Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas BOLA MÚNDI

O Mundial de Clubes começou, mas só esquenta na terça

Para conter o ímpeto do trio Salah, Mané e Firmino, o Flamengo, de Jorge Jesus, precisará fortalecer a proteção a seus laterais. Neste contexto, perderá um pouco do melhor que Gérson tem a oferecer


postado em 12/12/2019 04:00 / atualizado em 11/12/2019 21:48

Catarianos do Al Sadd estrearam no Mundial com a vitória por 3 a 1 sobre os semiprofissionais do Hienghène, da Nova Caledônia(foto: KARIM JAAFAR/AFP)
Catarianos do Al Sadd estrearam no Mundial com a vitória por 3 a 1 sobre os semiprofissionais do Hienghène, da Nova Caledônia (foto: KARIM JAAFAR/AFP)


É fato que o Mundial de Clubes da Fifa, disputado no Catar, começou ontem com uma movimentada vitória do Al Sadd sobre os semiprofissionais do Hienghène, da Nova Caledônia, mas a competição só pegará fogo mesmo quando Flamengo e Liverpool estrearem na semana que vem. É claro que antes ainda há uma semifinal pelo caminho, provavelmente contra o Al Hilal, mas ouso dizer que o rubro-negro carioca pode contrariar as estatísticas.

Das 18 finais de Mundial de Clubes disputadas até agora no século XXI, os europeus só não levantaram a taça em quatro oportunidades. Mas o detalhe é que em três destas vezes foram exatamente diante de adversários brasucas: São Paulo em 2005 (diante do próprio Liverpool), Internacional em 2006 (contra o Barcelona) e Corinthians em 2012 (batendo o Chelsea).

A diferença é que nas três oportunidades anteriores os times brasileiros adotaram uma postura mais reativa, sofreram forte pressão dos adversários e conseguiram vencer com base em um bem consolidado setor defensivo (com destaque para seus goleiros) e aposta em ao menos um contragolpe fatal. Desta vez pode ser diferente. Mesmo que tecnicamente o Liverpool seja superior ao Flamengo, a equipe carioca tem condições de levar mais perigo ao adversário.

Para conter o ímpeto do trio Salah, Mané e Firmino, o Flamengo precisará fortalecer a proteção a seus laterais. Neste contexto, perderá um pouco do melhor que Gérson tem a oferecer, mas isso pode ser compensado com a troca de posições entre De Arrasacaeta e Éverton Ribeiro, a velocidade de Bruno Henrique explorando o setor esquerdo da defesa inglesa e, se tudo der certo, um daqueles dias inspirados de Gabigol. De toda forma, não adianta sonhar com a final se não passar das semis. Que não apareça mais um Mazembe da vida no meio do caminho do futebol brasileiro.

Benditas bolinhas
Com o brilho de atacantes brasucas (Gabriel Jesus, Neymar, Rodrygo e Vinicius Júnior), a fase de grupos da Liga dos Campeões foi encerrada ontem e todos os favoritos seguem na luta. Agora, as atenções se voltam para o sorteio dos confrontos de oitavas de final, na segunda-feira. A expectativa é pela definição de grandes duelos, pois equipes como Tottenham, Chelsea, Real e Atlético de Madrid terminaram na segunda colocação (pote 2) de seus grupos e podem enfrentar outros gigantes logo de cara. Só não é permitido que equipes de um mesmo país nem do mesmo grupo se enfrentem. Ninguém assumirá abertamente, mas os times do pote 2 estarão torcendo pelas bolinhas com o nome do Atalanta ou do Lyon...

Quem dá mais?
Parece que, enfim, o PSG aceitou a ideia de que não terá como recuperar o investimento milionário feito em Neymar. Depois de ter pedido cerca de R$ 1,35 bilhão pelo jogador em junho – e não ter encontrado interessados –, a equipe francesa estaria pronta para dar um “desconto”: quem apresentar R$ 810 milhões leva. O clube só faria jogo duro com relação à data de liberação, pois não pretende deixá-lo sair nessa janela de janeiro. Mesmo com a diminuição no valor, tenho minhas dúvidas se Barcelona ou Real Madrid vão se arriscar. Neymar é craque, não há dúvidas, mas a relação custo/benefício tem sido muito ruim.

Sede de vitória
Após uma ausência de quase cinco meses, Cristiane será a maior atração da Seleção Brasileira que faz dois amistosos contra o México (hoje, em São Paulo; domingo, em Araraquara). Recuperada da contusão que atrapalhou seu desempenho na Copa do Mundo disputada na França semestre passado, a atacante foi convocada pela primeira vez pela técnica sueca Pia Sundhage, que assumiu o comando da Seleção após o Mundial. Aos 34 anos, Cristiane demonstra a mesma vontade: “Vou brigar para estar na Olimpíada”, garante, se referindo aos Jogos de Tóquio'2020. Atualmente no São Paulo, Cristiane, entre outros feitos, já marcou 11 gols em Copas do Mundo.

Pensamento fixo
Passadas as emoções da última rodada da fase de grupos da Champions, Barcelona e Real Madrid têm duelos no fim de semana pelo Espanhol, mas não dá para negar: o pensamento de ambas as torcidas já está no clássico de quarta-feira. A partida estava programada pela 10ª rodada da competição, mas teve de ser adiada em função dos protestos separatistas que abalavam a Catalunha. Como os dois lideram a competição, com 34 pontos (mesmo com um jogo a menos que os demais), quem vencer abre vantagem importante na luta pelo título. E atrativos não faltarão, como a disputa pela artilharia entre Messi (12 gols) e Benzema (11), a possível presença dos brasucas Vinicius Júnior e Rodrygo no Real, o jovem prodígio Ansu Fati no Barça...

Pede pra sair
De passado glorioso, o Deportivo La Coruña vive momento terrível: ocupa a lanterna da Segunda Divisão espanhola, com uma vitória, nove empates e nove derrotas. Para tentar evitar a queda à Terceirona, os cartolas tomaram atitude diferente: em vez de demitir o segundo treinador no ano, renunciaram aos próprios cargos. Resta saber se, sob nova direção, o clube conseguirá reagir... Com brasileiros como Mauro Silva, Flávio Conceição e Djalminha, o time foi campeão espanhol na temporada 1999/2000. Em 2003/2004, chegou às semifinais da Liga dos Campeões. Rivaldo e Bebeto foram outros brasileiros que brilharam por lá.

Novo líder?
Muita gente torceu o nariz quando o Borussia Moenchengladbach assumiu a liderança da Bundesliga. Vários cravaram que não passaria de um 'cavalo paraguaio'. Pois na última rodada o time mostrou que não é bem assim: bateu o Bayern de Munique de virada e segue na ponta, com 31 pontos. O 'problema' é a ascensão de um rival, o RB Leipzig, do artilheiro Timo Werner (15 gols). O time, que também avançou às oitavas na Champions, vem embalado por cinco vitórias seguidas no alemão e terá pela frente adversário teoricamente mais fácil. Enquanto o Monchegladbach visita o Wolfsburg (9º, com 20 pontos), o RB viaja para encarar o Dusseldorf (16º, com 12), que luta para sair da zona da degola.

Sai da frente
O futebol italiano segue agitado. Enquanto a líder, Internazionale (38 pontos), ainda tenta entender a eliminação na Champions e a Juventus (36) busca regularidade (vem de um empate e uma derrota), a Lazio (3º, com 33), no embalo de seis vitórias consecutivas – e do artilheiro Immobile (17 gols) –, quer ganhar mais fôlego nesta disputa. Para isso, pode contar com “ajuda” do calendário: entra em campo depois dos adversários, segunda-feira, para visitar o Cagliari (4º, com 29). O complicador é que os rivais terão oponentes teoricamente mais fáceis: a Juve pega a Udinese (16º, 15), e a Inter visita a Fiorentina (13º, 16).

De olho
Nathanael Mbuku
O atacante Nathanael Mbuku, que completará 18 anos em março, é uma das novas apostas do futebol francês. Habilidoso e com facilidade de atuar pelos extremos do campo, ele começou a jogar aos 6 anos em sua cidade natal e passou por agremiações menores antes de chegar aos Reims, aos 15 anos. Logo se destacou e já estreou na Seleção Sub-16. Em novembro de 2018, assinou seu primeiro contrato profissional, mas começou a jogar no time B. Em julho deste ano já estava no time principal. Ganhou mais moral após a boa participação no Mundial Sub-17, quando recebeu a Chuteira de Prata (cinco gols em seis jogos). Tem contrato com o Reims até março de 2021.
 
 


Publicidade