Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Atenção!

Sífilis não tem cara e nem idade

Aumento descontrolado de doença que pode ser prevenida e tratada acende o sinal de alerta


22/10/2021 06:00

Sexo seguro
Uso de preservativos ajuda a evitar a sífilis (foto: Kurious/Pixabay)

Uma doença que é, principalmente, transmitida pelo ato sexual e que pode ser evitada e tratada, tem nos dado um sinal de alerta preocupante: o seu aumento descontrolado. A sífilis é causada pela bactéria Treponema pallidum, e o principal tratamento é a famosa Benzetacil (penicilina benzilpenicilina benzatina ou penicilina G), velha e conhecida de todos nós. A outra forma de se transmitir sífilis é durante a gravidez, em que a mãe sem querer passa para o filho. A doença é extremamente grave nesse período e, por isso, é necessário um empenho importante para os exames de rastreio e o tratamento mais precoce possível da mãe e do bebê.

O diagnóstico é feito pela história do paciente e confirmado pelos exames que podem ser solicitados e realizados gratuitamente na rede do SUS. Há, inclusive, um teste rápido em que o resultado é obtido em 30 minutos. O tratamento é realizado quase que exclusivamente pela penicilina, um medicamento que custa menos de R$ 10 a ampola. Essa doença é danada. No meio da medicina existem alguns coringas tanto de provas, quanto de prática, quanto de dúvidas, e a sífilis é um deles.

Essa doença se apresenta de tantas formas que acaba por nos enganar e gerar muitas dúvidas. A história do paciente nos diz muito a respeito do possível diagnóstico, mas como foi pontuado lá no título, a doença não tem cara e nem idade e, por isso, devemos sempre estar atentos.

A sífilis inicial nós chamamos de primária. %u200B%u200BOs primeiros sintomas podem aparecer nos primeiros dez dias após o contágio ou até mesmo 90 dias após - esta cronologia já pode nos trair. Podem surgir feridas em vagina, vulva, pênis e anus que não doem, não ardem, não tem pus e, na maioria das vezes, melhora sem tratamento.

A sífilis secundária pode surgir até seis meses após a melhora das feridas iniciais e geralmente apresenta-se como manchas no corpo que não doem, mas que podem causar mal estar inespecífico como febre, dor no corpo e ínguas. Novamente, esse quadro pode melhorar sozinho, sem nenhum tratamento. Nessa fase, algo bem característico são as lesões em palmas das mãos e sola dos pés.

A pessoa que não tratou pode manter-se assintomática, transmitindo para outras pessoas e só apresentar novos sintomas da doença após um ou até mesmo 40 anos após a infecção inicial. Nessa nova manifestação, a bactéria já está bem avançada no organismo, causando doenças ósseas, cardiovasculares, demências, e outras alterações psiquiátricas e neurológicas.

Desse jeito, a sífilis se espalha, silenciosamente, na população, causando muitos transtornos de saúde e sociais. É inaceitável que em 2021 ainda tenhamos este tipo de problema, com uma doença que pode ser prevenida e tratada.

Agora me diga: por que a população não está usando preservativo? Por que a população não está se tratando e fazendo os exames adequados? O SUS oferece cobertura completa para essa demanda.

É necessário ações de educação em saúde urgente. Essa coluna tem essa função. Compartilhe com amigos e familiares. E, se tiver alguma dúvida, manda pra mim: erickson@docside.com.br

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade