Continue lendo os seus conteúdos favoritos.

Assine o Estado de Minas.

price

Estado de Minas

de R$ 9,90 por apenas

R$ 1,90

nos 2 primeiros meses

Utilizamos tecnologia e segurança do Google para fazer a assinatura.

Assine agora o Estado de Minas por R$ 9,90/mês. Experimente 15 dias grátis >>

Estado de Minas

Sapato Ferragamo completa 40 anos e continua como ícone dos pés

Modelos da marca italiana são elegantes, despretensiosos, luxuosos, versáteis e práticos ao mesmo tempo


postado em 20/09/2019 04:00 / atualizado em 19/09/2019 18:29

 
Calçados da marca italiana são elegantes, despretensiosos, luxuosos, versáteis e práticos ao mesmo tempo(foto: FOTOS: Ferragamo/Divulgação)
Calçados da marca italiana são elegantes, despretensiosos, luxuosos, versáteis e práticos ao mesmo tempo (foto: FOTOS: Ferragamo/Divulgação)
Uma das minhas manias mais antigas são bons sapatos. Não me esqueço que quando recebi o meu primeiro salário de emprego que me foi dado por Mário Magalhães, que durante muitos anos foi presidente da Previdência dos funcionários públicos, mas achou que já tinha Teixeira da Costa demais no órgão e me empregou em uma seguradora que tinha, foi comprar um sapato. E na Sloper, que era a loja mais requintada da cidade. A compra não podia ser mais impulsiva do que foi: o sapato era branco, de salto altíssimo, bom só para festas, e de acordo com o vestido, porque não combinava com tudo. Quando comecei a viajar para o exterior, meus olhos se voltaram para os sapatos Chanel, de preferência aqueles com biqueira preta, uma definição da marca. Como eram muito caros – e continuam sendo – consegui com muita ginástica comprar um par bege e preto. Uma alegria só.

Os anos se passaram e descobri, na Itália, uma marca que é a minha preferida até hoje: a Salvatore Ferragamo. A atração foi imediata e a dedicação vale a pena. O sapato é o mais confortável e duradouro que existe. E como não existe por aqui, só é encontrado em São Paulo, aprendi um truque de antigamente: mandar colocar meia-sola antes que o sapato acabe. E como meu sapateiro antigo, Carlinhos, é um craque, os sapatos duram e duram.  Os mais antigos, que uso para trabalhar, resistem há mais de quatro anos, o que não ocorre com nenhum sapato nacional. Achei também o meu modelo predileto no Canadá, com preços totalmente razoáveis e com uma novidade: uma edição que ganhou solado anabela, o que é uma maravilha – descansa e facilita o caminhar.

Agora fico sabendo que esse modelo que uso e que sou totalmente dedicada está fazendo 40 anos e é considerado o modelo icônico da marca italiana. Tanto que ganhou campanha digital ousada, usando sete influenciadoras internacionais. O modelo se chama Vara, tem salto baixo e um laço de gorgorão em cima, com a plaquinha dourada com a marca.

A nova iniciativa #FollowVara é uma campanha digital que abrangerá os continentes e incluirá imagens e vídeos. O seu objetivo é introduzir uma nova geração em um design que tem sido sinônimo de elegância e força desde que foi criado por Fiamma Ferragamo, filha do fundador da casa, Salvatore, em 1979. Batizada por Fiamma, o Vara tornou-se o modelo mais vendido na história de Salvatore Ferragamo. O motivo? Porque cumpre com perfeição a ambição original de Fiamma de criar um sapato que sirva às necessidades de uma nova parcela de mulheres no mercado de trabalho.

No formato de amêndoas de salto baixo, criado de acordo com os padrões exigentes do legado artesanal da Ferragamo, era imensamente confortável e versátil. No entanto, Fiamma estava determinada a criar um sapato que fosse tão chique quanto prático – e isso ela conseguiu através da adição de uma fita de gorgorão ajustada por uma fivela dourada com a logo da Ferragamo. O Vara provou ser um sucesso quase instantâneo e hoje, 40 anos depois de ser criado, a fórmula de Fiamma Ferragamo para um sapato que é simultaneamente esportivo, elegante, despretensioso e luxuoso continua a ser extremamente relevante.


Publicidade