Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Tecelãs da Vila do Brumal revelam a riqueza do artesanato de Minas Gerais

Mostra on-line exibe as peças de tecelagem produzidas após oficinas virtuais realizadas por moradoras do distrito de Santa Bárbara


08/04/2021 04:00

Mostra virtual permite conhecer o rico artesanato que está exposto no Caraça (foto: Casa das Tecelãs de Brumal/divulgação )
Mostra virtual permite conhecer o rico artesanato que está exposto no Caraça (foto: Casa das Tecelãs de Brumal/divulgação )

Exposição da associação de tecelãs de Brumal resgata o patrimônio cultural desta antiga vila mineira, após oficinas virtuais realizadas por elas em meio à pandemia. A proposta é recuperar a tecelagem, prática tradicional da região, possibilitando a geração de renda para mulheres daquele distrito de Santa Bárbara, além de chamar a atenção para a rica cultura local.

“Tecer relações, tecer culturas e tecer fazeres.” Esse é o mote da mostra “Brumal e seus encantos”, aberta a visitantes virtuais desde 1º de abril. A coleção, que ficará exposta em ambiente on-line por dois anos, reúne produtos elaborados por moradoras da vila, localizada na Região Central de Minas, e de comunidades do entorno.

Quando for permitida a reabertura do espaço onde está montada, a exposição adotará o formato presencial, seguindo todos os protocolos de proteção contra o coronavírus. Na Sala do Visitante do Parque Natural da Serra do Caraça, o público terá, então, a oportunidade de tecer uma peça no tear mineiro de pente, liços e pedais, além de levar para casa a lembrança de sua visita à região.

Quando a mostra no parque chegar ao fim, as peças serão transferidas para a Casa das Tecelãs de Brumal. Fundada por bandeirantes no início do século 18, a Vila de Brumal fica entre as serras do Caraça, da Piedade e do Gandarela.

As peças mesclam técnicas de artesanato para representar bens patrimoniais tombados daquela comunidade, como a Igreja de Santo Amaro, o casario colonial e a Cavalhada de Brumal, além dos fazeres artesanais da região. Com identidade própria, os produtos são a cara da vila. Entre eles há bastidores, painéis, almofadas, cortinas e estandartes.

“Bens patrimoniais têm de ser venerados como entidades. Os estandartes são a representação simbólica da cultura a ser resguardada e venerada”, explica Dilce Mendes, idealizadora do projeto.

Um dos objetivos de “Brumal e seus encantos” é fortalecer o papel da Casa das Tecelãs, que, desde 2012, tem reavivado a cultura da tecelagem no distrito, além de pôr Brumal no mapa turístico da Estrada Real.

A Casa também desempenha papel relevante na inserção das mulheres no mercado de trabalho. “A associação ajuda a tirar o estigma de ‘passatempo’ do artesanato para colocá-lo no lugar de instrumento de trabalho e geração de renda. A mulher passa a ser reconhecida como produtora da economia criativa”, explica Dilce Mendes.

Partindo do carro-chefe da Casa, o tear, participantes das oficinas produziram peças que mesclam as técnicas de crochê, bordado e cestaria, utilizando resíduos têxteis e fibras naturais como o bambu. “A tecelagem é o fio condutor. A partir de uma técnica rudimentar, é possível construir produtos que criam o elo entre passado, presente e futuro”, complementa a coordenadora do projeto.

“Brumal e seus encantos” previa a realização de oficinas presenciais na Casa das Tecelãs, além de atividade conjunta com a designer Geisa Buzzelin para a definição de uma coleção que unisse todas as técnicas em produtos com a identidade da comunidade mineira. No entanto, a pandemia de COVID-19 forçou a mudança de planos.

A princípio, a falta de interação digital das participantes foi um desafio à realização de oficinas on-line. Mas, aos poucos, a dificuldade se transformou em oportunidade. “Hoje, as artesãs já vêem a internet como espaço para formação continuada. Quanto mais aprendem, mais valor agregado elas têm como profissionais”, explica Dilce. Aprender a utilizar as plataformas digitais vai ajudar a superar o principal gargalo da instituição: a venda de produtos on-line. “Nós entramos na era do século 21”, brinca a coordenadora da iniciativa.

A Casa das Tecelãs de Brumal surgiu em 2012, como projeto da Associação Comunitária da Vila. O objetivo era encontrar um fazer artesanal que expressasse a identidade da comunidade e, ao mesmo tempo, inserisse mulheres no mercado de trabalho. Hoje, associadas produzem tapetes e bolsas para uma fábrica da região.

O projeto “Brumal e seus encantos” é uma realização da Casa das Tecelãs de Brumal, por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac), com patrocínio de Cenibra, AngloGold, Ashanti e Caixa. O Santuário do Caraça apoia a iniciativa.

“BRUMAL E SEUS ENCANTOS”
Visite a exposição on-line em https://my360.com.br/3d-model/exposicao-virtual-brumal-e-seus-encantos-no-caraca/fullscreen/. Informações: tecelasdebrumal.com.br/brumal

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade