Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

O novo reajuste dos combustíveis e a nova fake news de Bolsonaro

Gasolina e diesel sobem de preço, enquanto o presidente da República associa informações falsa sobre COVID e Aids


26/10/2021 04:00 - atualizado 26/10/2021 07:33

Presidente Jair Bolsonaro (sem partido)
Bolsonaro usou sua live semanal para divulgar fake news que relaciona vacina contra coronavírus à contaminação pelo HIV (foto: EVARISTO SA / AFP)

A Petrobras vai reajustar mais uma vez os preços da gasolina e do diesel para as distribuidoras. Segundo comunicado divulgado nessa segunda-feira pela petroleira, os novos valores passam a vigorar a partir de hoje. “Não é notícia repetida. A gasolina e o diesel vão ficar mais caros de novo.”

 

Quem diz é de novo o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), vice-presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da COVID-19, que atacou o presidente Jair Messias Bolsonaro (sem partido).  Esses aumentos têm culpados: Bolsonaro e Guedes.

 

E tem mais, praticamente um monopólio: Randolfe Rodrigues chamou o presidente da República “delinquente contumaz”.

 

O senador avisou que a comissão que trata da pandemia vai incluir no relatório final “a fala mentirosa e absurda” do chefe do Poder Executivo associando a vacina contra o novo coronavírus à síndrome da imunodeficiência adquirida (Aids).

 

Para deixar ainda mais claro, Randolfe Rodrigues deu o aviso: “Além disso, encaminharemos ofício ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes pedindo que o mandatário do país, Jair Bolsonaro, seja investigado por esse absurdo no âmbito do inquérito das fake news”.

 

E o parlamentar amapaense deixou claro: “Recomendaremos que as plataformas das redes sociais de Jair Messias Bolsonaro sejam suspensas e, ainda mais, o banimento do presidente” de todas as plataformas.

 

Já que estamos tratando de números, melhor dar o lado que preocupa: os valores. Notícias sobre o aumento dos gastos fiscais aumentaram as dúvidas sobre o futuro do arcabouço fiscal no Brasil, que desde 2016 tem sido baseado em um teto de gastos ajustáveis.

 

“Embora a discussão sobre dominância fiscal pareça exagerada no momento, é verdade que, sem uma âncora fiscal crível, a tarefa do Banco Central de manter a inflação na meta se torna mais difícil”, aponta os prognósticos do Banco Itaú.

 

Só que o ministro da Economia, Paulo Guedes, prevê que “o crescimento não ia vir. Já está em 5% ou 5,3% ou 5,4% neste ano. Uai, a calculadora do Itaú está errada?”. A resposta foi “conversinha”.

 

Fica de lado

“Essa questão da obrigatoriedade não é admissível neste momento porque ainda temos o desafio da vacinação de crianças e adolescentes e de completar o ciclo de vacinação das pessoas adultas. A gente está em um estado de precaução e de alarme em relação aos casos e óbitos. Não podemos pensar que a pandemia acabou.” Quem ressalta é a coordenadora-geral da Campanha Nacional pelo Direito à Educação, Andressa Pellanda, e foi em plena segunda-feira, coisa rara no Congresso. O fato é que o Brasil é referência em legislação educacional, mas deixa a boa lei de lado.

 

Tem de educar

O tema merece mais do registro que veio da Subcomissão Temporária que acompanha a Educação na Pandemia da COVID-19. O presidente da subcomissão, Flávio Arns (Podemos-PR), e o relator, Wellington Fagundes (PL-MT), deixaram bem claro que vão buscar destravar recursos no Orçamento para a educação. Wellington é relator setorial do projeto de lei orçamentária de 2022, o que pode facilitar para que a educação ganhe um pouco mais de atenção na Câmara dos Deputados.

 

O espadachim

A expressão “espada de Dâmocles” faz referência, a um perigo iminente em posições de destaque na sociedade. Foi nela que se inspirou o vice-presidente da República, Hamilton Mourão  (PRTB): “Nada vai acontecer. Ou alguém vai pedir vista para continuar segurando essa espada de Dâmocles na nossa cabeça ou vamos ser inocentados, porque acho que as acusações que estão sendo colocadas ali não procedem”, acrescentou, ontem, o general Mourão ao chegar no Palácio do Planalto.

 

Tem o visto?

Visitantes estrangeiros terão de estar totalmente vacinados para a entrada no país a partir de 8 de novembro. Os requisitos serão tanto para a entrada por via aérea como por fronteiras terrestres. E será necessário apresentar teste negativo para a COVID-19 até três dias antes da chegada. O fato é que o governo dos Estados Unidos da América (EUA) anunciou, ontem, os procedimentos e regras para a retomada da entrada de visitantes no país. Culpa da pandemia do novo coronavírus.

 

Hora errada

A pequena cidade de Anguillara Veneta, no Norte da Itália, aprovou ontem a concessão de cidadania honorária para o presidente Jair Bolsonaro. De acordo com o deputado ítalo-brasileiro Luis Roberto Lorenzato, do partido de ultradireita Liga, a ideia de conceder o título surgiu após brasileiros terem contatado autoridades da cidade e informado que pesquisas indicaram que Bolsonaro é descendente de um habitante da cidade que migrou para o Brasil. “Pavimentada a possibilidade de uma visita diplomática brasileira, de comum acordo entre as partes, como sinal de reconhecimento, pensou-se em conferir a cidadania honorária”, diz nota divulgada pelo deputado em redes sociais.

 

PINGA FOGO

 

  • Em meio a seguidas turbulências vindas de Brasília, o mundo político aguarda com atenção o julgamento de duas ações contra a chapa do presidente Jair Messias Bolsonaro e do vice-presidente Antônio Hamilton Martins Mourão.

  • “Removemos um vídeo do canal de Jair Bolsonaro por violar as nossas diretrizes de desinformação médica sobre a COVID-19 ao alegar que as vacinas não reduzem o risco de contrair a doença e que causam outras doenças infecciosas”. Calma que tem mais…

  • …”As nossas diretrizes estão de acordo com a orientação das autoridades de saúde locais e globais, e atualizamos as nossas políticas à medida que a orientação muda. Aplicamos nossas políticas de forma consistente, independentemente de quem for o criador ou qual a sua opinião política”.

  • Tem mais, da Hora errada: a proposta da prefeita foi assinada no dia 20, mesmo dia em que o Senado apresentou o relatório final da comissão da CPI da Pandemia, que atribuiu nove crimes a Bolsonaro.

  • E foi feita pela prefeita, Alesandra Buoso, justificando que um bisavô de Bolsonaro nasceu ali em Anguilara. Sendo assim, para ser educado, melhor nada mais a comentar é necessário. FIM!

 

 
 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade