Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Coluna do Jaeci

Com jogadores como Neymar, perdi o prazer de torcer por nossa Seleção

Figuras como Neymar, Thiago Silva e Cia. não nos representam. São tão nojentos, tão idiotas, que conseguiram nos afastar da camisa verde-amarela


10/07/2021 04:00 - atualizado 10/07/2021 07:45

Neymar é um grande jogador, mas, na Seleção Brasileira, é mais um fracassado, idolatrado pela 'geração nutella'(foto: MAURO PIMENTEL/AFP %u2013 23/6/21)
Neymar é um grande jogador, mas, na Seleção Brasileira, é mais um fracassado, idolatrado pela 'geração nutella' (foto: MAURO PIMENTEL/AFP %u2013 23/6/21)

Acompanho a Seleção Brasileira há 35 anos mundo afora. Desde 1986, quando trabalhava na TV Globo, até hoje, são 274 coberturas internacionais, com 73 países visitados, a grande maioria em cobertura da Seleção. Convivi com Zico, Júnior, Éder, Reinaldo, Cerezo, Ronaldo Fenômeno, Ronaldinho Gaúcho, Romário e tantos outros gênios da bola, que se tornaram amigos, não só meus, mas de grande parte da imprensa.

Convivíamos juntos, criticávamos e elogiávamos na mesma medida, e eles não fechavam a cara para nós. Ao contrário, entendiam quando jogavam mal. Já fui a festas com alguns deles, mas jamais publiquei uma linha de suas vidas pessoais. Nunca me interessei por elas.

Porém, depois dos 7 a 1, eu confesso que fiquei cético e resolvi me afastar desses caras. Essa geração “Nutella” não nos representa. Neymar disse que “quem torce contra o time brasileiro vá para o C.....”. Eu não esperava outra coisa de alguém que foi acusado de estupro, que não foi provado, e, mais recentemente, de assédio sexual a uma funcionária da Nike.

Neymar é um grande jogador. Dentro de campo, dribla, tabela, faz gol, tem arte, mas, na Seleção Brasileira, é mais um fracassado. Fez parte do grupo que tomou 7 a 1 no lombo, embora tenha sido cortado daquela Copa. Como os jogadores mesmo dizem: “Ganham todos e perdem todos”.

Eu sempre disse que não me importa quem vista a camisa amarela, pois sou mais Brasil. Mas esses caras são tão nojentos, tão idiotas, que, realmente, eu perdi o prazer de torcer pela Seleção. Eu e 90% do povo brasileiro, humilhado por apresentações pífias, por futebol pobre, pela panela que domina o time canarinho. Antigamente, eram convocados os melhores.

Hoje, são os amigos dos amigos, a velha e boa confraria. Fernandinho, por exemplo, no entregou nos 7 a 1 e contra a Bélgica, em 2018, e não é que foi chamado para a Copa América de 2019? Foi campeão! “Grande conquista”! Copa América e nada para o povo brasileiro é a mesma coisa. Nos interessamos por Copa do Mundo. O resto é para inglês ver!

Essa geração que não lava uma cueca, não guarda um sapato, não arruma a cama, se derrete por Neymar. Não é culpa dela. É o que tem. Só existe esse jogador com talento, o resto é mesmo resto. Na época de ouro do futebol brasileiro, tínhamos, no mínimo, dois craques por posição. Hoje, temos jogadores bonzinhos, e a maioria, reserva na Europa. Gabriel Jesus é uma aberração.

E não duvidem se o PSG, de Neymar, for campeão europeu. Contratou o goleiro italiano Donnarumma, Sergio Ramos e outros craques. Está investindo tudo para isso. Aí, vão dizer que Neymar é o melhor do mundo, que tudo o que se fala a respeito dele é balela.

Enquanto tivermos Neymar, Thiago Silva, Gabriel Jesus e outros engodos na Seleção, vou me abster de torcer. Não vou me incomodar nem um pouco se o Brasil for campeão da Copa América hoje ou mesmo se a Argentina ganhar. Ficarei feliz por Messi, um exemplo, dentro e fora de campo, um cara família, que nunca se envolveu em escândalos. Os baba-ovos de Neymar vão pedir para morrer se isso ocorrer.

Messi campeão em cima de Neymar, no Maracanã, será demais para os “nutellas”. Quem sabe surge uma nova geração de garotos saudáveis, com berço e, acima de tudo, um grande futebol? Essa geração aí não nos representa. E vejam a carência de títulos dos Hermanos. Coitados, não ganham nada desde 1993. Já o Brasil vive uma seca de 19 anos, pois o último título mundial, que é o que nos interessa, foi conquistado em 2002. De lá para cá, só eliminação, além dos 7 a 1 aplicados pelos alemães. Vergonha!

Gosto de Messi e CR7 por serem extremamente família, por mostrarem sempre o caminho do bem. Ainda bem que eles existem, pois, se não existissem, a geração “nutella” passaria sem saber o que é futebol de verdade. Torcer contra o Brasil, nunca! Mas, torcer por esses caras, jamais!


*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade