Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas entrevista de segunda

Símbolo de várias gerações, Xodó, na Praça da Liberdade, chega aos 60 anos

Três empresárias estão à frente do empreendimento e otimistas com o futuro, mesmo com os desafios do presente


25/07/2022 04:00 - atualizado 24/07/2022 21:46

Entre tantos pontos de Belo Horizonte, o Xodó, na Praça da Liberdade, é unanimidade entre gerações que ano após ano têm o espaço como cenário de muitas histórias. "Afinal de contas, a primeira hamburgueria do estado de Minas Gerais nasceu com um conceito completamente novo, o que a tornou um ponto de encontro e de lazer para as famílias daqui", observa Ana Paula Bragança que, ao lado de Juliana Motti e Maria Helena Pereira, estão à frente do empreendimento.

"Sabe aquele momento do fim de semana que a gente guarda na memória, momento de estar com a família comendo aquele milkshake gigante e delicioso? É exatamente isso que o Xodó foi e ainda é para os mineiros! E temos um grande orgulho de estarmos à frente desta marca, que vai além de servir delicias: entregamos aconchego, boas lembranças, aquela nostalgia gostosa", diz.
 
 
Empresárias Ana Paula Bragança, Juliana Motti e Helena Pereira , donas do Xodó
Ana Paula Bragança, Juliana Motti e Maria Helena Pereira chegam a vender cerca de 16 mil milkshakes por mês (foto: Alexandre Guzanshe/EM/D.A Press)
 
Três anos antes da pandemia vocês fecharam a compra da marca Xodó. O que mudou na estratégia do negócio a partir da crise que parou o mundo?
Quando assumimos, tínhamos plano de revitalização da marca, do menu e ainda um plano de expansão. Nossa ideia era de termos mais duas operações próprias até o final de 2022, além de expandir o nosso delivery. No entanto, uma série de fatores nos fez mudar um pouco os planos. Primeiro, veio a reforma da Praça da Liberdade, que contribuiu muito para diminuir o movimento de clientes. Em seguida, tivemos o impacto das chuvas fortes... e, em março de 2020, veio a pandemia. Muitos desafios que tivemos que encarar, mas sempre acreditamos muito na marca e no negócio. Atualmente, estamos encarando um grande desafio, que é a inflação. Produtos cada dia mais caros e os empresários do setor, como nós, fazendo verdadeiro malabarismo para seguirmos competitivos, sem repassar o custo alto para os clientes. Mas hoje estamos bem felizes com o que conseguimos crescer neste período. Revitalizamos a loja, a marca e trouxemos muitas mudanças para o menu da casa. Nossos produtos, como a carne, por exemplo, são todos artesanais, feitos aqui dentro da nossa cozinha, assim como as caldas dos milkshakes, pratos executivos (refeições) do almoço, etc. O que mudou na estratégia do negócio foi investir no almoço, que sempre tivemos, mas não era nosso foco. Durante a pandemia, só podíamos atender por delivery, começamos a oferecer almoço para as empresas ao redor da loja. E deu muito certo. Muitas pessoas que não conheciam o nosso almoço passaram a escolher almoçar conosco. Afirmo com total certeza de que das 12h às 14h nosso movimento é intenso e crescente.

Com certeza, o cenário é otimista sim, sem dúvida. Continuamos com nossos projetos, fizemos grandes melhorias em vários sentidos, como no atendimento aos clientes, qualidades de produtos e tem dado muito certo. Somos privilegiados, estamos em um dos endereços mais tradicionais e queridos pelos belo-horizontinos e também pelos mineiros. A retomada é lenta, mas acontece.

Você tem formação em letras. Juliana é formada em administração com ênfase em marketing. Maria Helena é graduada em administração. O que a experiência de cada uma favorece o desenvolvimento do trabalho especialmente agora que, mesmo com a pandemia menos caótica do que há dois anos, o desafio é o bolso do consumidor?
Com certeza trouxemos nossa bagagem de formação para o negócio. Mas definimos quais seriam as áreas de cada uma dentro do negócio. Eu sempre trabalhei na área de administração (rs...), portanto fiquei com a parte de processos e qualidade. Maria Helena com o setor administrativo e financeiro, e Juliana com o marketing. E tem funcionado muito bem, mesmo sendo um desafio diário! Mais uma vez podemos afirmar que o desafio é a inflação.

Xodó é uma marca muito forte no mercado há 60 anos e todos nós temos lembranças e histórias. Quais são as de vocês?
Eu e Juliana crescemos juntas, quase como irmãs. Temos muitas lembranças gostosas por aqui, estávamos sempre na Praça da Liberdade aos finais de semana e férias, vínhamos passear e fazer aquele lanche saboroso. Era parada obrigatória. Maria Helena também passeava pelo Xodó e pela praça com o noivo. Conta que eles amavam vir tomar um milkshake de morango e namorar... Olha que delícia de memória. E o bacana é que percebemos que esta relação de amor e saudosismo não é apenas nossa, mas também dos clientes que frequentam o Xodó até hoje. Vários deles nos contam histórias que viveram por aqui e como o local é significativo. Me chamou atenção o caso de um cliente que trouxe a mãe, uma idosa já, para lanchar... Me disse que vinha ao Xodó sempre quando criança e que agora era a vez dele de trazer a mãe para degustarem um momento gostoso no mesmo lugar.

O Xodó comemora 60 anos, mas não está preso apenas na tradição. Nesse sentido, qual a importância do chef Paulo Gomide na reformulação do cardápio?
O chef Paulo Gomide foi um achado. Nossa nutricionista o indicou e tivemos uma grata surpresa com a dedicação e o trabalho dele. Ele entendeu o que estávamos querendo trazer para o Xodó e sugeriu toques de mineiridade, mais regionais mesmo, para criarmos ainda mais identificação com os clientes de BH e também os turistas. O Xodó é 100% mineiro e queríamos mais esta identificação. Ele trouxe ideias incríveis, com ingredientes inusitados e sabores que imprimem o verdadeiro sabor do estado de Minas Gerais no menu. Os pratos executivos também ganharam elementos regionais, além das sobremesas. E para a celebração de 60 anos da marca, primeira hamburgueria em Minas Gerais, ele também nos surpreendeu com a criação do combo batizado por nós de “Sessentão do Xodó”. Um kit especial formado por um sanduíche de pão de forma, patê de frango desfiado com batata palha, geleia de pimenta, cebola, rúcula e tomate; acompanhado por um delicioso milkshake de queijo com calda artesanal de goiaba! E ainda vem acompanhado de um copo de brinde- colecionável com a logo comemorativa do aniversário da marca.

O cardápio pode ser adaptado, mas o milkshake continua imbatível no gosto popular?
De fato, os milkshakes são, sem dúvida, o grande carro-chefe da casa. Eles são imbatíveis em vendas, caíram no gosto popular logo que o Xodó chegou ao estado e seguem da mesma forma. Temos aqui os tradicionais (morango, chocolate, Ovomaltine, Nutela), mas trouxemos também várias delícias (todas com caldas artesanais), que contribuem efetivamente para que eles sigam fazendo tanto sucesso: ameixa, abacaxi, maracujá... todos com pedaços de frutas. Para terem uma ideia, chegamos a vender cerca de 16 mil milkshakes por mês.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade