Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas COLUNA DO JAECI

Cruzeiro: um gigante na lona, inerte, que envergonha sua gente

"Vergonha é a palavra de ordem. Pobre Cruzeiro, tão campeão, tão respeitado, hoje é tão achincalhado e humilhado"


11/10/2020 19:08 - atualizado 11/10/2020 20:01

Jadson lamenta gol perdido contra o Oeste(foto: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO)
Jadson lamenta gol perdido contra o Oeste (foto: LUCIANO CLAUDINO/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDO)

Um empate contra um adversário inexpressivo. Um técnico de time pequeno, sem entender a grandeza do Cruzeiro e que acabou demitido depois de mais um vexame. Um presidente bem-intencionado, mas perdido em suas decisões. Um time que não vai subir pela falta de estrutura, pelos desmandos, por ter jogadores que não merecem vestir a camisa azul, por estar sem rumo. Uma instituição assaltada e vilipendiada pela diretoria que saiu. Um gigante do futebol brasileiro agoniza, sofre, maltrata sua gente. Que pena! Eu avisei, em janeiro, que esse time não subiria. Entretanto, parte da imprensa quis iludir o torcedor, quis enganar, e o resultado está aí.


O resultado de 0 a 0 com Oeste, apenas mostrou aquilo que temos visto ao longo da competição, um time sem corpo, alma, qualidade. Disputar a Série B não é simples como o Cruzeiro imaginou. Eu sugeri Felipão. Sim o técnico dos 7 a 1, mas que seria respeitado no vestiário. O presidente é sério, mas está mais preocupado com as redes sociais, em dar satisfação a quem não merece, que são as chamadas torcidas organizadas. Para mexer com o futebol, é preciso entender da bola, saber que ela é redonda.

Não há como negar que os culpados por terem assaltado os cofres azuis têm que ser presos, condenados e devolver o produto do roubo. Mas isso é Brasil, e sabemos que, infelizmente, será difícil pôr os ratos na ratoeira. Enquanto isso não acontece, é preciso ação, decisão e determinação. Não há mais espaços para desculpas, dizer que não tem dinheiro, que o clube foi assaltado. Isso o torcedor cruzeirense já sabe. O momento é de buscar soluções para tirar o Cruzeiro dessa lama.

Ficar na Série B se tornou uma realidade. A Série C é logo ali. O Cruzeiro não vai subir no ano do seu centenário. Se conseguir ficar na B, que os torcedores deem graças a Deus. Um clube gigante, respeitado nacional e internacionalmente. Discursos prolixos, lereias, não levarão o clube a lugar algum. É preciso alguém que chegue, dê um soco na mesa e diga: “Acabou”. Alguém que realmente possa tentar salvar esse barco à deriva.

Não sou vidente e não jogo búzios, mas estou no futebol há quatro décadas e aprendi muita coisa. Um time sem corpo, sem alma, sem um técnico com história vencedora não chega a lugar algum. O Cruzeiro está na lona, combalido, como um lutador que não sabe o que está acontecendo no ringue. E o torcedor azul sofrendo, humilhado, principalmente porque o maior rival é líder da Série A. O Cruzeiro, essa instituição gigante, vai se tornar centenária. E vai viver seu calvário na Série B. Não há como subir com esse time fraco, sem amor, sem alma, com raras exceções. Se você não consegue ganhar do lanterna da competição, vai ganhar de quem? Vergonha é a palavra de ordem. Pobre Cruzeiro, tão campeão, tão respeitado, hoje é tão achincalhado e humilhado. Os 9 milhões de cruzeirenses espalhados pelo planeta bola não mereciam isso! VERGONHA!  

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade