Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas EM DIA COM A POLÍTICA

A semana promete ainda mais emoções em Brasília

'Não vou tolher ninguém de bem a ter seu porte ou posse de arma no campo'. Vai cumprir o presidente Bolsonaro a promessa feita à bancada ruralista


postado em 17/09/2019 04:00 / atualizado em 17/09/2019 07:17

Rodrigo Maia(foto: NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO SP)
Rodrigo Maia (foto: NEWTON MENEZES/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO SP)

“O futuro a Deus pertence. Estou bem como deputado”. O exercício de futurologia, logo no início da semana, é do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que participou de um evento chamado Brasil de Ideias, bastante apropriado para a declaração. Só faltou dizer que era por enquanto, diante das risadas dos empresários presentes no evento que esteve hotel Grand Hyat em São Paulo.

Já sobre a eventual abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar a Operação Lava-Jato da Polícia Federal em conjunto com o Ministério Público Federal (MPF), leia-se o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, Rodrigo Maia optou por ser prudente. “CPI precisa ter fato determinado. É isso que preciso analisar nas próximas semanas” Ou seja, Maia prefere esperar sentado nela até ver o que acontece.

O que tem de fato, quinta-feira agora, é o seminário da Frente Parlamentar Mista, aquela que reúne senadores e deputados, batizado de “Ética contra a Corrupção”. Entre os presentes, estão o ministro da Controladoria-Geral da União (CGU), Wagner Rosário; o advogado-geral da União (AGU), André Mendonça; o advogado do Instituto Brasileiro de Direito e Ética Empresarial, Godofredo Dantas Neto e ainda o advogado da Tojal Renault Advogados, Sebastião Tojal. É aquela frente coordenada pela deputada de primeiro mandato Adriana Ventura (Novo-SP).

Ah! Não é só este. Quem surpreendeu foi o presidente Jair Bolsonaro (PSL), que desembarcou ontem em Brasília, isso mesmo, um dia antes do previsto. E o fato relevante é que ele reassume hoje o comando da Nação, depois de passar o resto do dia de ontem no Palácio da Alvorada.

E o presidente fez questão de anunciar que hoje vai sancionar aquele projeto que tanta polêmica já deu. É claro que se trata da flexibilização do porte ou posse, o que dá no mesmo, de armas na zona rural. “Não vou tolher ninguém de bem a ter seu porte ou posse de arma no campo”. Vai cumprir a promessa feita à bancada ruralista.

Diante de uma semana começando quente na política, o que mais dizer sobre os próximos dias. Pelo jeito, ela tem tudo para prometer mais sobressaltos, já que está só começando. Sendo assim, o melhor a fazer para os brasileiros é se render por hoje e aguardar os próximos e enigmáticos capítulos.

Ser solidário

(foto: Roque de Sa/Agência Senado - 3/9/19)
(foto: Roque de Sa/Agência Senado - 3/9/19)
Quem deixou de queixo caído os presentes na sessão dos 30 anos da Constituição Mineira foi o senador Antonio Anastasia (PSDB) (foto) em seu discurso, embora o que notado também foi a ausência de vários tucanos no evento. Quem foi solidário, até em seu partido, foi Betinho Pinto Coelho (Solidariedade) na comemoração. Só para lembrar, ele é filho do ex-presidente da Assembleia Legislativa (ALMG) por duas vezes, Alberto Pinto Coelho, que foi também governador do estado, quando Anastasia se desincompatibilizou para se candidatar ao Senado.

Olho no futuro

Durante a Rodada dos Prefeitos será anunciada a Declaração de São Paulo, um documento para destacar a importância de soluções integradas às mudanças climáticas, perda de biodiversidade e desigualdade social. É o que prevê a conferência Catalisando Futuros Urbanos Sustentáveis, que reunirá especialistas e um time de técnicos que trabalham o desafio de implementar agendas sustentáveis urbanas nos mais diversos contextos mundiais.

E é internacional

Sem contar os brasileiros: a vice-prefeita de Paris, Penélope Komitès; o governador de Abidjan, Beugré Mambé; o prefeito de Sandiara, Serigne Diop e o prefeito de La Paz, Gregorio Alvarez,  prefeito de Ningbo, Shen Min. Também estarão presentes na mesa o diretor global do Banco Mundial, Sameh Wahba; o Comissário de Vijayawada (Índia), V. Prasanna Venkatesh; e a Conselheira Executiva Estadual de Mulheres, Bem-Estar e Desenvolvimento Rural de Melaka (Malásia), Ginie Lim Siew Lin. A assinatura da declaração, embora não seja um requisito, permite a oportunidade de reconhecer cidades líderes mundiais.

Oferecimento

Ministério da Cidadania oferta capacitação profissional a moradores da Rocinha. Era o título. E segue a matéria: em julho ele “firmou parceria com outra instituição do Sistema S, o Serviço Social da Indústria, o Sesi, que vai promover o ensino profissional a 800 mil jovens inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do governo federal. O acordo de investimento é de mais de R$ 2 bilhões para qualificação de jovens. Transcrição literal”. E daí? É que o próprio site oficial traz ainda: “sonora Osmar Terra, ministro da Cidadania. Detalhe: a oferta é uma liquidação, ou o ministro queria dizer oferecer?

Transparência

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e ex-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) Luiz Fux, disse ontem que o projeto de lei que muda as regras do Fundo Eleitoral, pautado para ser votado hoje no plenário do Senado, não pode ir contra o posicionamento da sociedade brasileira, que exige a transparência nesses processos. “A era hoje é a era da transparência”, disse Fux, após participar do 1º Congresso Internacional de Direito Processual Civil da Escola Superior de Advocacia Pública (ESAP), da Procuradoria-Geral do Estado do Rio de Janeiro (PGE-RJ). Entre outras coisas, a proposta aumenta o valor a ser repassado para os partidos políticos.


Pinga-fogo

A análise dos processos estava paralisada no Tribunal Regional Federal da 5ª Região, que aguardava uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) sobre o índice de correção monetária que deve ser usado nas dívidas da Fazenda Pública.

Para destravar essas ações, a equipe da Advocacia-Geral da União propôs ao Gabinete de Conciliação do tribunal a celebração de acordos. O TRF5 selecionou, então, os casos envolvendo benefícios de até um salário–mínimo.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), continua em sua fase pouco cristã do seu Partido Social Cristão? O fato é que os deputados estaduais do PSL, o do presidente Bolsonaro, decidiram desembarcar do seu governo.

No meio do caminho tem os filhos do presidente, mas o fato é que o governador Wilson Witzel andou exagerando demais, se achando o política do Bala Chita, como se dizia antigamente. Agora, vai ficar falando sozinho em Brasília.

Sendo assim, o melhor a fazer é aguardar a semana que está começando. E ela promete mesmo, como já registrado. Sendo assim, um bom dia e torcer para melhores notícias daqui para frente. Anda difícil.
 


Publicidade