Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Festival de documentários propõe reflexões contemporâneas sobre moda

Além de filmes temáticos, Feed Dog Brasil promove debate sobre os desafios da moda em relação a meio ambiente, direitos trabalhistas, antirracismo e inclusão


14/12/2020 04:00

Pierre Cardin, ícone da moda, é retratado em House of Cardin(foto: Pierre Cardin/DIVULGAÇÃO)
Pierre Cardin, ícone da moda, é retratado em House of Cardin (foto: Pierre Cardin/DIVULGAÇÃO)

 
No mundo contemporâneo, neste ano que trouxe tantos desafios, é crucial pensar e repensar a moda e a forma como a produzimos e nos relacionamos com ela. Por isso, a programação do Feed Dog Brasil 2020 propõe uma celebração à moda, a seus grandes criadores, mas também o debate sobre os desafios criativos, sociais, culturais, de consumo, da relação com o meio ambiente, com os direitos trabalhistas, com a atitude antirracista e com uma política inclusiva de fato. Que moda queremos para o futuro?
 
São muitas as questões e muitas as  inspirações que o Feed Dog Brasil 2020 propõe, tanto em sua mostra de filmes internacionais e nacionais quanto nas atividades formativas.
A cerimônia de abertura será amanhã (15), às 20h, ao vivo e on-line, seguida da pré-estreia nacional do documentário House of Cardin, de P. David Abersole e Todd Hughes. Inédito no Brasil, o filme mostra um ícone da moda mundial, o estilista Pierre Cardin, ainda em atividade. Ele completou 98 anos em 2020.
 
Trabalhador incansável, Cardin espalhou seu nome pelos cinco continentes, sempre com ideias e propósitos muito claros. Nesse filme, ele conta sua história, mostra suas principais criações, fala sobre suas frustrações e dilemas sem, em momento algum, perder o senso de humor.
 
Na lista de filmes que retratam grandes personagens do mundo fashion, Martin Margiela: In his own words, de Reiner Holzemer (Bélgica, Alemanha/2019), também faz sua estreia nacional no festival. Controverso, criativo, iconoclasta, enigmático, genial, Martin Margiela tanto produziu quanto questionou a moda. O estilista belga é referência quando se pensa em nomes que fizeram história e, mesmo assim, concedeu pouquíssimas entrevistas na vida. Nesse filme, temos a rara oportunidade de entender a trajetória, as criações e a visão de mundo de Margiela por suas próprias palavras.
 
O celebrado The disappearance of my mother, de Beniamino Barrese (Itália/2019), parte do perfil de uma das maiores modelos da história da moda italiana para tratar de feminismo, objetificação e comoditização do corpo da mulher. Ao mesmo tempo, é o retrato carinhoso, mas contundente, de um filho sobre sua mãe.
 
Benedetta Barzini foi a primeira modelo italiana a posar para a capa da Vogue norte-americana, alcançou o status de grande figura da moda, foi fotografada por Irving Penn e Richard Avedon, amiga de Salvador Dalí e Andy Warhol, mas decidiu abandonar a moda e a fama. Quem é de fato esta mulher controversa, crítica, bela e questionadora?
 
O documentário McQueen, de Ian Bônhote e Peter Ettedgui (Reino Unido/2018), mergulha na intimidade de um dos maiores nomes da moda de todos os tempos, o estilista britânico Alexander McQueen. Um retrato emocionante desse visionário, que foi incapaz de lidar com o sucesso e encontrar a paz. Com entrevistas e depoimentos exclusivos de pessoas próximas, familiares e personalidades do mundo da moda, o filme mostra a genialidade desse artista, que morreu precocemente aos 40 anos.
 
A programação conta com os premiados documentários Mapplethorpe: Look at the pictures, de Fenton Bailey e Randy Barbato (Alemanha, Estados Unidos/2016), clássico que retrata um dos mais provocativos, criativos, chocantes e importantes artistas do século 20. Mapplethorpe quebrou paradigmas e levou a fotografia, até então desprezada como “arte menor”, ao patamar de arte que não só é digna de integrar as coleções e museus mais prestigiados do mundo (como o Guggenheim, em Nova York) como de ser vendida por milhares de dólares.
 
A ascensão e queda do império Halston parece ficção e é relembrada em Halston, de Frédéric Tcheng (Estados Unidos/2019). O filme traz a história de como um garoto que fazia os chapéus de Bergdorf Goodman se converteu no rei da moda americana e foi derrubado por ele mesmo.
 
A produção nacional do Feed Dog revela como o universo do Brasil é rico e plural, com filmes premiados e que conquistaram prestígio internacional. Favela é moda, de Emílio Domingos (2019). Estou me guardando para quando o carnaval chegar, de Marcelo Gomes (2019), Fios de alta-tensão, de Sérgio Gagliardi-Gag (2018), e Deixa na régua, de Emílio Domingos (2016) estão na agenda, assim como os curtas Alfaiates de Belo Horizonte, de Sílvia Godinho e Ana Luísa Santos (2013), Mini miss, de Rachel Daisy Ellis (2018), e Planeta Fábrica, de Júlia Zakia (2018).
 
O Feed Dog Brasil oferece, gratuitamente e on-line, oficinas, talks e debates. O estilista mineiro Ronaldo Fraga participa de master talk com o tema “A moda além da roupa”, mediada pela jornalista e curadora do festival, Flavia Guerra, na quarta-feira (16), às 19h30, ao vivo. Já o professor Aldo Clécius, consultor em negócios e cultura de moda e fundador do @movimentomcm (Moda Contemporânea Mineira), ministra a oficina on-line “Business plan nos negócios de moda”, na quinta (17) e sexta-feira (18), das 16h às 19h.

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade