Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Deem tempo a Cuca e ele ganhará taças

'Quero crer que o Galo não vai decepcionar. Vai vencer, se possível golear, e mostrar ao ditador Maduro, que o futebol democrático é o melhor dos mundos'


20/04/2021 13:26 - atualizado 20/04/2021 13:59

(foto: Pedro Souza/Atlético)
(foto: Pedro Souza/Atlético)
O Galo estreia na Copa Libertadores da América, nesta quarta-feira, à noite, na Venezuela. O adversário é o desconhecido Deportivo La Guaria, que, segundo informações, fez uma única partida nesta temporada. Nas boas épocas do futebol brasileiro, perguntaríamos de quanto o Galo iria ganhar, conhecendo ou não o oponente. Estou falando do Atlético de Reinaldo, Cerezo, Éder, Luisinho e cia. 
Hoje, porém, todo cuidado é pouco. O futebol está nivelado por baixo no mundo inteiro, haja vista a ganância do presidente do Real Madri, Florentino Perez, em criar a Superliga, onde os grandes times europeus não sofrerão rebaixamento e terão cadeira cativa, independentemente da colocação nos campeonatos nacionais. Um projeto que vai morrer no papel, pois o mundo do futebol ficou indignado. Florentino diz que será a salvação do futebol europeu, para os clubes não morrerem. Tenho minhas dúvidas.

O problema é que os europeus viveram décadas de gastança, contratando jogadores comuns, a peso de ouro. A conta chega até para a economia em euros, e chegou. O Barcelona deve mais de R$ 1,8 bilhões de euros, assim como seus pares. Traduzindo para o português claro, estão quebrados lá e aqui. Só que lá a quebradeira é em euro, moeda forte, e no Brasil em reais, moeda desvalorizada.

A Liga dos Campeões da Europa é o maior e melhor torneio de futebol do mundo. É valorizada por não dar vaga no ano seguinte ao campeão da temporada anterior, qualificando os clubes mais bem classificados em suas competições nacionais. Existe o imponderável e a gente pode ver, como vimos nesta temporada, Barcelona, de Messi, e Juventus, de CR7, serem eliminados prematuramente.

A Libertadores tenta copiar esse modelo, porém, o nível técnico na América do Sul, é dos piores. E o futebol brasileiro consegue classificar até 8 times, o que acho um absurdo. Sou a favor da qualificação, não da quantificação. Se você tem uma competição com os 16 melhores clubes da América do Sul, o espetáculo estará garantido, com grandes jogos. Se você tem 32 equipes, caso de hoje, verá jogos ruins, contra adversários desconhecidos e de qualidade duvidosa.

No grupo do Galo estão Deportivo La Guaria, Cerro Portenho e América de Cáli. Não sei nada sobre o time venezuelano, mesmo porquê o primeiro esporte naquele país é o beisebol, seguido por Boxe, ciclismo e futebol. Por isso, era inimaginável pensar em derrota do Galo. Porém, vi, em Boston, o Brasil de Dunga ser derrotado pela Venezuela por 2 a 0. É o fim dos tempos! Venezuela e Bolívia eram sacos de pancada dos brasileiros. Hoje, nos enfrentam de igual para igual, haja vista o empate na Copa América, no Brasil, em 0 a 0, com, Tite no comando do time canarinho.

Quero crer que o Galo não vai decepcionar sua gente. Vai vencer, se possível golear, e mostrar ao ditador Maduro, que o futebol democrático é o melhor dos mundos. Voltar com os 3 pontos na bagagem e se preparar para ganhar mais 6 nos jogos contra América de Cáli Cerro Portenho, no Mineirão, dará a tranquilidade que Cuca precisa para implantar sua filosofia de trabalho.

Pelo que observo, ele tem a ideia de jogar com 3 zagueiros e dois alas, tornando um dos volantes uma espécie de zagueiro. Não é do dia para a noite que conseguirá isso. O torcedor deve ter paciência e respeitar a história vencedora dele. Peguem os começos de Cuca nos times pelos quais passou. Até ajustar ao seu modo, ele sofreu alguns tropeços, mas, no fim, o torcedor comemorou. Não será diferente, agora, mas eu aposto num Cuca confiante, num time equilibrado e em conquistas. Resta saber se o torcedor alvinegro pensa como eu e dará a ele o tempo necessário.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade