Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DE JAECI CARVALHO

Galo despacha o 'freguês' Flamengo e cola nos líderes

Com o triunfo, o Galo chega aos 19 pontos na tabela do Brasileiro e continua sua briga pela taça


07/07/2021 21:29

Savarino marcou os dois gols do Atlético(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)
Savarino marcou os dois gols do Atlético (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D. A Press)


O Atlético precisou apenas de 7 minutos no segundo tempo para derrotar o Flamengo por 2 a 1, com gols de Savarino. Arão descontou. Com o triunfo, o Galo chega aos 19 pontos na tabela do Brasileiro e continua sua briga pela taça. 


O primeiro tempo foi muito igual, com as duas equipes querendo o gol. Na fase final, o Galo poderia ter feito 3 ou 4, mas parou nas defesas de Diego Alves. O Flamengo mais parecia um bando em campo, sem esquema tático e muito desarrumado. Rogério Ceni está ameaçado de demissão e tomou um nó tático de Cuca.

O Galo recebia o Flamengo, no Mineirão. As duas equipes ainda desfalcadas por terem cedido jogadores para a também falida Copa América. O jogo começou com chances para os dois lados e os goleiros trabalhando. Pedro teve chances. Savarino também. Michael incomodou, Hulk também. Savarino tentou de fora da área. Ela passou perto. O gramado do Mineirão estava horrível!

Bruno Henrique não vive bom momento, mas sempre incomoda as defesas. Michael era aquele engodo de sempre. Nacho Fernández fazia falta. É o principal criador de jogadas do Galo.

 Com 3 zagueiros, Cuca se sentia mais seguro. Dessa vez, Rogério Ceni não inventou. Devolveu Arão ao meio-campo, e pôs Bruno Viana ao lado de Rodrigo Caio na zaga. Ameaçado de demissão, precisava da vitória para espantar a crise. 

Everton Ribeiro e Gabigol faziam muita falta. Júnior Alonso recebeu de Hulk e cruzou. Filipe Luís salvou o Flamengo, quando Savarino já se preparava para marcar. Bruno Henrique chutou, e Everson segurou com tranquilidade. Savarino arriscou de fora. Diego segurou firme. As equipes jogaram querendo o gol, mas o 0 a 0 persistiu. Se fosse 2 a 2, por exemplo, seria um placar justo.

Bruno Viana foi mal na zaga, e Ceni voltou com Arão no setor, pondo Hugo Moura no meio-campo. Isla também saiu para a entrada de Matheuzinho. Cuca não mexeu. Estava satisfeito com o que viu no primeiro tempo. 

Aos 5 minutos não teve jeito. Triangulação, Mariano para Zaracho, para Savarino e gol. Galo 1 a 0. Três minutos depois, Mariano foi lançado pela direita e cruzou. Savarino, livre, fez Galo 2 a 0. 

Arão entregou nos pés de Savarino. O atacante do Galo perdeu a passada. Poderia ter feito o terceiro gol. 

O Flamengo teve que abrir. O Atlético explorava os contra-ataques para fazer mais gols. Savarino foi lançado, chutou e a bola desviou na zaga e foi a escanteio. Na cobrança, Nathan cabaceou e Diego Alves fez grande defesa. Quase o terceiro gol. 

Rogério Ceni não tem mais condições de continuar dirigindo o Flamengo. Não conseguiu dar o menor padrão de jogo ao time em 8 meses.

Cuca dava um nó tático em Ceni.

O Flamengo tentava na pressão, mas o Galo estava sólido em sua defesa, sem dar espaços. Arrascaeta arriscou da entrada da área. A bola raspou a trave. O Galo aguardava um contra-ataque para fazer 3 a 0 e matar o jogo. Finalmente o péssimo Michael saiu. Rodrigo Muniz entrou. O tempo foi passando e o Atlético administrando o resultado. 

Na cobrança de escanteio, Arão cabeceou no ângulo de Everson: 2 a 1. Eram 43 minutos. Aos 45, Arrascaeta, cara a cara com Everson, chutou em cima do goleiro do Galo, perdendo a chance do empate.

Mais uma vez o Galo derrota o Flamengo, chega aos 19 pontos e está no G4. O rubro-negro está em péssima fase, mas ainda tem dois jogos a menos. Com 12 pontos, pode chegar aos 18. A situação de Rogério Ceni fica crítica. Dificilmente será mantido.

FINAL EUROCOPA


Itália e Inglaterra farão a final da Eurocopa, domingo, em Wembley. Os italianos se renovaram sob o comando de Roberto Mancini e mostram um belíssimo futebol, que, além de seguro na defesa, como sempre, tem muita qualidade ofensiva.

 Os ingleses, sob o comando do técnico, Gareth Southgate, também se renovaram e têm uma seleção forte e capaz de conquistar a taça. 

Deveremos ter um jogaço para confirmar que a distância entre o futebol europeu e o sul-americano é abissal. O lendário estádio Wembley estará lotado. Nos países que investiram em vacina, como aqui nos Estados Unidos, a vida vai voltando ao normal.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade