Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas Preocupação em casa

Em tempos de pandemia, quando levar a criança ao pronto-socorro?

Pediatra enumera seis casos, entre eles desidratação causada por diarreia, em que os pequenos devem ser levados a um hospital


01/08/2020 08:20 - atualizado 01/08/2020 08:28

Diarreia pode provocar desidratação nas crianças. Pais devem ficar atentos a sintomas como lábios secos e escurecimento da urina(foto: Mamaenow.com.br/Reprodução)
Diarreia pode provocar desidratação nas crianças. Pais devem ficar atentos a sintomas como lábios secos e escurecimento da urina (foto: Mamaenow.com.br/Reprodução)

Criança em casa é um conforto... e uma preocupação. Como estão em ambiente bem conhecido, todo tipo de diabrura é permitida. Sem falar em pequenos problemas de saúde, que normalmente devem ser cuidados - mas com as várias dificuldades da ocasião.

Pais e cuidadores estão preocupados, nestes tempos de COVID-19, com as crianças doentes em casa e aí vem a dúvida: quando devo levar meu filho ao pronto-socorro? O medo de levar as crianças ao consultório do pediatra ou ao hospital durante a pandemia do novo coronavírus tem motivado famílias a tratarem os filhos em casa, por conta própria. Ana Carolina Goulart, pediatra da Rede Mater Dei de Saúde, tira dúvidas e alerta quanto aos riscos. 

De fato, medicar as crianças por conta própria pode ser um grande risco. Segundo a médica, nem sempre as crianças conseguem falar tudo o que sentem. Então, examiná-las pessoalmente pode ser determinante para chegar ao diagnóstico correto.

Confira alguns sintomas de alerta para procurar o hospital:

1. Febre: geralmente a febre é um sintoma que preocupa muito os pais. A criança precisa ser examinada por pediatra se tiver febre e for menor que 6 meses de idade, se tiver febre e manchas no corpo, febre e prostração mesmo em uso de antitérmico ou se tiver febre por mais de 72 horas.

2. Diarreia: a maior preocupação da diarreia é quando a criança fica desidratada por conta da perda de líquido. Caso isso ocorra é necessário a ida ao serviço de emergência. Os sintomas mais tradicionais da desidratação são os lábios e a língua seca, a diminuição e o escurecimento da urina.

3. Problemas na respiração: fique  atento. Se a criança tiver problemas para realizar atividades por conta de estar ofegante ou parecer "cansada" como se tivesse feito alguma atividade física, pode ser sinal de algo mais grave, como doenças respiratórias e infecciosas. Nesses casos é necessário levar ao hospital.

4. Alergia: em casos de manchas e coceira é recomendado consultar o pediatra. A ida a um pronto-socorro só é necessária em casos de problemas para respirar. Chiado e tosse rouca são alguns dos sintomas que precisam ser observados. Se constantes, precisam ser examinados por especialistas.

5. Cortes e quedas: depende da profundidade e quantidade de sangue sendo perdido. No caso de quedas é importante ficar de olho na criança após a batida: sonolência, vômitos, dor de cabeça ou qualquer outra anormalidade são sinais de que é necessário ir ao hospital. Sobretudo caso ela esteja abatida, principalmente se for muito ativa.

6. Intoxicação: leve diretamente ao hospital. Não induza vômitos e tente pegar o rótulo do produto para fornecer ao médico detalhes que poderão ajudar no tratamento.

Para garantir atendimento seguro, a Rede Mater Dei de Saúde criou fluxos diferentes nas suas unidades para receber cada tipo de paciente. São entradas, elevadores e guichês de atendimento distintos, além de protocolos rígidos para que os clientes tenham a segurança necessária para receber atendimento. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade