everson salvou quase em cima da linha. O Santos dominava o meio-campo, bem preenchido.
 
O Galo não tinha um bom começo. Sem jogadas pelas extremas, sem qualidade no meio, sem objetividade ofensiva. O Flamengo fazia 2 a 0 no Juventude. Allan chutou de longe. João Paulo espalmou. Velasquez fez falta em Zaracho. O árbitro ignorou. Uma péssima atuação de Paulo Roberto Júnior, árbitro do Paraná.
 
O galo percebeu que os chutes de fora da área eram uma das soluções. Andreas Pereira fez Flamengo 3 a 0, em bela cobrança de falta. Isso pressionava ainda mais o Atlético a vencer. Estava perdendo dois pontos importantes. Dylan entrou na área, se chocou com o zagueiro e pediu pênalti. O árbitro mandou seguir. Não teria sido melhor Cuca começar com Nacho e Sasha? Ambos estavam no banco. Diego Costa recebeu na área, dominou, mas, na hora do chute, foi travado. E assim terminou o primeiro tempo.

O Galo voltou com Nacho e Sasha. Saíram Diego Costa e Dylan. Diego Costa sentiu a coxa, novamente. O problema de contratar jogador veterano é esse. E o Santos fez 1 a 0 com Raniel. Ele dominou na entrada da área e chutou no canto. Santos 1 a 0. O Juventude diminuiu. 3 a 1 Fla.
 
O Galo precisava virar o jogo para conseguir os 3 pontos. Cuca pôs Tchê Tchê e Caleb nas vagas de Jair e Mariano. Escanteio para o Galo, Caleb tocou e o goleiro João Paulo salvou em cima da linha. Quase gol do Galo. Mas o VAR chamou o árbitro e ele foi ao monitor checar um possível pênalti de Lucas no próprio Caleb. E ele marcou a penalidade. Nacho pegou a bola e bateu. Gol do Galo. 1 a 1. O Santos mandou uma bola no travessão em cabeçada. A torcida empurrava o time, após o empate. A vitória era importantíssima.

Nacho cobrou falta e Nathan Silva cabeceou para virar. 2 a 1. A massa foi a loucura. Após o gol, Cuca tirou Keno e pôs Ígor Rabelo. Se fechou na defesa para garantir o resultado. Caleb entrou na área e foi tocado por Velasquez. O árbitro foi chamado para ver o Monitor e marcou a penalidade. Nacho bateu, o goleiro defendeu, mas, no rebote, o próprio Nacho fez 3 a 1.
 
O Mineirão foi a loucura com a vitória, de virada, na garra, na raça e no talento de Nacho Fernández. Em seu terreiro, o Galo é quase imbatível! Deu Galo na cabeça!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade