Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

COVID-19 provoca o cancelamento do principal debate do segundo turno

Guilherme Boulos (Psol) contrai o coronavírus e não comparece ao encontro com Bruno Covas (PSDB)


28/11/2020 04:00

Segundo colocado nas pesquisas, Guilherme Boulos teve que manter distanciamento social(foto: NELSON ALMEIDA/AFP - 26/11/20)
Segundo colocado nas pesquisas, Guilherme Boulos teve que manter distanciamento social (foto: NELSON ALMEIDA/AFP - 26/11/20)


A investigação teve início após a publicação de vídeo realizado na frente do prédio do STF, por dois dos investigados, em redes sociais, nas quais solicitavam intervenção militar e afastamento e prisão de nove ministros do STF.
 
Com o aprofundamento das análises, foi possível constatar a participação deles em diversos atos do tipo, inclusive com a arrecadação de fundos para financiar o movimento. O fato do dia é que a Polícia Federal (PF) deflagrou, ontem, a Operação Estabilidade que mira os internautas que pediram a intervenção militar e atacaram o Supremo Tribunal Federal (STF).
 
Foram cumpridos três mandados de busca e apreensão em Brasília, Taboão da Serra (SP) e, como quase tudo passa por Minas Gerais, inclua Uberlândia. O que levou a Polícia Federal foram as imagens, que circularam nas redes sociais.
 
Nelas, os investigados pediam o afastamento de nada menos do que nove ministros do Supremo, a mais alta Corte de Justiça do país, que é composto por 11 ministros. Para registro, o processo tramita na 15ª Vara Federal do DF, onde os envolvidos vão responder pelos crimes previstos nos artigos 22, I e IV, §2º, “a”, e 23, II, da Lei 7.170/1983. Ou seja, a velha e conhecida Lei de Segurança Nacional.
 
Só que na atual situação ninguém perdoa porque a COVID-19 não deixa. Foi isso que aconteceu com o debate do segundo turno na eleição de São Paulo. Guilherme Boulos (PSOL) foi mais uma vítima do coronavírus.
 
Isso mesmo, ele vai ficar em quarentena. Nem mesmo de forma virtual Boulos pôde participar. Como não poderia deixar de ser, o debate foi cancelado. Seu adversário, Bruno Covas (PSDB), foi elegante. “Desejamos pronta recuperação ao candidato”. No lugar do debate será exibido o Globo Repórter com a viagem de Glória Maria a Macau, na China. Como é? China? Provocação?
 
Já que falamos de TV, tem uma novela que ainda terá mais capítulos. É que, mais uma vez, foi prorrogado, por mais dois meses, isso mesmo, 60 dias, o inquérito que envolve o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro. Ainda a tal intervenção na Polícia Federal (PF).
 
O fato atual vem é do Supremo Tribunal Federal (STF). É que o ministro Alexandre de Moraes prorrogou ontem o inquérito envolvendo o presidente da República, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), e a eventual interferência dele no caso. Em resumo, a novela continua.
 
Melhor, então, é esperar o desfecho, seja lá quando for. Diante de tudo isso, fica apenas o último registro mais interessante. O fim de semana chegou. Até amanhã.

 
EM DIA
 

Mil emendas

Quinta-feira foi na Câmara dos Deputados. Ontem, foi a vez do presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), prorrogar a validade das barreiras sanitárias protetivas de áreas indígenas. E teve também um registro que interessa aos aposentados. É que foi prorrogada a medida provisória (MP) que aumenta a margem de crédito consignado para aposentados durante a pandemia da COVID-19. A vigência das duas matérias foi estendida por mais dois meses. O fato é que são, nada menos, que 192 emendas dos parlamentares. A novela continua. Só na Câmara dos Deputados foram mais de mil emendas.

“Carnaval”

“É a segunda vez que o embaixador chinês reage dessa forma. Dentro das convenções da diplomacia, o camarada se sentindo incomodado com qualquer coisa que tenha acontecido no país, ele escreve uma carta para o ministro das Relações Exteriores, vai ao Itamaraty e apresenta as suas ponderações, não via redes sociais, ou então vira um Carnaval”. Quem colocou o bloco na notícia foi nada menos que o vice-presidente da República, general Hamilton Mourão (PRTB). De acordo com ele, a resposta da embaixada publicada em rede social foi “diplomaticamente errada”.

Em Minas

Primeiro o tweet: “anuncio parte do 13º a todos os servidores estaduais e a escala de pagamento de dezembro”. @RomeuZema. Agora os fatos: a primeira parcela do 13º salário do funcionalismo público de Minas Gerais será paga dois dias antes do Natal. Os servidores da ativa e os pensionistas vão receber R$ 2 mil nesta data. O custo será de R$ 1,1 bilhão. Melhor registrar a boa notícia: o funcionalismo vai receber a primeira parcela do salário será paga em 10 de dezembro. A segunda, no dia 18, garantiu o governador Romeu Zema (Novo). “Gostaria muito de estar pagando tudo, mas já é um avanço com relação aos anos anteriores”, acrescentou o governador. E deixa o gerúndio do pagando para lá.

Tem regras

Ontem: foi o último dia da propaganda eleitoral gratuita do segundo turno no rádio e na televisão e para a divulgação paga, na imprensa escrita, de material de campanha. Foi ainda o último dia para realização de debates no rádio e na televisão, que não podem, porém, ultrapassar o horário de meia-noite. Já hoje será o último dia da propaganda eleitoral gratuita do segundo turno no rádio e na televisão e para a divulgação paga, na imprensa escrita, de material de campanha. E por fim...  Amanhã: é o último dia para debates no rádio e na televisão. E eles não podem ultrapassar a meia-noite.

Finalizando…

No primeiro compromisso, às 9h, os deputados vão prestar condolências e solidariedade aos familiares de João Alberto Silveira Freitas. Agora o que interessa de fato, a Comissão Externa da Câmara dos Deputados que acompanha a investigação da sua morte na terça-feira que vem. O primeiro compromisso por lá será uma audiência com o superintendente regional da Delegacia de Polícia Federal (PF) no Rio Grande do Sul, delegado José Antônio Dornelles de Oliveira. À tarde, o compromisso é um encontro com o governador tucano do estado, Eduardo Leite (PSDB).

PINGA FOGO

  • Sobre o cancelamento do debate entre Bruno Covas (PSDB) e Guilherme Boulos (Psol), vale o registro: “Regras assinadas entre a Globo e os partidos preveem o cancelamento do debate em caso de problemas de saúde de um dos participantes”.
  • Em novembro de 2020, pela primeira vez na história do Supremo Tribunal Federal, o número de recursos extraordinários (RE) e de recursos extraordinários com agravo (ARE) em trâmite tornou-se menor do que o acervo de ações de competência originária. É informação oficial.
  • O fato é que o presidente do Supremo Tribunal Federal, ministro Luiz Fux (foto), celebrou esse marco. “Esta mudança paradigmática alinha o Supremo Tribunal Federal com a sua vocação constitucional e com o compromisso de governança eficiente”.
  • Black Saturday: Apesar da tentação dos descontos oferecidos, os compradores devem estar atentos aos seus orçamentos e aos seus direitos após a compra. Diversos projetos no Senado buscam atualizar o Código de Defesa do Consumidor, de 1990. Só que não andam, né?
  • Ainda tem ofertas neste sábado? Sei lá, mas pouco importa. Já o senador Ciro Nogueira (PP-PI), exige, ou exigiu, que o vendedor informe o valor de produtos e serviços oferecidos por meio das redes sociais. FIM!



*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade