Publicidade

Estado de Minas CAMPEONATO BRASILEIRO

A vez da escola Ceni no Cruzeiro

Após três anos praticando o Manobol, celestes precisam se adaptar a um estilo de jogo bem diferente com o novo treinador. Domingo, contra o Santos, porém, base deve ser mantida


postado em 15/08/2019 04:00 / atualizado em 14/08/2019 21:50

Time celeste terá de fazer a transição entre o defensivismo de seu ex-comandante Mano Menezes e a filosofia mais ofensiva, que é a marca do técnico recém-chegado(foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press)
Time celeste terá de fazer a transição entre o defensivismo de seu ex-comandante Mano Menezes e a filosofia mais ofensiva, que é a marca do técnico recém-chegado (foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press)

A mudança de comando técnico em pleno andamento da temporada de 2019 obriga os jogadores do Cruzeiro a se adaptarem mais rapidamente ao estilo do recém-chegado Rogério Ceni para reagir o quanto antes no Campeonato Brasileiro. Na zona de rebaixamento, o time celeste se vê obrigado a fazer, em tempo recorde, uma transição entre filosofias de jogo bem diferentes – saindo do defensivismo de Mano Menezes para o estilo mais agressivo do novo treinador. E isso vai exigir que os titulares se desdobrem nos treinos para não perder lugar na equipe, a começar pelo confronto de domingo, com o Santos, às 16h, no Mineirão.

Até pela falta de tempo para observar o grupo cruzeirense, a tendência é que Ceni não mude muito a estrutura tática da equipe para enfrentar o Peixe. Mas ele já avisou que, gradativamente, adotará uma formação com maiores dinâmica e intensidade na marcação e no ataque, sua marca em um ano e oito meses de Fortaleza. Por isso, aqueles que têm característica mais cadenciada ou que atravessam mau momento físico e técnico ligam o sinal amarelo.

O zagueiro Leo diz que o grupo ajudará o novo comandante nesta fase de adaptação. “Tivemos três anos da filosofia do Mano Menezes, um treinador que encerrou seu ciclo de forma vitoriosa, com títulos conquistados. Agora começa o novo ciclo, do Rogério. A primeira impressão foi boa, de todo o grupo. Nós o ajudaremos a realizar o trabalho da melhor forma, para que também conquiste títulos. Que ele marque sua história e que nós tenhamos voos altos em 2019”, diz o zagueiro.

“A gente tem um padrão de jogo, um estilo. O Rogério veio para acrescentar e impor a ideia dele. Todos nós estamos abertos às questões dele para conseguirmos os resultados, os objetivos”, ressalta Leo, que está no Cruzeiro desde 2010 e trabalhou com treinadores de estilos distintos, como Adilson Batista, Cuca, Vágner Mancini, Marcelo Oliveira e o próprio Mano.
 
Novo treinador dedicou alguns minutos de conversa, em particular, com o armador Thiago Neves(foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press)
Novo treinador dedicou alguns minutos de conversa, em particular, com o armador Thiago Neves (foto: Alexandre Guzanhe/EM/D.A Press)
 
ESQUEMA
 
Dentro das características da nova comissão técnica, jogadores que podem se encaixar mais facilmente nesse esquema de maior intensidade seriam os laterais Orejuela e Dodô, o volante Ederson e os atacantes Pedro Rocha, Marquinhos Gabriel, David e Sassá. Mas Rogério afirma que pretende aproveitar também os mais experientes, de estilo mais cadenciado, como Ariel Cabral, Thiago Neves e Fred, que têm sido criticados pela torcida devido à queda de rendimento nas quatro linhas.

O próprio Thiago Neves, de 34 anos, teve uma conversa em separado com o novo técnico celeste ontem à tarde, na Toca da Raposa II. Um dos principais nomes da equipe na temporada passada, com 15 gols em 53 jogos, o jogador tem convivido, neste ano, com problemas de lesões e não repetiu o desempenho: ele balançou as redes seis vezes em 22 partidas.

Em relação a Fred, Rogério Ceni já havia falado na apresentação a respeito de ajudá-lo a recuperar a confiança: “Sei que o tempo passa para todo mundo, não é fácil você se manter bem fisicamente. Mas ele é um 9 clássico, de área, e espero que nos ajude bastante. Tentaremos tirar o melhor dele”.
  
NOVIDADE
 
O retorno do zagueiro Dedé foi a principal novidade de ontem na atividade fechada na Toca – o defensor, de 30 anos, cuidou da partida física no início da semana. Na primeira parte do treino, o Rogério Ceni orientou um trabalho coletivo em que exigia a recuperação da posse de bola rapidamente. A todo instante, cobrava rapidez dos atletas na troca de passes. Hoje ou amanhã, está previsto um treino tático em que ele deve esboçar a equipe que pega o Santos. O lateral-direito Edílson, suspenso, não jogará.

 
ESTRELADAS...
 
Pressão por nova eleição
O presidente do Conselho Deliberativo do Cruzeiro, Zezé Perrella, voltou a notificar o presidente celeste, Wagner Pires de Sá, solicitando a convocação de Assembleia Geral para eleição de novos conselheiros e suplentes, cumprindo ordem judicial da 10ª Vara Cível de BH. Ao Superesportes, Perrella disse ter concedido prazo até segunda-feira para o presidente formalizar novo pleito. Caso isso não ocorra, ele próprio marcará data para a eleição: “Mandei um ofício ao presidente, e recebi uma resposta do Hermínio de que a questão estava sub judice. Só que o juiz determinou que se fizesse a eleição. Notifiquei novamente o Wagner e dei a ele 48h de prazo. Se ele não convocar a assembleia geral para as eleições, eu o farei”.

COACH SE DESPEDE
Após três anos e sete meses de trabalho, o coach esportivo Varley Costa deixou o Cruzeiro. Ele publicou uma carta de despedida nas redes sociais, agradecendo a oportunidade de implantar e desenvolver o setor de performance cognitiva no clube. “Em parceria com a UFMG, fui contratado pelo Cruzeiro para implantar e desenvolver um setor de performance cognitiva e Coaching Esportivo no futebol profissional. O sentimento é de dever cumprido”, frisou Varley, que é professor da Escola de Educação Física da UFMG.
 
 


Publicidade