Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Publicidade

Estado de Minas

Saiba o que é mito ou verdade sobre o café da manhã

Refeição matinal é essencial para encarar o dia, mas médica esclarece sete dúvidas sobre o desjejum


postado em 15/01/2020 04:00

(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
(foto: Leandro Couri/EM/D.A Press)
Nunca gostei de tomar café da manhã no restaurante do hotel. Há viajantes que não perdem a deixa, porque o café da manhã acaba se transformando em um substituto do almoço, tanta é a variedade de gostosuras que oferece. Único país que visitei que não dava esse conforto aos turistas foi a Rússia, era preciso descer ao restaurante, cuja mesa comunitária não tinha espaço para tantas ofertas, inclusive o delicioso sorvete de chocolate. Acontece que por conta da minha diabetes, o café da manhã é refeição preciosa, uma vez que impede queda muito grande de glicose. Há hotéis, como o paulista Maksoud, onde estive recentemente, cuja bandeja chega farta – difícil consumir todo que é oferecido, de frutas a sucos.

Mas muitas pessoas pulam o desjejum por causa rotina corrida e comem qualquer coisa na rua – geralmente algo de baixa qualidade nutritiva. Afinal, aquele jargão que diz que o café da manhã é a refeição mais importante é realmente verdadeiro? Marcella Garcez, médica nutróloga e professora da Associação Brasileira de Nutrologia, tira as principais dúvidas sobre a refeição matutina. Saiba a seguir o que é mito e o que é verdade.

1. O café da manhã é a refeição mais importante do dia.

Depende.

 Segundo a profissional, existem evidências de que o jejum matinal pode liberar radicais livres que pioram a atividade pancreática e, ao longo do tempo, mesmo com a redução do peso corporal, aumenta o percentual de gordura abdominal. “Mas outros estudos relatam exatamente o contrário. Por isso, é provável que seja um sinal de que essa é uma situação que depende de respostas individuais de cada organismo”, diz a médica. Portanto, o café da manhã é uma das refeições importantes do dia e pode ser indispensável de acordo com as características e necessidades individuais de cada organismo.

2. Pular a refeição pode provocar mal-estar por conta do baixo índice glicêmico?

Verdade.

“Mesmo após uma longa noite de sono, o corpo continua funcionando e gastando energia. Por isso, se a pessoa tem muitas atividades pela manhã – intelectuais ou físicas –, não é aconselhável pular o café da manhã, podendo ocorrer alterações na glicemia que podem causar enjoos, tontura e mal-estar.”

3. Tomar café da manhã é essencial para a perda de peso.

Mito.

Ainda que quebrar o jejum antes de iniciar as atividades seja recomendável, não fará perder os quilos de forma mágica. “O que é necessário é combinar a rotina de exercício adequada com os alimentos ideais e na quantidade certa”, afirma.

4. Pular a refeição aumenta a chance de colesterol?

Verdade.

“O jejum matinal libera radicais livres que pioram a atividade da insulina, aumentam o perfil inflamatório e podem levar à evolução do colesterol e aumentar o risco de doenças cardíacas”, explica Marcella

5. Deve-se evitar os carboidratos no café da manhã para evitar o ganho de peso.

Mito.

Os carboidratos são um tipo de nutriente e, como tal, devem estar presentes em todas as refeições. A principal função deste macronutriente é fornecer energia, logo, ingeri-los durante a manhã é muito importante para conseguirmos realizar as atividades do dia.”

6. Um bom desjejum é um combustível para o cérebro.

Verdade.

“Os neurônios utilizam a glicose como principal substrato energético, portanto, o café da manhã contribui para atividades que demandem atenção e raciocínio”, destaca.

7. Alimentar-se de manhã é uma estratégia para reduzir a ingestão de calorias ao longo do dia e melhorar a qualidade da dieta.

Verdade.

“Se o café da manhã for adequado e equilibrado, seguido de refeições igualmente equilibradas, mas de menor densidade calórica, pode contribuir para compor um bom hábito alimentar. Evitar o café da manhã aumenta a ansiedade de comer, o que provoca fome e desejo por alimentos calóricos, como doces, frituras, salgados e alimentos industrializados. Já quem está satisfeito através de um desjejum equilibrado, tende a fazer refeições mais saudáveis ao longo do dia.”

8. Para quem realiza atividade física pela manhã, o café da manhã é essencial e melhora a performance?

Depende.

“Existem pessoas que treinam em jejum sem grandes consequências negativas. Porém, no geral, praticar atividade física de alta intensidade leva ao consumo de glicogênio hepático. Dessa forma, com a continuidade do treino, o glicogênio muscular é gasto e, posteriormente, as proteínas começam a ser consumidas para fazer neoglicogenese.”

Por fim, a médica esclarece o que seria um café da manhã saudável e benéfico. “Um café da manhã saudável tem todos os macronutrientes em equilíbrio, ou seja, proteínas de alto valor biológico, como ovos, queijos magros, iogurtes, proteínas de soja e grão-de-bico; carboidratos saudáveis, como cereais integrais, aveia, frutas; além de gorduras boas, como sementes oleaginosas e azeite de oliva. O acompanhamento nutrológico é essencial para uma dieta saudável e que atenda às necessidades de cada indivíduo”, finaliza.


Publicidade