Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. ASSINE AGORA >>

Publicidade

Estado de Minas

Cuide bem de seus pés nestes dias de quarentena

Esfoliação e hidratação são essenciais. Ficar descalço por muito tempo pode ressecar a pele, quadro agravado pelo frio, banhos quentes e uso da lixa


postado em 08/06/2020 04:00


Como estamos mais tempo dentro de casa, grande parte das pessoas, mesmo as aficionadas por sapatos, estão deixando os calçados guardados no armário. Os pés agradecem por esse respiro. Porém, de nada adianta trocar os longos períodos usando sapatos por passar muito tempo descalço, pois isso pode prejudicar a saúde dos pés.

“Em contato direto com o chão, os pés sofrem muito com o atrito, pois absorvem todo o impacto do caminhar. Além disso, a pele fica exposta a sujidades, que fazem com que a umidade natural da região seja perdida. O resultado é o surgimento de pele ressecada, áspera e grossa”, explica a médica Paola Pomerantzeff, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD).

Como se não bastasse, alguns fatores podem agravar o problema, como clima frio, banhos quentes e demorados e baixo consumo de água, pois favorecem a desidratação da pele. “O excesso de peso é outro fator menos comentado que também causa o espessamento da pele dos pés. Quanto maior o peso, maior a pressão sobre os pontos de apoio. Logo, a pele dos pés, na tentativa de se proteger e prevenir bolhas e lesões, passa a proliferar mais, tornando-se grossa e áspera”, destaca a dermatologista Kédima Nassif, integrante da SBD.

Durante essa quarentena, é fundamental evitar ficar descalço por longos períodos. “Opte pelo uso de calçados confortáveis, como chinelos e meias, que ajudam a evitar a contaminação dos pés pelo chão sujo, além de reduzir o atrito e o risco de ferimentos”, aconselha a dermatologista.

“Com a chegada do inverno, vale a pena apostar no uso das meias. Porém, é melhor deixá-las de lado nos dias mais quentes para evitar o suor e a umidade excessiva”, completa Paola.

Quem já tem a pele espessa nos pés deve hidratá-los diariamente, de preferência no período da noite, após o banho. “Comece esfoliando, para retirar o excesso de proteína morta. Em seguida, faça a hidratação para evitar o efeito rebote, cuja consequência é o aumento da aspereza da pele. Use produtos formulados com os ativos lanolina, vaselina, manteiga de karité, vitamina E, vitamina B5, ureia ou nutriômega 3, 6, 7 e 9”, recomenda a dermatologista Claudia Marçal.

“Uma boa dica para potencializar o poder do hidratante é envolver a pele dos pés com plástico-filme por 20 minutos após o uso do hidratante. Depois de retirar o plástico, massageie os pés para ajudar a absorver o creme”, ensina Paola Pomerantzeff.

É importante ressaltar: de forma alguma use lixa para dar fim à pele espessa dos pés. “Isso pode provocar o efeito rebote, ou seja, a pele passa a produzir mais queratina para compensar a agressão, tornando-se ainda mais espessa e grossa”, alerta Claudia Marçal. A lixa, ao remover o estrato córneo, reduz a capacidade de autoproteção do tecido cutâneo, favorecendo a entrada de fungos e bactérias, além de aumentar a sensibilidade da pele. Isso pode resultar no surgimento de dermatites.

Caso a pele de seus pés esteja demasiadamente grossa e não responda a cremes e esfoliantes caseiros, o ideal é consultar o dermatologista, que poderá realizar uma avaliação e indicar a melhor solução. 

*Para comentar, faça seu login ou assine

Publicidade