Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Gabigol: tão rico, tão pobre!

'Fosse a diretoria do Flamengo profissional, hoje mesmo já teria anunciado a punição a Gabigol'


15/03/2021 14:19 - atualizado 15/03/2021 15:07

(foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
(foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Gabigol jogu na Europa, na Inter de Milão e no Benfica. Não deu certo em nenhum dos dois. Marcou um gol em um ano, e foi reserva de luxo, pois custou caro. De volta ao Brasil, e atuando pelo Santos, deitou e rolou nas fracas defesas brasileiras e despertou o interesse do Flamengo, sendo um dos protagonistas nas conquistas do Rubro-negro em 2019. Virou uma espécie de intocável no Ninho do Urubu. Manda e desmanda, faz biquinho para treinador, “pinta o sete”, e ninguém o contesta.
Dessa vez, foi longe demais. Se reuniu em um cassino clandestino, aglomerando-se com centenas de pessoas, e acabou detido, lá em São Paulo. Com um ar de superioridade, segundo um delegado, tratou mal os policiais, pois tem uma fortuna no banco. Milionário, mas sem berço e educação, é daqueles que acham que estão “Acima do bem e do mal”.

Eu já sabia que a diretoria do Flamengo não iria puni-lo. Claro, ele estava de folga e, na folga, o jogador faz o que bem quiser, não é mesmo? Não! Gabigol tem que perceber que é uma figura pública, ídolo de milhões de pessoas e que tem contrato vigente com o Flamengo. Dessa forma, de folga ou não, representa a instituição.

Lembro-me de um episódio envolvendo o ex-goleiro, Oliver Khann, da Alemanha e Bayern De Munique. Ele estava em tratamento médico, na fisioterapia, mas, resolveu ir a uma boate em Munique, à noite. No dia seguinte o clube soltou um comunicado, informando que ele estava multado em 20 mil euros. Sim, em clube sério, com dirigentes sérios, funciona assim. Ele estava de folga, naquele período da noite, mas não deveria estar numa boate, se estava em tratamento e fora dos jogos.

Fosse a diretoria do Flamengo profissional, hoje mesmo já teria anunciado a punição a Gabigol. Mas, no Brasil os dirigentes são amadores e reféns dos jogadores. Passar a mão na cabeça de quem comete dois crimes de uma só vez, é um absurdo. Gabigol estava num lugar proibido, pois jogatina no Brasil e cassinos são proibidos, e desrespeitou a lei em São Paulo, que impede aglomerações, nesse período de pandemia.

Gabigol não está nem aí para isso. Tem dinheiro e acha que pode fazer o que bem entender. É uma pena perceber que o futebol ainda produz muita gente ruim, sem berço, sem educação e sem respeito a vida do próximo.

Para mim não foi surpresa, Esse rapaz já andou metido em outras confusões. Pode ter todo o dinheiro do mundo, mas ficará na história como aquele que desrespeitou leis em seu país. Ah se fosse na Europa...  Seria preso, dormiria na jaula e responderia a processo. No Brasil, não vai dar em nada. Estão soltando até traficantes e políticos condenados, imaginem se vão prender esse “astro”.

Pobre Gabriel, ou Gabigol. Você é tão pequeno, tão mesquinho, que merece o desprezo de quem preza pelo bem. Já que para a cadeia você não irá, que pelo menos seja desprezado e ignorado pela população de bem. Tomara Deus que nenhum parente seu morra acometido pela Covid-19. É muito triste saber que uma pessoa morre com falta de ar. 

Tenho vergonha de ver dirigentes tão bananas no comando do meu clube. Gente, que como você, só pensa no dinheiro. Aliás, para quem viu 10 crianças morrerem queimadas, e não se prontificou a indenizar as famílias dos jovens, de forma adequada, eu não poderia esperar outra coisa.

Só faltou um dos dirigentes ir para São Paulo e assumir o lugar de Gabriel, quando foi detido. Sim, os dirigentes fazem isso. São submissos, reféns. Passam por cima das leis para proteger esses idiotas, que ganham fortunas, mas que não passam de pobres de espírito, educação, respeito. Aliás, palavras que talvez jamais tenham usado em suas vidas.

Pobre Gabigol. Tão rico e tão pobre!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade