Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas ANNA MARINA

Não é difícil tratar cabelos oleosos nestes dias de calor

O médico Lucas Fustinoni, especialista em tricologia, ensina a controlar a oleosidade e dá dicas para manter a saúde capilar


23/12/2020 04:00 - atualizado 23/12/2020 08:13

O ideal é lavar os cabelos com água fria(foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press )
O ideal é lavar os cabelos com água fria (foto: Carlos Vieira/CB/D.A Press )

 
Nos “muito antigamente”, a geladeira doméstica guardava todo o necessário para tratar os cabelos – da mistura de frutas, como o abacate para dar brilho, à prosaica cerveja para dar volume e ajudar os cachinhos na hora de prender. Sou do tempo em que papelote era mágica, os pedacinhos de papel criavam anelados, que estão em moda nos dias atuais e feitos com escova. Só que o papelote gastava apenas um pedaço de papel, os cabelos podiam ser presos à noite e soltos de manhã. Bastava puxar o papel que o cachinho se formava.
 
Uma das maiores preocupações daquela época eram os cabelos oleosos. Um pesadelo, porque os anelados não duram nada – é preciso lavá-los sempre. O efeito de cabelo sujo é outro carma. “Ao contrário do que muitos pensam, sebo não é algo ruim, pois protege os fios e o couro cabeludo contra agressores externos, como o sol e a poluição. O problema ocorre quando o óleo é produzido excessivamente, o que, além de prejudicar a estética, favorece o surgimento de dermatite seborreica e queda capilar”, explica o médico Lucas Fustinoni, referência internacional em tricologia e membro da World Trichology Society.
 
A boa notícia é que é perfeitamente possível controlar a oleosidade excessiva dos cabelos com alguns cuidados simples, que o especialista listou a seguir:
 
Lave os cabelos na medida certa. Não lavá-los é um dos piores hábitos que alguém com fios oleosos pode ter. Mas a higienização em excesso é igualmente prejudicial. “Não remover a oleosidade ou removê-la demais estimula a produção de sebo pelas glândulas sebáceas. Por isso, o recomendado para quem tem cabelos oleosos é lavar os fios em dias alternados, salvo no caso de pessoas que transpiram muito ou praticam atividades físicas, que podem realizar a higienização dos cabelos diariamente”, aconselha o tricologista.
 
Evite banhos muito quentes. O ideal é que os cabelos sejam sempre lavados com água fria ou, no máximo, morna, principalmente no caso de oleosidade excessiva dos fios. “A água quente provoca a remoção intensa da oleosidade natural do couro cabeludo, o que diminui a camada protetora do tecido e favorece o ressecamento, com o consequente surgimento de efeito rebote, ou seja, o aumento da produção de oleosidade pela pele para compensar a agressão sofrida”, destaca o especialista.
 
Escolha o xampu adequado. Para controlar a oleosidade dos fios é fundamental utilizar xampu específico para cabelos oleosos, de preferência que contenha tensoativos, substâncias capazes de se ligar às moléculas de gordura e sujeira para removê-las mais facilmente. “É interessante usar, semanalmente, um xampu antirresíduos, ideal para remover o acúmulo de produtos como máscaras e condicionadores, que podem ficar nos fios mesmo depois da lavagem, causando aumento da oleosidade”, recomenda o médico.
 
Xampus a seco, queridinhos de quem sofre com oleosidade excessiva, devem ser usados em último caso, explica Lucas Fustinoni. “Xampus a seco são uma espécie de talco que ajudam a controlar a oleosidade do couro cabeludo. No entanto, por não remover as sujidades, esse tipo de produto pode gerar resíduos que aumentam a produção de sebo e causam a obstrução dos poros.”
 
Cuidado ao aplicar produtos de hidratação. Até mesmo cabelos oleosos necessitam de hidratação, que pode ser realizada por meio de condicionadores, máscaras e óleos. No entanto, é fundamental evitar aplicar o produto próximo ao couro cabeludo. “O couro cabeludo é naturalmente mais oleoso. Logo, a aplicação de produtos de hidratação nesta região pode favorecer ainda mais a produção de oleosidade, obstruindo poros e causando foliculite, queda e dermatite seborreica. O recomendado, então, é aplicar o condicionador, a máscara ou o óleo apenas no comprimento e nas pontas, áreas que realmente necessitam de hidratação”, ensina o especialista.
 
Evite mexer nos cabelos. Muitas pessoas têm a mania de mexer nos cabelos ao longo do dia. O ideal é tocar nos cabelos apenas para arrumá-los. “Tocar excessivamente nos fios pode fazer com que as sujidades das mãos passem para os cabelos, aumentando a oleosidade da região”, afirma o médico.
 
A alimentação tem impacto direto na qualidade e saúde dos cabelos. Logo, é natural que o consumo de alimentos industrializados e ricos em açúcar e gordura favoreça a produção excessiva de oleosidade. “Para manter os cabelos livres do excesso de sebo, torná-los mais fortes e favorecer seu crescimento, o ideal é manter alimentação balanceada, rica em frutas, legumes e verduras. Quem sofre com fios oleosos deve apostar em alimentos com vitamina A, como cenoura, abóbora e mamão, pois o nutriente ajuda a normalizar a produção natural de sebo”, finaliza Lucas Fustinoni.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade