Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Coluna do jaeci

Declaração do presidente de que Série B será atraente é vergonhosa

O Cruzeiro ainda paga a folha salarial mais alta da Série B e deveria ter feito um time mais competitivo e de qualidade


10/01/2021 04:00 - atualizado 10/01/2021 08:23

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, foi infeliz ao declarar que a Série B será atraente para o time com a chegada de outros grandes(foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press )
O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, foi infeliz ao declarar que a Série B será atraente para o time com a chegada de outros grandes (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press )

O presidente do Cruzeiro, Sérgio Santos Rodrigues, tem feito das “tripas coração” para dar um norte ao seu clube, terra arrasada pela gestão anterior. Sei dos esforços e da vontade em acertar. Porém, ele jamais deveria ter dito que a Série B será atraente, pois mais dois grandes deverão cair.

Ora, senhoras e senhores, com todos os problemas financeiros, com todos os desvios feitos e por tudo que a polícia divulgou sobre a gestão anterior, o Cruzeiro ainda paga a folha salarial mais alta da Série B e deveria ter feito um time mais competitivo e de qualidade.

Não há justificativa para um time dessa grandeza não subir no ano seguinte à queda. Aconteceu com o Fluminense, em 1996, que chegou a cair para a Terceirona, mas não deveriam ter deixado acontecer com o Cruzeiro.

Fazer futebol não tem varinha mágica. É preciso pôr gente capacitada e gabaritada para tal. Tivessem procurado Felipão no começo da disputa e a história seria outra, com outros atletas e um time forte. O procuraram quando o caldo já havia entornado, e eu avisei que ele não é milagreiro, é técnico de futebol.

Por mais que esteja evidente que o Cruzeiro não vai voltar à elite, é preciso ter a grandeza de dizer que isso é uma decepção, uma vergonha e que não há desculpa. Série B não é atraente para ninguém, a não ser para uma equipe pequena, que sobe da C.

Eu sempre disse que para voltar à elite é necessário ter um time e um técnico de Série A. O Cruzeiro não entendeu isso. Montou um time bem ruim para a disputa, com técnicos de qualidade duvidosa. Por isso, avisei em janeiro que esse time não subiria e o resultado está aí. Ainda há remotíssimas chances matemáticas, mas, como nunca acreditei em matemática no futebol, dou de ombros para isso. Justamente no ano do seu centenário, o Cruzeiro vai amargar jogos contra Sampaio Corrêa, Cuiabá, Guarani, Ponte Preta e outras equipes menos votadas.

O torcedor sonhava em ver como adversários Flamengo, Corinthians, Atlético, Palmeiras e por aí afora. Aliás, Vasco, que caiu três vezes, Palmeiras e Botafogo, caíram duas, Grêmio, Internacional, Atlético e Corinthians. Exceto Flamengo, Santos e São Paulo, os demais grandes já caíram. Na Itália, somente a Internazionale, de Milão, nunca caiu. Porém, é preciso se estruturar, ainda mais quando existe a queda.

É sabido que os seis pontos que a Fifa tomou do Cruzeiro, punindo-o por irregularidades em negociação de jogador, estão fazendo falta. Mas eu também avisei que isso não era tão simples e que no final essa pontuação tomada faria a diferença. E está fazendo. Era uma quantia que poderiam ter pedido ao mecenas para emprestar. A falta de planejamento leva a isso. O conselho gestor entrou para tentar salvar o clube da insolvência. Fez o que pôde, mas poucos ali entendiam de futebol.

O Cruzeiro precisa se planejar agora, rapidamente. Buscar receitas, trabalhar em cima de um orçamento e tentar montar um time de Série A. Felipão, caso fique, terá autonomia para montar o time. Mas não esperem dele futebol bonito. Essa nunca foi a característica dele. Mas, sabe organizar uma equipe e vai fazê-la jogar.

O Cruzeiro tem uma base e vai precisar de seis jogadores para entrar no time, imediatamente. Se mantiver jogadores “bonzinhos”, o destino não será dos melhores. Ao contrário do que disse o presidente, não acho a Série B atraente de jeito nenhum. Acho que será um complicador para o Cruzeiro caso caiam dois grandes, pois serão mais duas equipes para brigar com ele por uma das quatro vagas. Se ficar na B no ano do centenário já será um drama, imaginem se o Cruzeiro permanecer por lá mais alguns anos?

BRILHANDO NO PAYSANDU


Marcone Barbosa, executivo de marketing do Paysandu, está em alta no clube. Uma vitória sobre o rival, Remo, neste domingo, fará o Papão do Curuzu voltar à série B do Brasileirão. Marcone fez belos trabalhos no Cruzeiro e Fluminense, e aceitou o desafio do clube do Norte, que é bem mais organizado do que muitos grandes por aí. Falo isso com muito orgulho, pois o primeiro trabalho dele, ainda estudante, foi comigo e com o Zeca Teixeira da Costa, no nosso antigo Prorrogação, na TV Horizonte.

Marcone é pós-graduado em gestão de negócios, comunicação social e tem o certificado em gestão de futebol pela CBF Academy. Um dos profissionais mais competentes que já conheci. Parabéns, garoto. Além da competência, onde você vai, o clube que o contrata se torna vencedor. Sorte ao Papão hoje!

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade